TECNOLOGIA

Copa terá transmissão em 4K e 360 graus, mas pouca gente vai ver

Autor

Jogos em Ultra HD e realidade virtual devem chegar somente aos 5% dos brasileiros que têm internet acima de 25 Mbps

Copa terá transmissão em 4K e 360 graus, mas pouca gente vai ver

(Imagem: Creative Commons)

2010 prometia ser a Copa do 3D, mas quase ninguém viu imagens tridimensionais do lesionado Kaká tentando levar a seleção de Dunga nas costas. A tecnologia era muito cara e, sete anos após o Mundial da África do Sul, está morta e ultrapassada.

Para 2014, a promessa já era o 4K, porém a vergonha do 7 a 1 foi televisionada mesmo em full HD - houve apenas testes com o chamado ultra HD na ocasião. A expectativa era de que, em 2018, a bola rolasse na altíssima resolução, mas parece que não vai dar.

O SporTV já anunciou que vai transmitir todos os jogos em 4K (a própria Fifa será a responsável pela captação das imagens). Mas o canal deve disponibilizar o conteúdo somente num aplicativo instalado nos televisores da Samsung. Outros serviços sob demanda também devem oferecer reprises dos jogos em 360 graus, para experiência com óculos de realidade virtual. Mas assistir a essas partidas, em ambas as tecnologias, vai demandar conexão à internet de alta capacidade.

Quer dizer, alguns poucos privilegiados devem acompanhar Neymar tentando sua redenção na Rússia em ultra HD. Mas eles estarão entre os menos de 5% da população brasileira que possuem banda larga com velocidade superior a 25 Mbps (informação do Comitê Gestor da Internet no Brasil).

Esse não é o único problema. Hoje menos de 10% dos compradores de TV no país investem num modelo com essa resolução, segundo a consultoria Gfk. O preço médio de R$ 3,4 mil é proibitivo, e a baixa produção de conteúdo em 4K também não empolga.

Soma-se a isso o fato de a maior parte dos filmes e séries em altíssima resolução estar disponível apenas em plataformas de streaming, como Netflix e Amazon. Nem a TV aberta nem os canais a cabo estão fazendo transmissões nesse padrão. Após a revolução que foi o 1080p, eles não conseguiram acompanhar a evolução tecnológica para produzir ou distribuir conteúdo em 4K - é maluco pensarmos que as fabricantes já estão testando modelos de 8K.

De acordo com informações do jornal O Estado de S. Paulo, a Sony tenta fechar parceria com uma emissora de TV aberta para distribuir os jogos da Copa em 4K de alguma forma. E a Net também diz que transmitirá as partidas com a tecnologia, mas não sabe exatamente como. Isso exigirá uma troca de decodificador por parte dos clientes, e o torneio começa em pouco mais de seis meses. Vai dar tempo?

Ou seja: com poucas exceções, o brasileiro vai assistir à próxima Copa do Mundo com uma tecnologia velha. Vamos ver se a coisa melhora até 2022.