CIÊNCIA

Cientistas criam intestino de rato usando células-tronco

Autor

Método pode ser usado, no futuro, para construir órgãos humanos em laboratório

Cientistas criam intestino de rato usando células-tronco

(Foto: Divulgação/Kentaro Kitano)

Lembra daquele filme "O Homem Bicentenário”, no qual um robô humanoide interpretado por Robin Williams dá um jeito de criar órgãos em laboratório e os implanta em si mesmo, transformando-se num humano? Pois a comunidade científica leva o assunto bem a sério.

Vários estudos já mostram ser possível criar partes do corpo, como dentes, bexiga e até coração, usando células-tronco. Nada disso ainda é perfeito e pronto para uso nos hospitais, é claro. Mas um grande passo foi dado nesta semana, quando bioengenheiros anunciaram no jornal Nature Communications terem conseguido criar intestinos de rato.

Os cientistas usaram, no procedimento, partes do órgão do roedor (cerca de 1,6 centímetro) combinadas com células-tronco de humanos, que são capazes de se transformar em células de qualquer tecido e seguir se desenvolvendo.

De acordo com os pesquisadores, o pequeno intestino conseguiu transferir nutrientes de maneira satisfatória e funcionou normalmente por quatro semanas, até ser transplantado para um rato. Agora eles estão observando quanto tempo o órgão vai durar, para então continuar a pesquisa e repetir a técnica em animais maiores.

A comunidade médica considera muito difícil se construir rins artificiais, devido à alta vascularização desse órgão e da arquitetura complexa do tecido. É o contrário da pele e da cartilagem, que já podem ser reconstruídas em seres humanos com substitutos bioartificiais.

A técnica de construção do intestino dos ratos pode ser usada, no futuro, nesse e em outros órgãos humanos como alternativa ao transplante. Isso diminuiria consideravelmente as filas de espera por órgãos e resolveria também problemas de rejeição por parte dos pacientes transplantados.