CINEMA

8 momentos super feministas do 'Globo de Ouro' 2018

Autor
8 momentos super feministas do 'Globo de Ouro' 2018

Imagem: Reprodução/Youtube NBC

A noite de premiação do Globo de Ouro de 2018, transmitida pela TNT, foi marcada por inúmeras manifestações feministas, principalmente contra assédio e abuso sexual na indústria, e a favor da igualdade salarial de gêneros. E depois dos acontecimentos dos últimos meses em Hollywood, não poderia ser diferente. Confira abaixo os momentos mais feministas do evento.

1 - Quando todas as atrizes usaram preto em protesto

8 momentos super feministas do 'Globo de Ouro' 2018

Imagem: Twitter

Depois das inúmeras denúncias de assédio em Hollywood, as atrizes decidiram dar um basta e criaram o movimento "Time's Up" - que significa algo como "já é hora". Elas montaram também uma entidade que angaria fundos para dar apoio legal a vítimas de assédio, e aproveitaram a noite para juntar doações entre os ricos e famosos. Para chamar atenção ao movimento, as mulheres decidiram usar preto durante a cerimônia, o que causou um enorme impacto visual. No fim das contas, os homens também resolveram aderir ao protesto e usar roupas pretas, mas isso não fez nenhuma diferença, levando em conta que 99% dos smokings já são pretos... Melhorem, homens.

2 - Quando o date virou ativismo

8 momentos super feministas do 'Globo de Ouro' 2018

Imagem: Instagram

Como parte do protesto, algumas atrizes resolveram também que, no lugar do tradicional acompanhante, que geralmente é o marido ou um familiar, levariam mulheres que são ativistas de causas feministas para a cerimônia. Meryl Streep levou Ai-jen Poo, líder da Aliança Nacional de Trabalhadoras Domésticas dos Estados Unidos. Susan Sarandon levou Rosa Clemente, presidente e fundadora da ONG  Know Thy Self. Amy Poehler levou Saru Jayaraman, diretora do Food Labor Research Center. Michelle Williams levou Tarana Burke, fundadora do movimento #metoo. Emma Watson levou Marai Larasi, diretora da Imkaan, ONG britânica que ajuda mulheres negras e de outras minorias. Emma Stone levou a mulher que ela interpretou no cinema, a lenda do tênis Billie Jean King. E Laura Dern levou Monica Ramirez, fundadora da Alianza Nacional de Campesinas.

3 - Quando atrizes criticaram o machismo do canal E! NO PRÓPRIO CANAL E!

8 momentos super feministas do 'Globo de Ouro' 2018

Imagem: Reprodução/Canal E!

Há algumas semanas uma importante apresentadora do canal E! nos Estados Unidos, Catt Sadler, pediu demissão ao descobrir que seu colega, que trabalhava no mesmo cargo, ganhava o dobro do salário, que o canal se recusou a equiparar. Durante as entrevistas do Tapete vermelho, ao vivaço, três atrizes mencionaram o ocorrido e repreenderam o canal. Debra Messing, estrela de "Will & Grace", disse que sentia falta de Catt. "Já é hora! E nós queremos diversidade, queremos equidade de gênero interseccional, queremos salários equivalentes. E eu fiquei muito chocada ao descobrir que o canal E! não acredita em pagar mulheres do mesmo jeito que paga os homens", disse ela, diante da repórter Giuliana Rancic, que concordou constrangida. Além de Debra, Sarah Jessica Parker e Laura Dern também tocaram no assunto ao vivo.

4 - Amy Poehler interagindo com o discurso de Seth Meyers

Em seu excelente monólogo de abertura, Seth Meyers acertou o tom entre humor e crítica, e pegou bem pesado com os assediadores, principalmente Harvey Weinstein e Kevin Spacey. Em um momento do monólogo ele sugeriu algumas piadas para membros da audiência que fazem parte de minorias, entre eles Amy. A atriz e humorista não deixa barato e diz que não precisa de Seth para ajudá-la a contar piadas, dizendo que ele estava fazendo o famoso mansplaining. Claro que a interação era uma brincadeira combinada, mas ajudou a acertar o tom da noite.

