GENTE

Essa história de terror contada no Twitter é “A Bruxa de Blair” da nossa época

Júlia Korte
Author
Júlia Korte

O relato viral de um americano supostamente enfrentando assombrações no seu apartamento é a melhor definição de um conto de terror moderno

Essa história de terror contada no Twitter é “A Bruxa de Blair” da nossa época

Foto: Fantasma do "Querido David" (Reprodução/ Twitter) 

Tudo começou em agosto, quando o redator nova-iorquino Adam Ellis chocou a internet com uma história do seu apartamento supostamente mal-assombrado. Em relatos feitos no Twitter, ele iniciou um conto sobre uma criança morta que estaria o perseguindo, nos sonhos e na vida real. A situação chegou a tal ponto que ele teve paralisia do sono e compartilhou filmagens dos seus gatos tendo comportamentos misteriosos.

Confira o resumo publicado pelo próprio autor:

Infelizmente, não temos o vídeo resumido legendado, mas, basicamente, a narrativa, intitulada agora de algo como “O Fantasma de Querido David”, traz o fantasma de uma criança morta (com a cabeça afundada de um lado) que estaria tentando matar o rapaz. Segundo ele, antes o personagem aparecia nos sonhos, mas teria migrado ao mundo real e estaria apavorando sua vida desde então. Você pode ler tudo em português aqui

Desde então, ele vem publicando diversos novos acontecimentos e até vídeos na rede social, em um thread que agora viralizou e está tirando o sono de muita gente. Algumas imagens são realmente assustadoras, como esse dos gatos meio malucos e um copo verde se mexendo: 

Em princípio, tudo parecia um desabafo honesto vindo de uma pessoa realmente assustada com alguns fatos da sua vida. Mas com a escala e reprodução da história, fica difícil não questionar a veracidade. De acordo com a imprensa, ele é também um ilustrador e vai divulgar um livro no ano que vem, o que aponta para uma bela jogada de marketing - fato ao qual ele nega veementemente.

Adam já soma quase meio milhão de seguidores no Twitter (o primeiro tuíte tinha 50 mil interessados) e, depois de um curto período de tempo sem novidades da história, ele conquistou as manchetes novamente com vídeos e reviravoltas elaboradas dignas do cinema, a exemplo dos gatos agindo loucamente na madrugada e sal na porta para conter o “demônio”.

A história ainda não teve fim e, para fãs do gênero, é incrível acompanhar, especialmente pela linguagem e o fato de estar sendo narrado em uma rede social por uma pessoa comum, o que lhe configura autenticidade nos vídeos caseiros. E se você acredita em fenômenos sobrenaturais, é uma daquelas lendas que não foi desvendada de fato por ninguém, provocando arrepios na espinha de qualquer um que leia do começo ao fim.

E todos os recursos são geniais, independente do que você pense sobre Adam e os acontecimentos mal-assombrados. Mas uma comparação é inevitável, pois ele tem uma clara inspiração em um filme de terror de 1999, “A Bruxa de Blair”, e a gente te explica por quais motivos. 

Para quem não lembra, antes da saga “Atividade Paranormal”, fomos agraciados com uma obra genial que mudou o cinema: “A Bruxa de Blair”, um projeto de falso documentário que vem sendo copiado desde que estreou. 

Veja o trailer: 

Com baixo orçamento, essa produção bateu recordes de bilheteria ao trazer uma experiência aterrorizante supostamente baseada em fatos reais.

O nível de detalhamento dos diretores Daniel Myrick e Eduardo Sánchez foi surpreendente; o elenco realmente pensava que a lenda era real. Tanto que os atores recebiam mensagens secretas e foram praticamente deixados para valer na floresta, recebendo poucos alimentos. Na cena da cabana famosa, para gravar uma surpresa genuína, os diretores não avisaram ninguém e realmente fizeram a estrutura mexer para dar o susto. Ah, o filme também foi divulgado como documentário. No próprio site IMDB, os atores foram cadastrados como “desaparecidos, possivelmente mortos” antes da estreia. Muita loucura e sinistro, né?

Esperamos que o que Adam está vivendo não passe de brincadeira, pois é para lá de assustador. Mas se “A Bruxa de Blair” entrou pra história com as gravações em uma câmera nas mãos dos atores, não é nenhuma surpresa que a grande lenda de terror dos nossos tempo modernos com redes sociais seja publicada via Twitter.