Close certo
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Close certo
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Close certo
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

As estreias mais esperadas do cinema em abril

Júlia Korte
há 7 meses382 visualizações

Confira os principais lançamentos que chegam às telonas esse mês

As estreias mais esperadas do cinema em abril
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Abril é o mês do ano com mais feriados até então. Ou seja, que tal aproveitar esse tempo e colocar em dia aquela ida ao cinema? Opções para agradar a qualquer público não vão faltar. 

Sem mais delongas, confira abaixo uma lista com as estreias do mês:

Guardiões da Galáxia 2

O filme é uma sequência das aventuras da equipe enquanto estão atravessando os cosmos. Pela sinopse, devem lutar contra a real ascendência de Peter Quill, reunindo personagens favoritos das histórias de HQ. Dirigido por James Gunn, teremos de novo elenco de peso; Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista, Vin Diesel como Groot (<3), Bradley Cooper como Rocket, entre outros. Pelo visto, ainda veremos também muita ação, humor à la Marvel, música de qualidade e, é claro, o pai de Star Lord! Estreia: 27/04. 

Velozes e Furiosos 8

Na trama, Charlize Theron faz uma mulher misteriosa que seduz Dom Toretto (Vin Diesel) para o mundo do crime, e o restante do grupo acaba traído pela decisão, enquanto um anarquista planeja liberar o caos em nível mundial. Dirigido por F. Gary Gray (Straight Outta Compton), o filme conta ainda com Kristofer Hivju (Tormund Giantsbane, em Game of Thrones) como vilão na produção, e Scott Eastwood que, aliás, era muito amigo de Paul Walker e diz ter sentido a presença do mesmo durante as filmagens. Estreia: 13/04. 

A Cabana

O filme é uma reprodução fiel do livro homônimo de William P. Young, que se tornou um best-seller com mais de 10 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Lançado em 2007, o livro aborda questões relevantes ao catolicismo. Resumidamente, a história acompanha "Mack" Phillips (Sam Worthington, de "Avatar"), um homem que tem a filha caçula sequestrada durante um passeio e a polícia não a encontra. Tomado pela culpa, um dia, recebe uma mensagem para ir à cabana onde há uma pista do paradeiro da filha e é recebido por Deus (interpretado pela maravilhosa Octavia Spencer), iniciando sua jornada de perdão e superação. É aquele bom e velho sermão, talvez por isso o seu sucesso. Estreia: 06/04. 

Despedida em Grande Estilo

Inspirado na comédia homônima de 1979, “Despedida em Grande Estilo” conta com os excelentes Michael Caine, Morgan Freeman e Alan Arkin. O trio interpreta um grupo de assaltantes que decide assaltar um banco sem a menor ideia de como se faz isso. Amigos de longa data, todos são aposentados após trabalhar por décadas numa metalúrgica em Nova York. Com as dívidas crescendo, decidem recorrer ao crime. Carismática, a produção promete boas risadas despretensiosas. Estreia: 07/04.  

Por Trás do Céu

O filme do jovem diretor e roteirista Caio Sóh é. como foi considerado, uma "visão fantástica do árido sertão nordestino". Em um lugar tomado pela extrema pobreza, Aparecida (Nathalia Dill) vive cheia de sonhos e esperança, enquanto o marido Edivaldo (Emilio Orciollo Neto) leva uma vida amargurada por uma tragédia do passado. Então, ela decide partir para a cidade grande. Com muita poesia estética, a obra é cinema brasileiro de qualidade. Estreia: 06/04. 

Cães Selvagens

Dirigido pelo roteirista e diretor Paul Shrader, conhecido pelo roteiro de “Táxi Driver” e “Touro Indomável”, ambos dirigidos por Martin Scorsese, o filme conta a história de três ex-presidiários contratados por um mafioso para sequestrar o bebê de um rival. Suspense policial, a obra é meio inspirada em Tarantino, assim, pode se esperar muito sangue, cabeças explodindo (sim, há) e violência gratuita. Para quem gosta desse tipo de ação, é uma boa pedida. Estreia: 06/04. 

Vida

Nessa ficção científica, seis membros da Estação Espacial Internacional estão prestes a descobrir provas de vida extraterrestre em Marte. Como toda boa ação no espaço, os resultados são inesperados, uma vez que os alienígenas se provam mais inteligentes do que o previsto. Dirigido por Daniel Espinosa (Protegendo o Inimigo) e os roteiristas de Deadpool, Rhett Reese e Paul Wernick, o filme tem elenco de peso; Ryan Reynolds, Jake Gyllenhaal e Rebecca Ferguson. Estreia: 20/04. 

Paixão Obsessiva

Katherine Heigl (“Vestida para Casar”) dessa vez foge completamente dos seus papeis em comédia romântica ao interpretar Tessa Connover, uma mulher com ciúme doentio que tenta lidar com o fim de seu casamento, enquanto seu ex-marido resolve se casar com Julia Banks (Rosario Dawson). O suspense dramático é dirigido pela veterana produtora Denise Di Novi (“Amor a Toda Prova”, “Golpe Duplo”). Estreia: 20/04. 

Planetarium

Natalie Portman, Lily-Rose Depp e Louis Garrel são protagonistas dessa produção francesa que acompanha a história de duas irmãs com habilidades sobrenaturais. Fascinado pelo dom delas, um produtor visionário as convida para participarem de uma obra ambiciosa. Este é o terceiro filme da jovem Rebecca Zlotowski. Selecionado por grandes festivais de cinema, esperamos que a trama seja tão boa quanto o trailer promete, ainda mais com esse elenco. Estreia: 27/04. 

