Cultura POP
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Cultura POP
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Cultura POP
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

10 razões porque Steven Universo é o melhor exemplo para meninos na cultura pop

Micheli Nunes
há 5 meses39.5k visualizações
10 razões porque Steven Universo é o melhor exemplo para meninos na cultura pop
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Steven Universo é uma das séries animadas mais prestigiadas atualmente. Criada por Rebecca Sugar, primeira showrunner mulher a comandar uma animação no Cartoon Network, a série narra as aventuras de um menino com poderes mágicos que faz parte das Crystal Gems, alienígenas que protegem a terra de ameaças intergaláticas. Mas a série é muito, MUITO mais que isso. Além de inteligentíssima, trata de temas profundos e complicados, como solidão, adolescência, morte e relacionamentos, e tem a maior representatividade em termos de etnia, sexualidade e formas físicas do que qualquer outra animação (e talvez qualquer outra série ou filme) na cultura pop.

Um dos temas nos quais a narrativa se ancora é o crescimento de Steven, à medida que ele deixa de ser uma criança e se torna adolescente, buscando sua identidade e o seu lugar no mundo. Na nossa cultura, que enxerga gênero como uma manifestação binária, obras com personagens masculinos que tratam desse tema geralmente baseiam sua narrativa principal em adquirir força e habilidades físicas, e encontrar valor na competitividade. E apesar de ser possível navegar nesses temas de maneira positiva, é muito mais comum que isso crie um ideal de masculinidade tóxica e agressiva, principalmente porque outros aspectos essenciais do amadurecimento, como comunicação, expressão de sentimentos, afeto e sensibilidade, são negligenciados por serem considerados "femininos". 

Mas Steven Universo é o ponto fora da curva. A série trata de todos esses elementos, criando uma identidade complexa, saudável e positiva para a experiência de masculinidade do protagonista. Veja os motivos porque todo garoto deveria ver Steven Universo:

#1 - ELE É DIFERENTE DOS OUTROS HERÓIS

Steven tem sobrancelhas grossas, cabelos cacheados e volumosos e é um menino gordinho, e isso não faz dele um alívio cômico. Os conflitos que ele enfrenta não são ligados à aparência, e sua forma física nunca foi motivo de vergonha ou bullying. Ele gosta do seu corpo e é feliz sem se preocupar em perder peso ou ficar musculoso. Esse tipo de representatividade, inédita em heróis, mostra que meninos não precisam ser esguios e superfortes para salvarem o dia.

#2 - SEUS PODERES SÃO DE PROTEÇÃO E CURA

Enquanto personagens masculinos geralmente têm armas e poderes mais ofensivos em narrativas de fantasia, proteção e cura são poderes considerados femininos, com raras exceções. Steven herda o escudo de sua mãe como arma e o usa para proteger seus amigos, enquanto as outras personagens femininas têm armas de ataque, como chicotes, lanças e espadas. Além disso, seu poder está em sua saliva, ou seja, Steven tem "beijos que curam", o que representa a manifestação da sua habilidade através de afeição. E isso não o torna menos importante nas batalhas, ou menos corajoso. 

#3 - ELE NÃO TEM PROBLEMA EM DEMONSTRAR EMOÇÕES E FALAR SOBRE ELAS  

Em suas aventuras, Steven experimenta medo, frustração, tristeza e vários outros sentimentos que meninos são incentivados a esconder. Em vez de fingir que está tudo bem, ele verbaliza o que sente e lida com a causa desses problemas. Isso é uma lição importante para todos os gêneros, mas especialmente para meninos, que muitas vezes crescem sem obter as ferramentas psicológicas para gerenciar suas emoções. Reprimir essas emoções pode causar comportamentos agressivos, depressão e até suicídio. 

