SORRISO NONSENSE
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
SORRISO NONSENSE
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
SORRISO NONSENSE
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

"SEU FACEBOOK"

Que chato. Que ruim. Que diferente. É. Diferente. É como se isso fosse uma grande lente que colocasse tudo em perspectiva. Ampliasse “você”. Suas características. Suas falhas. Suas qualidades. Eu gostaria muito de poder enxergar você assim. Como você se coloca pro mundo. Mas o que vejo através da tela não é compatível com o que está na minha frente. Não consigo sentir por você o que sinto por ele. Aquele outro ele. O pixelizado. O não materializado. Lá no campo das ideias. Mas não consigo. E odeio não conseguir. Não sei se é você que é realmente diferente. Ou eu. Se eu enxergo diferente. Ou talvez você não consiga ser essa pessoa tão pessoa perto de mim. Não sei. Nuca vou saber. Talvez um dia tivesse vontade de descobrir. E talvez um dia eu até descubra. Mas por hora me contento com o mistério de te admirar a distância.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

VSCO

Quando foi passado para nós, como sala, a ideia de um diário de bordo, algo instantaneamente se despertou em mim.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

O registro (quase) diário dessa jornada, realmente, era mágico.
A intensidade do nosso próprio viver ganhando vida. Cores.
É, acho que foram as cores.

Instantaneamente pensei nos filtros.
Aqueles, usados para corrigir, ajustar, e melhorar a foto. Torna-la viável para ser jogada no abismo do mundo virtual.
Mas não. Não era isso.

Esses mesmos responsáveis pela “vida editada”, pela imagem criada por nós, de nós, eram tão poderosos.
Decidi tomar outro rumo.
Ser diferente.
Só pra variar, ser “do contra” e tornar as coisas um pouquinho mais soicher.

Traduzi (ou tentei), tudo que sentia nesses dados momentos em cor: tcjarã. Filtros. Dessa vez, usados para “o bem”.
Vivendo aquele velho cliché de que fotos falam mais que mil palavras criei um VSCO.
Rede social, utilizada meramente como ferramenta.

O mais perto que cheguei de traduzir essa visão distinta que eu sentia que tinha do cotidiano.
Toda valorização do detalhe sempre presente e tao fortemente enraizada, finalmente traduzida para mundo, em apenas um click.

Sou uma pessoa de palavras. Sempre fui. Compreender e transpassar o sentimento sempre foi sinônimo de escrever.
Mas dessa vez não. Minha jornada.
Essa coleção de memórias.
Compilação de tudo que vivi (nesses meses de experiência) , pela primeira vez se deu em imagens.

Assim nasceu meu VSCO. Como um simples trabalho final de semiótica, se tornou fundamental.
Instrumento terapêutico.
O responsável por me mostrar que palavras, apesar de dizerem, e falarem, nem sempre transmitem.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
juliasoicher
[insira aqui sua opinião já formada sobre mim]