Saúde e suor
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Saúde e suor
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Saúde e suor
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

7 dicas para ser feliz e saudável comendo marmita

Lilis Sobral
há 2 meses12.2k visualizações

Quantas vezes só em 2017 você já prometeu cuidar da saúde de dentro para fora e começar a comer melhor?

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
7 dicas para ser feliz e saudável comendo marmita

Crédito: Flickr / blairwang

A correria do dia a dia, as tentações daquele “quilão” com a turma do escritório e até o bolso muitas vezes ficam no caminho de quem quer cuidar da alimentação sem passar fome nem vontade.

Para resolver de vez os seus dilemas, separamos 7 dicas para acertar na hora de fazer marmita e assumir o controle sobre o que você come.

Bom apetite!

1 - Separe a salada e legumes frios dos pratos quentes

A marmita de amanhã está pronta? Ainda dá tempo! Digite marmita na busca do site Panelinha (panelinha.com.br).

A post shared by Editora Panelinha (@editorapanelinha) on

Pode parecer uma dica óbvia. Mas como há modelos de marmita que têm várias divisórias dentro de um mesmo recipiente, é comum que as pessoas montem o prato inteiro ali dentro. Porém, além de ficar mais fácil dispor tudo no prato na hora do almoço, separar os alimentos assim conserva as folhas mais fresquinhas.

Uma dica é investir nas saladas em potes. Use recipientes de conserva para deixar a salada pronta, com o molho lá no fundo, por até sete dias na geladeira (e sem murchar!). Na hora de servir, é só agitar o pote e colocar no prato.

2 – Aliás, use pratos

A copa, cozinha ou refeitório das empresas quase sempre fornecem talheres, bowls e pratos. Às vezes, na pressa (ou preguiça de lavar a louça depois), é grande a tentação de comer dentro da própria marmita.

A questão é que aquela história de “comer com os olhos” é muito verdade.

Montar um prato bonito ajuda a comer mais lentamente, o que mantém por mais tempo a sensação de saciedade.

3 - Invista em acessórios

Podem ser recipientes de plástico da sua cor preferida, o famoso bentô japonês ou bolsas térmicas que combinem com seus looks, não importa. Gaste um tempo para escolher artigos que você goste para transportar sua marmita e, assim, manter sua empolgação.

4 - Pense na quantidade

Dependendo do recipiente escolhido, o espaço para colocar o prato quente pode ser muito pequeno para a fome de quem vai precisar energia para encarar o segundo tempo do trabalho. Lembre-se do tamanho da sua fome na hora de acomodar sua marmita.

5 - Abuse do freezer

Monte uma lista de receitas que continuam boas após congeladas. Assim, você pode cozinhar grandes quantidades de uma única só vez e preparar o almoço da semana inteira em apenas poucas horas de um dia. Risoto, por exemplo, é uma delícia, mas não é a comida mais amigável quando o assunto é marmita.

6 - Convoque os amigos

Tudo fica mais fácil quando temos fiéis escudeiros por perto. Que tal propor para os amigos um dia especial para todos levarem marmita? Ou sugerir uma brincadeira simples, na qual vocês trocam a quentinha uma vez por semana e surpreendem os amigos.

7 - Inspire-se

Marmita está na moda e o que não faltam são imagens bonitas pela internet e pessoas dando receitas espertas para quem gosta de comer o que prepara. Use o Pinterest, Instagram e YouTube para buscar ideias específicas ou até mesmo para bater o olho naquelas fotos produzidas de marmitas preparadas. 

7 dicas para escolher um exercício e começar já

Lilis Sobral
há 2 meses9.3k visualizações

O discurso, todo mundo já decorou: praticar exercícios é fundamental para a saúde.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
7 dicas para escolher um exercício e começar já

Atividade física ajuda a aumentar a disposição, controlar o peso e manter o corpo e a mente em dia. E dá para ir mais longe: segundo a ciência, a prática de exercícios físicos é ingrediente fundamental da “receita da felicidade”.