#4 - CHORAR NÃO É MOTIVO DE VERGONHA

"Meninos não choram" é uma frase que não existem em Steven Universo. Todos os personagens, dos mais durões (como a Garnet) aos mais frágeis (como o Lars), choram em um momento ou outro, mas Steven é um dos que mais derramam lágrimas. Ele chora por tristeza, medo, raiva e felicidade, e isso nunca foi motivo de vergonha ou de piadas. Engolir o choro não é uma necessidade ou mesmo uma opção para ele.

#5 - STEVEN NÃO É APENAS SENSÍVEL, ELE TEM EMPATIA

Apesar disso não ser dito abertamente na série, fica subentendido que um dos poderes que Steven herdou de sua mãe foi o da empatia. E ter empatia significa ter a capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa e sentir o que ela sente. Em diversos momentos, Steven sente fisicamente a dor de outros personagens, mesmo monstros e inimigos. Isso dá a ele o talento de enxergar as motivações por trás das vilanias e acreditar no potencial de redenção mesmo em seus inimigos. Para Steven todo mundo merece compaixão e uma chance de se redimir.

#6 - ELE É BONDOSO E COMPREENSIVO

Steven é apenas um garoto e enfrenta obstáculos inimagináveis em sua vida, mas mesmo assim ele sempre encontra espaço para ajudar seus amigos. Ele escuta os problemas dos outros e faz o possível para que eles se sintam melhores. Situações em que o protagonista masculino de uma série é colocado na posição de apoiar personagens secundários são extremamente raras na cultura pop, no entanto, isso é muito recorrente em Steven Universo. Essa dinâmica apresenta um novo papel social importantíssimo para meninos, que raramente são ensinados a cuidar de outras pessoas.

#7 - STEVEN DESEMPENHA TAREFAS CONSIDERADAS "FEMININAS"

Na nossa cultura, os papéis sociais de homens e mulheres ainda são extremamente atrasados. Ainda é esperado que mulheres trabalhem fora e cuidem dos afazeres domésticos enquanto homens apenas trabalham fora. Essa é a realidade na maioria dos lares. Steven mora com três mulheres e na sua casa papéis de gênero não existem. Cada um desempenha tarefas de acordo com suas habilidades, e ele é constantemente visto cuidando da limpeza, da organização e principalmente da cozinha. 

#8 - COISAS "DE MENINA" E "DE MENINO" NÃO EXISTEM

Justamente por ser criado por três heroínas e pelo pai, que é músico, Steven nunca absorveu o conceito de "coisas de menino" e "coisas de menina". Para ele, o universo feminino não é motivo de piada ou vergonha. Em um episódio, Steven incentiva uma amiga a cantar e dançar em um festival, mas na hora de subir no palco ela fica com vergonha e desiste. Steven não pensa duas vezes e faz a performance no lugar da amiga, de maquiagem, saia e sapato de salto. A apresentação é um sucesso e o fato de Steven estar "vestido de mulher" não incomoda ninguém nem é motivo de risos.

#9 - STEVEN RESOLVE CONFLITOS ATRAVÉS DO DIÁLOGO

Steven Universo é uma série de ação e aventura, cheia de lutas e combates épicos, mas eles só acontecem quando não existe outra opção. Steven sempre tenta mediar conflitos através de diálogos, mesmo com os vilões mais perigosos. A cultura pop nos ensina que lutar é um ato de coragem, mas é quando Steven decide parar de lutar e conversar que ele demonstra verdadeiramente sua bravura. Ele muitas vezes se coloca em uma posição vulnerável, desarmado e em perigo, para tentar convencer vilões de que força física nem sempre é a solução, e isso é uma coisa que nem os heróis mais valentes fazem. E ele não pratica isso  apenas em batalhas, mas no dia-a-dia também, conciliando ativamente os conflitos de seus amigos.

