BELEZA

Maquiagens são risco para saúde? Estudos desvendam mitos e verdades

Autor

Uma análise recente do Inmetro desmentiu boatos sobre a presença de chumbo nos batons vendidos no Brasil

Maquiagens são risco para saúde? Estudos desvendam mitos e verdades

(Imagem: Pexels)

Os riscos que maquiagens e cosméticos podem trazer para a saúde ainda causam preocupação nas consumidoras que não abrem mão de produtos de beleza modernos.

Entre mitos e verdades sobre o tema, alguns estudos alertam que quanto mais cedo os produtos de maquiagem começam a serem usados, maiores são os riscos.

Uma pesquisa do instituto americano Environmental Working Group (EWG), por exemplo, foi uma das primeiras a trazer o alerta. O grupo identificou que o acúmulo de componentes químicos de algumas maquiagens, como ftalatos, triclosan e parabenos, acontecia em um nível relevante em meninas de 14 a 19 anos nos Estados Unidos, trazendo potenciais prejuízos até para o desenvolvimento hormonal dessas garotas.

Apesar de estudos como esse, os efeitos que maquiagens e cosméticos podem trazer ao corpo humano ainda geram mais dúvidas do que respostas. Uma das perguntas mais comuns sobre o tema é sobre a presença de chumbo em batons e o risco que causa à saúde.

O componente tende a se acumular no corpo e seu efeito é tóxico, podendo gerar diversas alterações em órgãos vitais e até câncer.

Uma nova pesquisa do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), porém, mostrou que as principais marcas de maquiagem vendidas no Brasil produzem seus batons com um nível seguro de chumbo.

O instituto decidiu investir no estudo após diversas mensagens de consumidoras chegarem à sua ouvidoria, questionando informações que circulavam em redes sociais sobre suposta alta concentração de chumbo nos batons, dizendo que o componente poderia causar câncer. Como o chumbo se acumula no corpo com o tempo, a dúvida que surge é se a aplicação frequente e diária de batons pode representar risco da saúde, o que o Inmetro afirma que não.

Segundo o resultado da pesquisa, a tendência é que o produto vendido no país tenha um nível máximo de chumbo menor que 5 mg/kg, sendo que a maioria possui um teor máximo de 1 mg/kg.

O teste foi feito com 15 grandes marcas: Avon (linha Ultra Color), Contém 1g, Dailus (Pop Art), Jasmyne, MAC (Matte Lipstick), Maybelline (Colorsensational), Natura (Faces), O Boticário (Make B), Oceane (Ale de Souza), Payot (Colors Up), Quem disse, Berenice?, Revlon (Colorburst), Sephora, Tracta (HD) e Vult.

Apesar de dizer que a preocupação é genuína, o instituto garantiu que informações que circulam em redes sociais sobre o risco de usar batons são boatos.

Ainda que algumas pesquisas como essa tragam mais segurança, segue crescendo o interesse em procurar alternativas de beleza mais naturais. O movimento mais conhecido talvez seja o low e no poo, que se aplica ao cuidado com os cabelos.

Mas a busca por maquiagens orgânicas, veganas e naturais também aumenta. Nesse sentido, vale a pena desvendar alguns mitos ainda envolvam esses produtos.