Coluna -Por que precisamos de feminismo?
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Coluna -Por que precisamos de feminismo?
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Coluna -Por que precisamos de feminismo?
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

5 maneiras da sua empresa comemorar o Dia da Mulher sem ser machista

Micheli Nunes
há 7 meses133 visualizações
5 maneiras da sua empresa comemorar o Dia da Mulher sem ser machista
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

O dia 8 de Março tem algumas tradições péssimas que estão gradualmente caindo em desuso, mas uma delas parece que realmente não vai acabar tão cedo: as "homenagens" de algumas empresas para suas funcionárias. Já trabalhei em empresas que promoviam ações vazias, como dar flores, balões e chocolates, e até ofensivas, como dar esmaltes, batons e "sessões de cuidados com a pele". 

Presentinhos condescendentes e produtos de beleza podem até parecer um agrado inofensivo, mas revelam a profunda ignorância da empresa sobre a data e a maneira como enxergam mulheres e suas prioridades. Esse tipo de ação mostra que as funcionárias são vistas como um enfeite, que precisam estar sempre bonitas arrumadas, não como membros essenciais da equipe. Mas nem tudo está perdido. É possível comemorar de maneira consciente, que traga reais benefícios para as "colaboradoras".

1. Promova a data com informação 

Chame mulheres para dar palestras sobre a igualdade de gênero. Nada de chamar revendedoras da Mary Kay (acreditem, acontece muito), escolha professoras, historiadoras, pesquisadoras, autoras e palestrantes focadas na questão feminina. Que tal começar com uma palestra sobre o significado do dia 8 de Março? Você sabia que a data surgiu no final do Século XIX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas femininas por melhores condições de vida, de trabalho, e do direito de voto? Na Rússia, as comemorações do Dia Internacional da Mulher também foram o estopim da Revolução Russa de 1917. Pensando nisso, é difícil acreditar que uma empresa possa comemorar o dia 8 dando batons de presente, não é?

2. Abra um canal para diálogo

As mulheres se sentem seguras na sua empresa? Elas sabem que se forem assediadas ou ouvirem piadas machistas têm todo o direito de reclamar com privacidade e segurança? Certifique-se disso e abra um canal para esse tipo de conversa. Coloque uma profissional de RH, de preferência uma mulher, à disposição para esses assunto de alta sensibilidade e assegure-se de ela vai garantir privacidade e segurança das funcionárias. Uma caixa de correio confidencial também pode ser uma opção. Lembrando que os casos reportados precisam ser investigados e resolvidos.   

3. Ofereça mudanças que realmente importam

Caso a empresa tenha detectado um problema na maneira como as mulheres são tratadas, é hora de agir. Oficinas educacionais, palestras e punições reais para transgressores precisam ser colocadas em prática. 

Além disso, é fundamental perceber as necessidades específicas de suas funcionárias, assegurando o bem-estar delas em sua empresa. Proporcionar espaço para que mães que amamentam possam tirar o leite, com higiene e discrição e longe do banheiro, é essencial. Oferecer a possibilidade de trabalho em home-office durante alguns dias da semana, especialmente para mães solo, também é uma ótima maneira de mostrar apreciação pelas mulheres.

4. Conte a história delas

Ouça a história de suas funcionárias e das mulheres da vida delas, e abra espaço para que elas compartilhem com os colegas. Que tal uma semana de histórias de mulheres reais? Isso pode ser feito através de palestras ou de uma newsletter promovida pelo RH. Muitas vezes não nos damos conta do quanto as mulheres ao nosso redor têm para acrescentar em nossas vidas, ou do quanto a jornada delas é inspiradora e interessante. É uma boa maneira de mostrar que mulheres da sua empresa são ouvidas e apreciadas.

5. Cheque suas responsabilidades

Claro, nada disso vai funcionar se sua empresa tem sujeira embaixo do tapete. Dos cargos mais altos, qual a porcentagem de mulheres em relação aos homens? A faixa salarial para mulheres e homens desempenhando o mesmo trabalho é a mesma? Se sua empresa só tem homens na diretoria e paga menos para mulheres, é preciso começar a corrigir essas discrepâncias antes de querer homenagear as funcionárias, ou vocês abrem uma enorme janela para serem criticados por hipocrisia e machismo. Claro que coisas assim não podem ser resolvidas do dia para a noite, mas é hora de implementar programas para assegurar a igualdade. A Longo prazo, priorizem a promoção de mulheres e aumentos salariais pontuais com o objetivo de equiparação. Enquanto isso, nada de rosas.