Só esqueceram de contar um detalhe: nem todo mundo nasceu uma musa fitness. 

A boa notícia é que não faltam opções para mexer o corpo. Mas por onde começar? Seguindo estas dicas! Com elas, aumentam as chances de encontrar um exercício apaixonante e – acredite – ser feliz com ele.

Vai sozinha ou acompanhada?

4E28D014-C74B-4C11-9761-177E0F54CAA4
4E2DB745-19DC-4D54-BEBD-E390DDDF5678

O primeiro passo para escolher um esporte que seja sua cara é pensar se você quer que este seja um momento só seu ou se prefere unir-se a um pessoal para ter um incentivo.

Considere que dá dividir suas opções em, basicamente, três categorias:

-Para praticar sozinha (ex: corrida, caminhada e musculação)

-Para praticar ao lado de outras pessoas (ex: CrossFit ou funcional)

-Para praticar em duplas ou equipes (ex: vôlei, futebol e basquete)

Quer pagar quanto?

Pense no quanto você pode gastar para começar e para manter sua atividade.

A corrida de rua, por exemplo, exige um bom tênis, que às vezes pode sair muito caro. Porém, dispensa a mensalidade de uma academia e isso compensa no final das contas.

Agora, se ideia é virar a próxima Serena Williams, lembre-se que esportes como o tênis envolvem uma longa lista de compra. Neste caso específico: raquetes, sapatos apropriados, bolinhas aos montes, aluguel de quadra e até a taxa de gandula.

Ar livre ou ar condicionado?

Entrar em contato com a natureza, desfrutar de um belo dia de sol e respirar ar puro é lindo, é muito bom. Mas tem gente que, na hora de suar a camisa, prefere um ambiente mais estruturado, com ar condicionado, banheiro e bebedouro disponível. Identificar em qual das duas turmas você está é fundamental para escolher a categoria dos sonhos.

Se você é do grupo que prefere se exercitar em baixo de um teto, lembre-se que a musculação não é sua única opção: tem dança, pilates, ginástica funcional e natação, por exemplo.

Se você prefere praticar atividades ao ar livre, uma boa ideia é buscar vídeos que te ajudem a experimentar modalidades. Tipo estes dois aqui, do Ricardo Baldin e Vitor Bento ensinando Funcional Fight:

Não tenha medo de experimentar

Quase toda academia, escola ou professor topa dar aulas experimentais gratuitas ou muito baratas para quem quer conhecer uma modalidade nova. Se a possibilidade está lá, é para ser usada, acredite!

Chega de vergonha: se quer provar algo novo, tem todo direito de ir fazer aulas sem compromisso. Proposta: separe um mês para fazer uma experimental por semana.

Aliás, mesmo depois de já ter escolhido um esporte para chamar de seu, também é importante testar lugares diferentes para a prática, pois ele tem influência direta na sua motivação.

Converse

Conte para todos os seus amigos e amigas sobre sua saga em busca da atividade física perfeita. Hoje em dia existem tantas modalidades que uma pesquisa rápida na internet não vai te revelar alguns tesouros escondidos. Sua paixão pode nem sempre ser a mais óbvia.

Trace metas

E suas metas não precisam ser do tipo “ganhar dois quilos de massa muscular” ou “perder dez quilos em cinco meses”. Aliás, quanto mais realista e menos ligada apenas à forma física, melhor.

Sua meta pode ser “ter mais energia para encarar o dia de trabalho”, ou “preparar o corpo para dançar a noite inteira na balada e continuar em pé no dia seguinte”. O importante é ter um objetivo claro para te incentivar e uma atividade que combine com ele.

Não transforme numa obrigação 

7 dicas para escolher um exercício e começar já

É mais ou menos como um relacionamento. Se você amou alguma atividade por muitos anos, mas ela não te faz mais feliz, hora de reavaliar. O importante é manter as atividades muito mais na área do hobby do que da tarefa. 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
lilis.sobral
Jornalista que gosta de escrever textos como conversa na mesa de um bar.