TECNOLOGIA

Rival do Uber, Lyft oferece corridas com carros autônomos

Autor

Startup coloca na rua sua primeira frota sem motoristas em Boston, nos EUA

Rival do Uber, Lyft oferece corridas com carros autônomos

(Foto: Divulgação/nuTonomy)

Se você estiver em Boston, nos Estados Unidos, e pedir um carro da Lyft (um dos grandes concorrentes do Uber no mundo), não se assuste se ele vier sem motorista. Quer dizer, pode até haver um cara sentado atrás do volante, mas ele não vai propriamente dirigir - estará ali apenas para garantir que o veículo-robô não vai fazer nenhuma barbeiragem durante os testes da tecnologia na cidade.

A nova frota de carros autônomos da Lyft está circulando pelo distrito de Seaport, um crescente pólo de tecnologia no país. A ideia é acelerar o desenvolvimento e ganhar terreno enquanto o Uber perde mercado nessa onda de escândalos pela qual vem passando: queixas de motoristas quanto aos valores pagos, denúncias de assédio sexual e, mais recentemente, o fato de a empresa ter escondido um roubo de dados que afetou 57 milhões de contas.

Quem fabrica os veículos sem motorista da Lyft é a startup nuTonomy, que foi comprada recentemente pela Delphi, uma fabricante de peças e sistemas automotivos. Esses carros já têm circulado por Boston desde janeiro, mas agora, nessa parceria com o aplicativo de caronas, o objetivo é expandir a área de testes e receber feedback dos usuários para melhorar a tecnologia.

A Lyft também tem parceria esquematizada com a Drive.ai (para colocar táxis autônomos em São Francisco) e outros acordos para mais testes com Ford e Waymo, a divisão de carros inteligentes do Google.

Em sua maré de azar e problemas de gestão, o Uber tem enfrentado várias ocorrências com os carros autônomos que colocou para rodar nos Estados Unidos, incluindo as frotas de táxis em Pittsburgh e Phoenix. Esses veículos se envolveram em uma série de acidentes e infrações de trânsito. Isso sem contar o processo que a companhia está levando da Waymo por um suposto roubo de segredos de seus automóveis.

Enquanto isso, a concorrente Lyft vai se aproveitando: recebeu US$ 1 bilhão de investimentos do próprio Google dois meses atrás e vai fechando parcerias importantes com montadoras e empresas de tecnologia para sair na frente quando os carros autônomos se tornarem uma realidade para além dos testes.