PUBLICIDADE

O Kiko do KLB se irritou com uma campanha do OMO e a internet não tá aguentando

Júlia Korte
Автор
Júlia Korte

A marca de sabão em pó aproveitou o Dia das Crianças para falar sobre a questão de gênero e o integrante da boyband foi fazer textão acusando os envolvidos até de anticristo - e a resposta nas redes sociais foi maravilhosa, claro!

O Kiko do KLB se irritou com uma campanha do OMO e a internet não tá aguentando

Foto: divulgação

No último dia 7, a marca de sabão em pó OMO lançou uma campanha importante em post do Instagram destacando a importância das crianças se divertirem da mesma forma, independente do gênero. O mote é “não existe brincadeira de menino ou brincadeira de menina”. Na ocasião, em homenagem ao Dia das Crianças, convidaram os pais a compartilharem esses momentos usando a hastag #MomentosQueMarcam.

Confira: 

Texto do vídeo na íntegra: "Comunicado urgente: Omo convoca pais e mães a fazerem recall de todas as brincadeiras que reforcem clichês sobre gênero. Meninas podem, sim, se divertir com minicozinha ou mini lavanderia, mas também podem ter acesso a brinquedos de lógica e dinossauros assustadores. E meninos podem trocar fraldas de bonecas e ter uma incrível coleção de panelinhas.

 Porque mais importante do que o brinquedo é a brincadeira. Junte-se a Omo na campanha pelo direito de toda criança de se sujar e brincar livremente".

E não demorou nem um dia pro Kiko (isso mesmo! Aquele músico do KLB, boyband dos anos 2000 responsável por hits como “A Dor Desse Amor”), para passar vergonha na internet: 

Embora o post original tenha sido apagado, o link está disponível via Twitter. E como é o mundo em que tudo postado é eternizado, também temos o print.

O Kiko do KLB se irritou com uma campanha do OMO e a internet não tá aguentando

Como você pode acompanhar, nesse textão publicado no seu perfil oficial, o músico disse coisas como: 

“Ou estão querendo guerra, ou o mundo não chega no natal”. (...) "Já houveram guerras santas, sangrentas, violentas! outra está à espreita por c causa de imbecis que querem forçar uma realidade que NÃO EXISTE a não ser em seus malditos universos particulares". 

BERRO! 

"Temos a OBRIGAÇÃO de respeitar a todos, independente de religão, opção sexual, doutrina, gostos" (...) Vivemos em sociedade, dividimos espaços comuns, onde todos têm que sentire-se confortáveis com suas opções, e JAMAIS, impor goela abaixo dos outros a SUA!!". 

Mas impor goela abaixo o extremismo pode, né?

“Às vezes sei que parece, mas essa merda não é um bordel pois até os bordeis tem regras a serem seguidas”. 

SIM. 

"NÃO tenho preconceito tenho amigos homossexuais que dou minha vida por eles!" 

Enfim, são tantas as pérolas, a ignorância e o preconceito, que nem sabemos onde focar. Continue assim que você tá de parabéns, cara.

Devemos só lembrar também que a última vez que esse ser viralizou no Twitter, chegando aos trend topics, foi porque ele não conseguiu nenhum voto como vereador de São Paulo. Ou seja, nem a mãe votou nele! Ainda bem, né? 

Mas aí vão de brinde mais algumas reações:

Pior mesmo é que ele não foi o único com esse discurso nem a cometer os erros do tipo: “não tenho preconceito, mas…”. Campanhas assim são importantes justamente por conta dessa reações.