Colossal 

Depois de ganhar o Oscar por seu papel em "Os Miseráveis" (2012), a atriz Anne Hathaway manteve-se discreta com participações no cinema. Agora, ela retorna no papel mais diferente da sua carreira; a trama nos moldes de Godzilla gira em torno de uma mulher (feita por Hathaway) que troca sua pequena cidade por Nova York após perder o trabalho e o namorado, apenas para descobrir que, de alguma forma, tem uma estranha conexão com uma criatura gigante que está devastando a cidade de Seul. Comédia romântica, feminismo e ação juntos e misturados. Seria o tipo certo de inusitado e interessante? A crítica diz que sim. Estreia: 27/04. 

Será a adaptação de "Death Note" mais um caso de "whitewashing"?

Júlia Korte
há 7 meses160 visualizações

Após divulgação do trailer, novo filme da plataforma de streaming chama mais atenção pela (controversa) escalação do elenco

Será a adaptação de "Death Note" mais um caso de "whitewashing"?
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

A Netflix divulgou nessa última quarta-feira, 22, o primeiro trailer para o live-action the “Death Note”, a versão norte-americana do anime de maior sucesso do Japão na última década. 

Confira:

Com lançamento previsto para 25 de agosto, a produção traz o ator Nat Wolff (de “Cidades de Papel”) como o protagonista desse thriller. A história conta a trajetória de um jovem que descobre um caderno que mata qualquer pessoa que tenha seu nome escrito nele. Com isso, o personagem começa a escrever nomes de pessoas que ele não considera “dignas de viver”. A direção ficou a cargo Adam Wingard, da nova versão de A Bruxa de Blair, em 2016. Portanto, podemos esperar muita emoção e adrenalina correndo solta, não é?

Originalmente, a obra é um mangá de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata. Desde 2003, quando estreou no país, se tornou uma das séries anime mais conhecidas, com quatro filmes live-action, uma série dramática de televisão e um musical, entre outras adaptações. Ou seja, ao que tudo indica, será mais um sucesso, não fosse por uma questão para lá de grande que tem chamado atenção do público da franquia: o “whitewashing”. 

Para quem não conhece, a palavra é uma expressão para quando um personagem étnico é interpretado por um ator branco, seja por uma fantasia pura dos criadores, ou até de maneira estereotipada e ofensiva. Um exemplo claro é a figura do “Ancião” no filme do Dr. Estranho que, em vez de representar um monge oriental foi interpretado por uma atriz branca, por exemplo.

Será a adaptação de "Death Note" mais um caso de "whitewashing"?

Tilda Swinton que interpretou o "Ancião", um ser místico, considerado o "Mago Supremo do Universo"

O termo é conhecido há um tempo, mas começou a ganhar mais força depois de uma campanha do Oscar 2016 chamada “Why so White?”, que expressava a ausência completa de atores negros ou de qualquer outra etnia entre indicados. Situação bizarra que levou muitos (com razão) ao boicote. E se você ainda não entendeu, é tipo quando uma novela se passa na Índia, mas não tem nenhum indiano. 

Bom, o fato é que apesar da importância e relevância da discussão, as indústrias do cinema e da televisão têm milhares de desculpas rasas para isso; coisas desde que protagonistas brancos são melhores para audiência, até o fato de que ninguém gosta de legenda ou a mais “cara de pau”, quando falam que não ligam para cor de pele e simplesmente dão o papel para quem mereceu ou para o que a audiência optar.

Hello, vamos falar de privilégio? 

Agora o pior é que essa polêmica já acompanha alguns outras adaptações do ano, incluindo o esperado “Ghost in the Shell”, com Scarlett Johansson interpretando também uma personagem que é japonesa na história original. Dessa vez, porém, uma ciborgue que deve comanda uma força tarefa contra um ataque cyber-terrorista.

Será a adaptação de "Death Note" mais um caso de "whitewashing"?

Como sempre, rapidamente alguns vieram em defensa da escolha do elenco, falando que era uma adaptação e, portanto, poderia ser com uma ~audiência americana~. Agora a pergunta que fica é: e por que raios uma audiência americana significa atores brancos?

E se ainda não está convencido que isso é muito mais comum do que reparamos, segue uma lista com algumas outras produções que descaradamente cometeram o "whitewashing": 

1. Dragonball Evolution

Será a adaptação de "Death Note" mais um caso de "whitewashing"?

Justin Chatwin interpreta Goku e Emmy Rossum como Bulma. Para quem conhece o desenho, isso é ofensivo em outro nível. 

2. O Cavaleiro Solitário

Será a adaptação de "Death Note" mais um caso de "whitewashing"?

Johnny Depp como um nativo americano. Não preciso comentar mais nada, né?

3. Bonequinha de Luxo

Será a adaptação de "Death Note" mais um caso de "whitewashing"?

Mickey Rooney como Mr. Yunoshi, um arrognte e amargurado vizinho japonês. O ator usou maquiagem e prótese na boca para interpretar o caricato personagem. Sem dúvidas, a falha mais racista no icônico filme

4. Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo

Será a adaptação de "Death Note" mais um caso de "whitewashing"?

Jake Gyllenhaal como personagem principal em um filme da Pérsia. Risos. Ah, e nenhum ator do filme era iraniano ou descendente de muçulmanos

5. Pan

Será a adaptação de "Death Note" mais um caso de "whitewashing"?

Tigrinha (Tiger Lily no original) é interpretada no filme por Rooney Mara. Tigrinha é uma “princesa” indígena e Rooney Mara… Veja a foto. 

#CloseErradoParaOWhiteWashing

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
julia.korte
Jornalista e geek de coração. Praticante de binge-watching. Vive a base de cafeína e boa música. Um crush eterno em cinema e seriados.