O que feminismo tem a ver com os peitos da Emma?

Micheli Nunes
há 7 meses126 visualizações

Emma Watson, a Hermione de Harry Potter, além de atriz é uma ativista feminista. Em 2014, foi nomeada Embaixadora da Boa Vontade pela ONU Mulheres e lançou a campanha HeForShe, um movimento que pede a participação dos homens na luta pela igualdade de gênero. Paralelamente, Emma continua com sua carreira no cinema e na última semana deu uma entrevista para a revista Vanity Fair, para o lançamento do filme A Bela e a Fera, junto com um ensaio fotográfico lindo: 

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
O que feminismo tem a ver com os peitos da Emma?

Só que, por causa da foto acima, a parcela conservadora e antifeminista da internet se achou no direito de revogar o feminismo de Emma simplesmente por ter mostrado uma parte dos seios.

O que feminismo tem a ver com os peitos da Emma?

OK. Respira. Vamos por partes.

Primeiramente, não é porque uma mulher decide mostrar os seios que ela merece menos respeito de ninguém. Nós ainda somos extremamente conservadores em relação à nudez, e mais ainda quando é uma nudez feminina que não foi feita para o consumo masculino. Mulher pelada é muito bem-vinda quando é produzida por homens especialmente para homens. A partir do momento em que uma mulher toma para si o controle e escolhe como e quando ela quer mostrar seu corpo, as pessoas acham que ela não merece mais respeito.

Há alguns anos, Demi Lovato e Jennifer Lawrence tiveram fotos nuas pessoais roubadas e publicadas contra a vontade delas. Mas além de serem vítimas de um crime, elas se tornaram alvo de críticas e xingamentos por terem tirados fotos nuas dentro de suas casas. Se elas tivessem posado para revistas masculinas, ou feito uma cena de sexo em um filme ou clipe, tudo estaria ótimo, mas como a nudez foi nos termos delas, de repente ficou vulgar demais. 

Na época, inclusive, usaram uma frase falsa de Emma, que sempre foi vista como uma "mocinha comportada", como "lição" para as colegas.  

O que feminismo tem a ver com os peitos da Emma?

*Respira, conta até 10*

Em segundo lugar, feminismo não é um livro de regras que mulheres precisam seguir para ter direitos assegurados, muito pelo contrário. Feminismo é um conjunto de movimentos e ideologias que tem como objetivo básico a igualdade política, social e cultural de gêneros. O feminismo defende o direito das mulheres fazerem suas escolhas, inclusive sobre o próprio corpo. Emma tem todo o direito de lutar por isso e ao mesmo tempo decidir que quer fazer um ensaio fotográfico mostrando os seios. Não existe nenhum motivo para achar que uma coisa invalida a outra.

Mas é tão simples assim?

Emma já foi muito criticada por praticar um feminismo branco, muito focado em homens e que não inclui todas mulheres. Acontece que é bem mais fácil promover a liberdade de mostrar o corpo quando você está dentro dos padrões de beleza estabelecidos pela nossa cultura. Sim, a atriz foi criticada pela foto, mas se ela não fosse branca, cisgênero e magra, as críticas seriam proporcionais? Ela teria o mesmo espaço na revista? Certamente não. 

Hoje, uma atriz negra, trans e gorda jamais estrelaria um filme da Disney como uma princesa, e consequentemente não figuraria na capa da Vanity Fair. É essencial sempre fazer esses questionamentos quando falamos de feminismo. De um jeito ou de outro, a maioria de nós desfruta de algum privilégio. Algumas, como a Emma, desfrutam de MUITOS privilégios e podem cair na armadilha de excluir muita gente do seu ativismo. Ouvir o outro e enxergar o mundo com outras perspectivas é essencial. E um bom exercício para começar é ler isso aqui:

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
micheli.nunes
Micheli é jornalista especialista em cinema, e escreve sobre filmes, séries de TV, feminismo e cultura pop há 9 anos.