Coluna: Por que precisamos de feminismo?
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Coluna: Por que precisamos de feminismo?
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Coluna: Por que precisamos de feminismo?
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Pesquisa transforma endometriose em problema sexual masculino

Micheli Nunes
há 4 meses6.2k visualizações
Pesquisa transforma endometriose em problema sexual masculino
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

A atriz Daisy Ridley, que vive Rey na saga Star Wars, contou que sofre de endometriose

Se você sabe o que é endometriose, você provavelmente é uma mulher que sofre do problema. Ou deve ser pelo menos um ginecologista. Mas se não sabe, tudo bem, a gente explica. Endometriose é uma doença caracterizada pelo crescimento de tecido endometrial, ou seja, a membrana que deveria ficar dentro do útero, só que fora do órgão. Seu principal sintoma é uma dor pélvica intensa - imagine a pior dor de barriga da sua vida e multiplique por 10 - que pode ser crônica e piorar muito com a menstruação. Até agora já deu pra entender que é um problema feminino, certo? Pois não é o que a Universidade de Sydney acha, porque o corpo docente aprovou fundos para uma pesquisa chamada "O Impacto da Endometriose no bem-estar sexual masculino".

A história fica muito pior quando levamos em conta que a doença pode causar dores durante o sexo e levar à infertilidade, e que o maior desafio das mulheres que sofrem dela é simplesmente conseguir um diagnóstico. Isso porque muitos médicos desconsideram as mulheres que chegam aos seus consultórios reclamando de cólicas fortíssimas, prescrevem um remédio qualquer e diz para elas aguentarem, porque praticamente morrer de dor durante a menstruação seria uma coisa "normal".

E apesar de ser comprovado que a doença atinge uma em cada dez mulheres, e que o impacto social e psicológico da endometriose é muito grande, suas causas ainda não são conhecidas e ainda não existe uma cura definitiva. Tudo porque a endometriose recebe pouquíssima atenção de centros de pesquisas e da mídia, e os especialistas que decidem estudá-la têm uma enorme dificuldade em conseguir fundos.  

E mesmo sabendo disso tudo, os pesquisadores da Universidade de Sydney ainda acharam que o mais importante sobre a endometriose é que, quando estão em crise, algumas mulheres heterossexuais casadas evitam fazer sexo, e isso deixaria os seus parceiros XATIADOS. É inacreditável como alguns homens acham que o mundo gira em torno do membro deles, não é mesmo?

O carro 'BRUTALMENTE LINDO' e a masculinidade de cristal na publicidade

Micheli Nunes
há 4 meses7.6k visualizações
O carro 'BRUTALMENTE LINDO' e a masculinidade de cristal na publicidade
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

O reforço exagerado da masculinidade heterossexual em campanhas publicitárias de produtos aleatórios vem chamando a atenção há algum tempo. E a propaganda para o novo Fiat Toro resumiu tudo isso perfeitamente com seu impagável slogan: "brutalmente lindo". 

A peça, que vai ao ar incessantemente em canais esportivos na TV, define o carro como bruto e lindo, além de usar palavras como robustez, tecnologia e força. Tudo isso para deixar claro que é um carro DE MACHO. Porque tudo bem dizer que o carro é lindo, mas antes é melhor reforçar a masculinidade. Vai que as pessoas pensam que o carro é para mulheres ou para gays, não é mesmo?

O fenômeno não é exatamente novo. Em 2013 a Dove lançou o shampoo Dove Men Care e a campanha tinha um tom irônico, tirando um sarro de homens que morrem de medo de parecerem menos masculinos e, ao mesmo tempo, vendendo pra eles um produto cheio de reforços de masculinidade. Apensar de terem uma fórmula similar e o exato mesmo propósito, o shampoo Dove para homens é cinza e tem um "+" antes da palavra care. Tudo para que os consumidores se sintam seguros de que não vão virar mulheres lavando o cabelo.

Nos últimos anos essa linha de raciocínio tem dominado a publicidade voltada para homens, principalmente para produtos de higiene e beleza. A recente campanha da boticário para sua "linha men" também escolheu um caminho mais irônico - mas nem tanto - com o slogan "para o você que existe no ogro". A peça é estrelada por homens barbados, musculosos, fazendo cara de mau e praticando atividades vistas como masculinas, como cortar lenha, lutar boxe e acender um palito de fósforo na barba (?). Tudo para vender perfume, loção para barba e desodorantes.

Isso acontece porque os homens simplesmente não compram produtos associados à feminilidade. Desde que a publicidade descobriu que o truque de separar os produtos considerados neutros por gênero aumenta - e muito - as vendas, as marcas também repararam que

é mais fácil fazer com que mulheres comprem um produto masculino do que convencer homens a fazerem a troca

. A Dove, quando lançou shampoo e condicionador em frascos cinzas rotulados com FOR MEN, aumentou suas vendas em milhões no mundo inteiro. 

Mas essa repulsa pelo feminino vem sempre acompanhada com uma certa fascinação. Fenômenos como a "metrossexualidade" e mais recentemente a "lumbersexualidade", só provam que os homens, no fundo, querem se render à vaidade, mas não suportam a ideia de parecerem menos masculinos. Isso é fruto de uma cultura de masculinidade tóxica, que impõe um modelo tão ridículo do que é "ser homem", que qualquer insinuação pode colocar tudo em risco. Afinal, seu carro pode até ser bonito, contanto que também seja BRUTO. 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
micheli.nunes
Micheli é jornalista especialista em cinema, e escreve sobre filmes, séries de TV, feminismo e cultura pop há 9 anos.