5 - Discursos de aceitação politizados

Entre as séries indicadas, duas se destacaram pelo tema muito pertinente ao momento. "The Handmaid's Tale", que fala de um futuro distópico em que mulheres são escravas reprodutivas, e "Big Little Lies", que mostra assuntos controversos, como violência doméstica e estupro. Ambas excelentes. Nicole Kidman, que ganhou o prêmio de Melhor Atriz em Minissérie de Drama por "Big Little Lies", lembrou o movimento #MeToo: "Eu acredito e espero que nós podemos causar mudança através das histórias que contamos e da maneira que as contamos. Vamos manter essa conversa viva!". Elisabeth Moss, que ganhou o prêmio de Melhor Atriz em Série Dramática por "Handmaid's Tale", lembrou a escritora feminista Margaret Atwood, que escreveu o livro que inspirou a série. "Nós não vivemos mais nas margens em branco nas bordas dos livros. Nós não vivemos mais nos espaços entre as histórias. Nós somos as histórias nos livros e nós estamos escrevendo as histórias nós mesmas", disse ela.

6 - A cutucada de Natalie Portman

Um dos pontos mais criticados do Globo de Ouro deste ano foi a falta de mulheres indicadas nas categorias que não são de atuação, apesar de termos tido filmes muito aclamados dirigidos por mulheres durante o ano. Um desses filmes, "Lady Bird, A Hora de Voar", levou o prêmio de Melhor Filme ontem, mas sua diretora, Greta Gerwig, não apareceu nas indicações. Na hora de apresentar a categoria de Melhor Diretor, a atriz Natalie Portman aproveitou e deu uma cutucada bem direta: "Aqui estão os indicados, todos homens". O comentário foi ainda mais afiado por vir logo depois do maravilhoso discurso de Oprah Winfrey. 

7 - O recado de Barbra Streisand

Convidada para apresentar o maior prêmio da noite, a estrela Barbra Streisand, única mulher a ser premiada no Globo de Ouro como Melhor diretora, mostrou sua indignação. "Eu estava nos bastidores e ouvi que eu fui a única a mulher a ganhar o prêmio de Melhor Diretora. Eu ouvi isso direito? E, sabe, isso foi em 1984, há 34 anos. Pessoal, JÁ É HORA! Precisamos de mais mulheres diretoras, e mais mulheres sendo indicadas para Melhor Diretora. (...) Eu estou muito orgulhosa de estar no mesmo lugar que essas pessoas falando contra desigualdade de gênero, abuso sexual, e a mesquinhez que assola nossa política", mencionou a cantora, atriz e diretora.

8 - O discurso de Oprah Winfrey

 Oprah é uma das mulheres mais talentosas, queridas, ricas e poderosas do mundo. Ela construiu sozinha um império e uma reputação incomparáveis, e finalmente teve seu reconhecimento pela contribuição ao entretenimento sendo a primeira mulher negra a receber o prêmio Cecil B. DeMille pelo conjunto da obra. Em seu discurso emocionante, Oprah mostrou por que é considerada uma das maiores oradoras do mundo, e fez todo mundo chorar, lembrando da luta das mulheres negras e de como a indústria ainda tem muito o que melhorar. "Quero que todas as garotas em casa assistindo, aqui e agora, saibam que um novo dia está no horizonte! E quando este novo dia finalmente raiar, será porque várias mulheres magníficas, muitas delas presentes aqui hoje, lutaram duro para ter certeza de que elas se tornariam as líderes que nos levam a uma época em que ninguém mais precisa dizer 'Eu também' novamente."

Confira o discurso completo e legendado aqui: