MULHERES

Homem feminista ou pró-feminismo?

Micheli Nunes
Author
Micheli Nunes
Homem feminista ou pró-feminismo?

Dentro dos movimentos feministas existem divergências sobre o papel dos homens nas lutas das mulheres. É praticamente consenso que homens podem e devem apoiar a causa feminista, mas algumas correntes acreditam que homens não têm o direito de se autodenominarem feministas, preferindo o termo "pró-feminismo", enquanto outras incentivam que homens se identifiquem como tal. Ambos lados têm bons argumentos.

Feminismo é a noção de que homens e mulheres devem ter os mesmos direitos sociais, políticos e econômico. É um movimento que fala de igualdade e equidade, o que faz com que algumas pessoas torçam o nariz quando alguém diz que é um movimento somente para mulheres. Porém, dizer que se busca igualdade social não implica que precisamos garantir que 50% do espaço que conquistamos seja preenchido pelos homens, simplesmente porque os homens já gozam de privilégios em todos os outros espaços e movimentos sociais. 

Homens têm diversos privilégios que mulheres não encontram, mesmo dentro do feminismo. É comum, principalmente nas redes sociais, que um homem ganhe muito mais espaço e notoriedade quando fala de um problema sobre o qual mulheres vêm falando há anos, sem serem ouvidas. É importante que dentro do feminismo as mulheres sejam ouvidas, porque por mais que homens sejam aliados, eles nunca saberão o que é ser uma mulher no mundo machista. É importante também criar ambientes seguros para mulheres, que, por motivos de violências de gênero, não se sintam confortáveis com outros homens.

Para algumas feministas, um homem dizer que é pró-feminismo mostra que ele têm a consciência de que aquele lugar não é o dele, e que ele precisa dar um passo atrás para dar a oportunidade para que as mulheres recebam a atenção. É fundamental que mulheres, e não homens, sejam as porta-vozes do feminismo, por uma questão de coerência, representatividade e empoderamento, ou todo o discurso se perde. 

Porém, as mulheres que defendem que homens podem ser feministas argumentam que tudo isso é possível sem que eles precisem se prender ao termo "pró-feminismo". Outro argumento importante é que homens podem fazer uso do seu privilégio na sociedade para levar a mensagem de igualdade onde, por causa do machismo, mulheres ainda não conseguem ser ouvidas. Levando em conta que a palavra "feminista" carrega um enorme estigma, ter homens influentes assumindo essa identidade tem um impacto poderosíssimo nesse aspecto.

No fim das contas, a discussão sobre a terminologia é secundária à discussão do papel prático dos homens no movimento. Não adianta se dizer feminista ou pró-feminismo e se sentir no direito de falar por cima de outras mulheres. Ou achar que feminismo é um assunto para se falar apenas quando rodeado de mulheres e nunca para outros homens. Se o homem quer ser um aliado, deve aproveitar de seu privilégio para combater o machismo no seu ambiente. Ações como repreender piadas machistas, corrigir quando amigos usam termos sexistas, ouvir quando mulheres fazem reclamações e denúncias e acreditar nelas são um bom começo para provar que você é, de fato, um aliado.