Saúde e suor
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Saúde e suor
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Saúde e suor
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

5 dicas para tirar melhor proveito da academia e não enjoar

Lilis Sobral
há 25 dias2.7k visualizações

Evite entrar no piloto automático da musculação e consiga resultados constantes

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
5 dicas para tirar melhor proveito da academia e não enjoar

Imagem: Pexels

Combinar musculação e exercícios aeróbicos pode ser muito positivo para vários objetivos. Investir em treinos na academia ajuda a perder peso, ganhar massa magra e evitar o temido efeito sanfona.

O problema é que nem sempre é fácil manter a motivação em meio aqueles aparelhos que mais parecem instrumentos de tortura. Além do que, ficar seguindo sempre o mesmo roteiro pode fazer com que o corpo, tão entediado quanto nós mesmos, deixe de obter bons resultados.

Se por algum motivo você optou por entrar no mundo das anilhas e alteres, mas precisa de forças para continuar nele, seguem algumas dicas valiosas para não perder a motivação.

1 – Faça HIIT na esteira

Ao invés de passar 20,30,40 minutos na esteira em um mesmo ritmo, use treinos de HIIT (high-intensity interval training) para gastar mais calorias e variar o aeróbico.

O palavrão do nome assusta, mas a lógica é simples. HIIT é a técnica que mistura períodos curtos de exercício com uma super intensidade, com períodos de descanso ativo.

Na esteira, os sprints (momento em que você corre realmente rápido) de 30 segundos a 1 minuto podem ser intercalados com 1 minuto de caminhada rápida. Os professores podem te ajudar a montar uma sequência.

2 – Aeróbico entre aparelhos

Se o seu objetivo é queimar gordura, uma boa dica é separar os aparelhos de musculação em blocos de, mais ou menos, três exercícios e acrescentar entre eles cinco minutos de aeróbico. Pode ser tanto nos aparelhos tradicionais, como opções tão divertidas quando pular corda. Assim você vai manter os batimentos lá em cima e ter a sensação de movimento durante o treino todo, sem chance para monotonia das repetições automáticas.

3 – Dia do abdômen

Se só o nome abdominal já te causa arrepios, encare ele de frente. Ao invés de fazer um pouco todo dia, que tal incluir um treino exclusivo para a região? Assim, você teria três treinos por semana: superiores, inferiores e abdominais. No início vai ser difícil e o abdômen vai doer que só. Mas depois de um tempo, a atenção especial vai render resultados mais duradouros.

4 – Circuito funcional

O problema dos aparelhos aeróbicos da academia (esteira, bicicleta, transport...) é que eles têm sempre a mesma vista monótona. Todo dia você vai encarar a mesma parede, ou a mesma janela, ou a mesma tela de televisão.

Para escapar desse ciclo sem fim de chatice, que tal montar um circuito inspirado nas técnicas de funcional para intercalar com os aparelhos? A ginástica funcional queima muitas calorias e ajuda a fortalecer os músculos, um complemento perfeito para a musculação.

As academias dispõem de steps, pesos livres, corda para pular e elásticos, que são elementos que podem ser usados na técnica. Como a ideia é poder praticar sozinho, não precisa ser um circuito longo como o de uma aula completa, mas apenas uma coleção de técnicas para substituir a esteira de vez em quando.

5 – Treinos intermitentes

É muito comum que os adeptos da musculação, especialmente de primeira viagem, tenham um único treino para membros inferiores e outro para superiores. Ao invés de adotar só duas opções, experimente montar quatro (dois para cada região) e intercale semanalmente.

A dica evita aquele efeito do piloto automático, que acontece quando já decoramos uma sequência e deixamos de prestar atenção no peso e repetições. Além de fazer com que o treino perca a eficiência, essa rotina pode ser perigosa por conta da falta de atenção.

Como se livrar do efeito sanfona - de um jeito saudável

Lilis Sobral
há 2 meses3.8k visualizações

Devagar e sempre, é possível cuidar do corpo e manter as conquistas

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Como se livrar do efeito sanfona - de um jeito saudável

Flickr / franchise opportunities

Se tem uma expressão que quem vive de dieta conhece, esta é “brigar com a balança”. As idas e vindas do peso se transformam, até no nome, numa batalha. Mas não precisa ser assim.

Com um pouco de paciência – e muito amor ao corpo – dá para identificar o que está causando em você o tal do efeito sanfona e minimizar bastante – ou até eliminar – o espaço que ele tem na sua vida.

Escolha uma dieta sustentável
Sabe aquela história de que o que vem fácil, vai fácil? Pois é. O método escolhido para emagrecer tem tudo a ver com o por quanto tempo você vai conseguir manter um peso saudável.

Uma dieta bastante restritiva com certeza vai eliminar quilos extras mais rapidamente. Porém, será muito mais difícil de manter e, ao final, existe uma grande chance das tais “recaídas” ficarem mais frequentes e você voltar ao peso antigo.

Considere fazer reeducação alimentar ao invés de dieta. De preferência, com um nutricionista ou outro tipo de apoio profissional por perto, como os grupos de apoio especializados. Talvez você precise de alguns meses a mais para alcançar seu objetivo, mas aprender a comer de maneira saudável, sem exageros e sem passar vontades, é um ensinamento mais fácil de levar para a vida inteira.

Pratique exercícios
Sim, é aquela velha história. Mas a questão é que muita gente pega pesado na atividade durante o processo de emagrecimento e, uma vez atingido o peso almejado, larga de vez a prática esportiva.

Ao invés disso, procure um exercício que você realmente se identifique e comprometa-se com um objetivo real de frequência para manter esse hábito para o resto da vida (e não só pela dieta).

Considere fazer musculação

Puxar ferro ajuda a diminuir o efeito sanfona. Isso porque a musculação acelera o processo de substituição da gordura pela massa magra (músculos) no corpo. Mas atenção: quem investe na musculação vê o número da balança aumentar bastante (porque músculo é pesado), ainda que as medidas fiquem menores. Então se optar por investir no exercício, não caia no erro de depositar sua atenção apenas nos quilos.

Escolha um objetivo possível
Ser saudável é ser realista. Para definir o tal do “peso ideal” não podemos nos basear nas musas fit do Instagram, modelos ou atrizes. A rotina (e, provavelmente, o metabolismo) destas mulheres tem particularidades e características que certamente são diferentes das suas. Tudo isso, com o perdão do trocadilho, deve ser pesado na balança. Trace uma meta que seja realmente possível, respeitando seu estilo de vida, altura e saúde.

Visite seu médico

Se você está com alimentação em dia e conseguiu dizer não ao sedentarismo, mas, mesmo assim, o peso não acompanha seu novo estilo de vida, algo mais profundo pode estar acontecendo. Várias doenças e síndromes, como o hiper e hipotireoidismo, por exemplo, podem mexer com nosso corpo e nos levar a engordar ou emagrecer muito, independente dos hábitos saudáveis. Se é seu caso, procure um médico e mantenha as consultas em dia.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
lilis.sobral
Jornalista que gosta de escrever textos como conversa na mesa de um bar.