NETFLIX

Tudo sobre "Jogo Perigoso", a nova adaptação de Stephen King na Netflix

Júlia Korte
Author
Júlia Korte

Conheça o filme original da plataforma que está tão bem cotado quanto "It"

Tudo sobre "Jogo Perigoso", a nova adaptação de Stephen King na Netflix

Foto: Netflix/ Divulgação 

Nenhum autor da literatura está tão em alta esse ano quanto Stephen King. Depois do sucesso de bilheteria "It: A Coisa", temos mais um lançamento inspirado em obras do mestre do terror que está dando o que falar: "Jogo Perigoso".  

Esse novo longa original da Netflix, que já está disponível na plataforma, chegou com tudo. Confira o trailer: 

Como é possível ver na prévia, a história acompanha um casal, Jessie e Gerald, que decidem apimentar a relação na esperança de salvar o casamento. Para tal, decidem se isolar numa casa distante de tudo, mas, durante um jogo sexual, algo terrível acontece: o homem morre de mal súbito e a mulher fica presa sozinha algemada à cama. 

A situação é, no mínimo, desesperadora. A única companhia da mulher é um cachorro selvagem e as vozes na sua cabeça. Assombrada por memórias da infância trágica, e pelo cenário do presente, Jessie não sabe mais o que é delírio ou verdade, enquanto tenta escapar da situação. 

Com a direção é de Mike Flanagan ("Hush: A Morte Ouve" e "Ouija: Origem do Mal"), espere cenas de embrulhar o estômago. Além disso, o mais curioso nesse terror psicológico é que, apesar das aparências, essa não é uma história clichê de uma mulher tentando sobreviver; é uma narrativa intrigante e complexa também sobre desilusões, medo e o machismo que acompanhou a protagonista desde cedo. 

O ótimo elenco, formado por Carla Gugino, Bruce Greenwood ("Kingsman: O Círculo Dourado") e Henry Thomas ("ET: O Extraterrestre") ajuda ainda mais a narrativa. Talvez por isso que esteja tão bem cotado. Enquanto a crítica especializada está considerando esse como um dos melhores filmes de terror do ano, ao lado de "It", o público parece ter aprovado, já que o longa segue com 89% de aprovação no Rotten Tomatoes. 

Então, pegue sua pipoca, encontre uma companhia (acredite, você não quer estar sozinho!), e dê o play!