SORRISO NONSENSE
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
SORRISO NONSENSE
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
SORRISO NONSENSE
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

NÊMESIS

“Existem muitos tipos de leucemia, mas todos afetam os tecidos hematopoiéticos do corpo, como a medula óssea e o sistema linfático. Isso resulta em uma superprodução de glóbulos brancos anormais. Os tipos de leucemia são classificados pela rapidez com que avançam e afetam as células. O tipo diagnosticado aqui, chamado leucemia mielóide aguda...”

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Mieloide aguda
Mieloide
Aguda
Aguda
Aguda não pode ser bom.
Aguda nunca é bom.

Mieloide. Uma palavra complicada.
Carregada.
Uma carga negativa.
Essa carga que palavras perigosas geralmente carregam.

Mieloide: O perigo. Iminente.
Mas pera.
Todo dia é um perigo.
Viver é sempre perigoso.

A cidade te engole como um todo, e você têm que sempre se manter atento para não perder a sua essência.

Mas e agora que o perigo se encontra na minha essência?
É a MINHA essência quem se torna o perigo.

Caminho, todos os dias, olhando para os lados.
Cuidado ao atravessar a rua.
Cuidado para escorregar e não cair no vão do metro.
Cuidado para não ser assaltado.
Cuidado ao andar sozinha à noite.
Cuidado com estranhos nas avenidas.

E agora, Mieloide?
Como me cuido para não ter você atravessando minhas veias?
Para não ter voce escorregando e caindo entre os vãos das minhas células?
Para não ter você assaltando meus dias?
Para não ter você andando sozinha, autônoma e invencível?
Para não ter você, como O corpo estranho. Habitando lugares onde não é bem-vinda.

Como, Mieloide?
Como vivo, sabendo que agora não vou ter um segundo de sossego?
Os meus meses, meus preciosos meses.
7, ou 8.
Sabe-se lá quantos dias terei pela frente.

Me tornei uma bomba-relógio ambulante.
E não sou nem eu quem vou apertar o botão.
Só vou implodir.
Repentinamente.
Estarei, ocupada, imersa no meu próprio viver e do nada.

Puf.
Estava aqui ontem.
Agora, não mais.
Este aglomerado de células que respondia por Juliana, estará aniquilado para sempre.
Presente agora, apenas em memorias alheias.

E talvez, quem sabe, em outra dimensão.

UMA ALMA BOA NO CENTRO DA CIDADE

Julia Soicher
há 8 meses1 visualizações

direita
esquerda
direita
esquerda
inala
exala
inala
exala

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

sai lágrima

esquerda
direita
esquerda
direita
inala
exala
inala

segura
segura
segura
nao dá
olha ela ai
a lagrima
escorrendo
debochando
jogando na cara
as falhas
defeitos
a fraqueza

a caminhada diária de mais ou menos 900 metros até a estação de metro parecia interminável. o obstáculo estava em mim. preso. confinando. impermeável. impossibilitando minha simples arte de viver.

sai lágrima.
entrei.
ufs.
agora vai.
passei a catraca.
mais 8 estações.
uma baldeação.
1.200 metros.
duas ladeiras.
e estarei la.

lá.
lá... grima
merda
tem um moço me olhando

SAI DE MIM
DEIXA EU VIVER

"próxima estação: Sé. desembarque pelo lado esquerdo do trem."

"ei moça! tá tudo bem?"

bosta.
era o cara.
o de lá(grima).
que me encarava lá(grima).

*e apenas chacoalhando negativamente a cabeça soltei

f o d a s s e

lagrimalagrimalagrimalagrimalagralagrimalagrimalwbeus

e eu desabada
no colo de um estranho desconhecido
no centro da cidade

lágrima.
infinita
maldita

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
juliasoicher
[insira aqui sua opinião já formada sobre mim]