MULHERES

'Não sei se te beijo ou te bato' - A normalização da violência contra a mulher

Micheli Nunes
Author
Micheli Nunes
'Não sei se te beijo ou te bato' - A normalização da violência contra a mulher

Apesar de ainda muito comum, a violência doméstica é hoje vista com maus olhos na sociedade. Estima-se que a cada 5 mulheres, 3 já tenham sido vítima de agressão pelo marido ou companheiro, mas socialmente falando, é reprovável dizer que se bate na mulher. Mas nem sempre foi assim. Até pelo menos a metade do século passado, era muito comum o clichê do "não sei se te beijo ou te bato" no cinema, protagonizado por mocinhos que se sentiam no direito de "corrigir" fisicamente seus interesses românticos. O famoso "spanking", no qual se coloca a mulher deitada de bruços no colo, enquanto se bate nas nádegas dela, era considerado um alívio cômico e até um ato de carinho.

O site Jezebel fez uma longa analise, juntando diversas cenas de filmes antigos que apresentavam esse clichê. O artigo destaca também que a prática era incentivada na sociedade, através de revistas femininas e programas de rádio, onde "especialistas" aconselhavam os maridos a corrigirem suas mulheres para "salvar o casamento". A humilhação era ainda maior quando pública, o que é bastante comum nos filmes, e considerada um "eficiente tratamento" para o que chamavam de "histeria feminina", ou seja, para corrigir mulheres que se recusavam a se comportar como os homens mandavam.

O "Não sei se te beijo ou te bato" carrega também uma relação nociva entre agressividade e afeto, e até sexualidade. Claro que os tapas não são consensuais, o que abre espaço para que os beijos - e até o sexo - também não seja. Recentemente, a cena se repetiu de maneira irônica, com Sheldon Cooper, personagem extremamente sexista de The Big Bang Theory, se oferecendo para punir sua namorada, Amy, com tapas nas nádegas. Amy, que anseia por contato físico com o parceiro frio, enxerga o ato como uma brincadeira sexual e consente com o "castigo", o que não deixa a cena nada menos desconfortável de se ver.