#10 - ELE NÃO TEM PROBLEMA EM DEIXAR MENINAS SEREM MAIS FORTES

Connie, a melhor amiga de Steven, é uma humana que não tem superpoderes, mas mesmo assim quer ajudar as Crystal Gems a defender a terra. Para isso, ela é treinada por Pérola para aprender a lutar com espadas. Connie e Steven desenvolvem várias estratégias de batalha em que ele faz a cobertura e a defesa e ela o ataque. Steven inclusive dá a espada que recebeu de herança de sua mãe de presente para a amiga, sem nunca questionar o papel da amiga e o seu.

Pedimos mais publicidade da Mulher-Maravilha, mas não bem era isso que queríamos

Micheli Nunes
há 5 meses11.0k visualizações
Pedimos mais publicidade da Mulher-Maravilha, mas não bem era isso que queríamos
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Sempre que um grande filme de super-heróis vai estrear, vemos um monte de ações publicitárias em todas as plataformas possíveis. Isso inclui matérias em jornais, capas de revistas, teasers, trailers, linha de brinquedos, tour com os atores pelo mundo, campanhas nas ruas, licenciamento para refrigerante, roupas, videos com os atores nas redes sociais e etc. Porém, não temos visto muita coisa do novo filme da Mulher-Maravilha, que chega aos cinemas no dia 2 de junho. Um mês antes da estreia, o longa tinha apenas 5 filmes em seu canal do Youtube, enquanto Batman vs Superman tinha 30, na mesma época. Estranho, não?

Alguns jornalistas americanos notaram a falta de publicidade do filme e logo uma teoria da conspiração começou a rolar. Mulher-Maravilha seria o primeiro grande filme de super-herói protagonizado por uma mulher em muitos anos. Outras experiências similares (como Electra, e Mulher Gato) foram malsucedidas pela baixa qualidade dos longas e falta de crédito dos estúdios, mas depois de experiências positivas na TV, com Jessica Jones, Agent Carter e Supergirl, estava mais do que na hora da amazona ir para a telona. E os fãs estavam temendo que o longa de Diana não fosse tão legal assim, afinal, se o estúdio não gasta dinheiro na promoção, significa que não está apostando no produto.

E em meio a essa discussão, uma promoção muito bizarra apareceu nos Estados Unidos:

Isso mesmo, a marca ThinkThin, de produtos de emagrecimento que literalmente se chama PENSE MAGRA fez uma parceria com a Warner Bros. Pictures para o lançamento. É óbvio que a ação pegou super mal, porque todo o mote do longa é baseado em empoderamento feminino, representatividade e em dar bons exemplos para meninas, que raramente têm heroínas para admirar. E uma empresa que ganha dinheiro vendendo ideais irreais de que mulheres precisam ser sempre magras, e consequentemente dilapidando a autoestima delas, não deveria estar envolvida com este filme.

É bom lembrar também que o famoso bodyshaming, ou seja, o ato de criticar a aparência física de outras pessoas, já está presente no filme desde que o casting. Quando o nome de Gal Gadot foi anunciado no papel da heroína, lá em Batman vs Superman, a rejeição foi monumental, tudo porque ela seria "magra demais" para o papel. Como os comentários não paravam, a atriz fez declarações lembrando que nunca é OK atacar uma pessoa por sua aparência física, e que força pode ser medida de outras maneiras além dos músculos. 

As críticas só diminuíram depois da excelente participação de Gal no filme do morcego e do homem de aço. E depois o trailer excelente de Mulher-Maravilha, tudo indicava que o longa salvaria os rumos da DC no cinema. Mas a falta de uma publicidade consistente tem deixado o público apreensivo. 

Ainda assim, nós, fãs fa heroína, aguardamos ansiosamente o lançamento. E é crucial que ele seja bem sucedido, porque isso abriria portas para mais franquias de super-heróis com mulheres no papel principal. Então, por favor, Warner Bros. Pictures, não nos decepcione.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
micheli.nunes
Micheli é jornalista especialista em cinema, e escreve sobre filmes, séries de TV, feminismo e cultura pop há 9 anos.