BEM-ESTAR

5 dicas para tirar melhor proveito da academia e não enjoar

Lilis Sobral
Author
Lilis Sobral

Evite entrar no piloto automático da musculação e consiga resultados constantes

5 dicas para tirar melhor proveito da academia e não enjoar

Imagem: Pexels

Combinar musculação e exercícios aeróbicos pode ser muito positivo para vários objetivos. Investir em treinos na academia ajuda a perder peso, ganhar massa magra e evitar o temido efeito sanfona.

O problema é que nem sempre é fácil manter a motivação em meio aqueles aparelhos que mais parecem instrumentos de tortura. Além do que, ficar seguindo sempre o mesmo roteiro pode fazer com que o corpo, tão entediado quanto nós mesmos, deixe de obter bons resultados.

Se por algum motivo você optou por entrar no mundo das anilhas e alteres, mas precisa de forças para continuar nele, seguem algumas dicas valiosas para não perder a motivação.

1 – Faça HIIT na esteira

Ao invés de passar 20,30,40 minutos na esteira em um mesmo ritmo, use treinos de HIIT (high-intensity interval training) para gastar mais calorias e variar o aeróbico.

O palavrão do nome assusta, mas a lógica é simples. HIIT é a técnica que mistura períodos curtos de exercício com uma super intensidade, com períodos de descanso ativo.

Na esteira, os sprints (momento em que você corre realmente rápido) de 30 segundos a 1 minuto podem ser intercalados com 1 minuto de caminhada rápida. Os professores podem te ajudar a montar uma sequência.

2 – Aeróbico entre aparelhos

Se o seu objetivo é queimar gordura, uma boa dica é separar os aparelhos de musculação em blocos de, mais ou menos, três exercícios e acrescentar entre eles cinco minutos de aeróbico. Pode ser tanto nos aparelhos tradicionais, como opções tão divertidas quando pular corda. Assim você vai manter os batimentos lá em cima e ter a sensação de movimento durante o treino todo, sem chance para monotonia das repetições automáticas.

3 – Dia do abdômen

Se só o nome abdominal já te causa arrepios, encare ele de frente. Ao invés de fazer um pouco todo dia, que tal incluir um treino exclusivo para a região? Assim, você teria três treinos por semana: superiores, inferiores e abdominais. No início vai ser difícil e o abdômen vai doer que só. Mas depois de um tempo, a atenção especial vai render resultados mais duradouros.

4 – Circuito funcional

O problema dos aparelhos aeróbicos da academia (esteira, bicicleta, transport...) é que eles têm sempre a mesma vista monótona. Todo dia você vai encarar a mesma parede, ou a mesma janela, ou a mesma tela de televisão.

Para escapar desse ciclo sem fim de chatice, que tal montar um circuito inspirado nas técnicas de funcional para intercalar com os aparelhos? A ginástica funcional queima muitas calorias e ajuda a fortalecer os músculos, um complemento perfeito para a musculação.

As academias dispõem de steps, pesos livres, corda para pular e elásticos, que são elementos que podem ser usados na técnica. Como a ideia é poder praticar sozinho, não precisa ser um circuito longo como o de uma aula completa, mas apenas uma coleção de técnicas para substituir a esteira de vez em quando.

5 – Treinos intermitentes

É muito comum que os adeptos da musculação, especialmente de primeira viagem, tenham um único treino para membros inferiores e outro para superiores. Ao invés de adotar só duas opções, experimente montar quatro (dois para cada região) e intercale semanalmente.

A dica evita aquele efeito do piloto automático, que acontece quando já decoramos uma sequência e deixamos de prestar atenção no peso e repetições. Além de fazer com que o treino perca a eficiência, essa rotina pode ser perigosa por conta da falta de atenção.