ENTRETENIMENTO

Não vale reclamar do novo Flash se gostou da nova Tia May

Micheli Nunes
Author
Micheli Nunes
Não vale reclamar do novo Flash se gostou da nova Tia May

Mudar personagens de quadrinhos, seja nas próprias revistas ou em adaptações para o cinema, costuma ser um negócio POLÊMICO. E se a mudança envolve um pouco de modernidade e inclusão, com personagens não brancos e/ou não heterossexuais, o vespeiro nerd fica ainda mais atiçado. Porque, sejamos sinceros, boa parte do universo nerd é composto por conservadores (pra não dizer pior). Então nós ficamos DESAPONTADOS, PORÉM NÃO SURPRESOS quando o ator latino Tony Revolori, que interpreta o valentão Flash Thompson no filme 'Homem-Aranha de Volta Ao Lar', começou a ser atacado na internet com comentários super racistas, chegando ao ponto de receber ameaças de morte!

Não vale reclamar do novo Flash se gostou da nova Tia May

Flash Thompson no filme 'O Espetacular Homem Aranha' e nos quadrinhos

Nos quadrinhos e nas duas primeiras adaptações que a Sony fez para o cabeça-de-teia, o Flash é um cara BRANCO. E aparentemente ninguém que não seja branco e fortão tem direito de interpretar o personagem. O fato de que a mudança ficou super interessante, e que o estereótipo do valentão loiro, capitão do time de futebol, já é um clichê supersaturado no cinema, não parece importar para uma parte dos fãs. Mas o mais intrigante é que essa revolta toda não aconteceu com a escalação de Marisa Tomei como Tia May.

Não vale reclamar do novo Flash se gostou da nova Tia May

Nas HQs, Tia May foi criada como uma senhorinha idosa, que cuida de Peter depois da morte de seus pais. Nas adaptações para o cinema ela começou assim, com a escalação de Rosemary Harris, na época com 74 anos, para o papel em 2002. No próximo reboot, de 2014, foi Sally Field a escolhida para interpretar a personagem, aos 65 anos. Agora a Sony decidiu rejuvenecer ainda mais a Tia May com Marisa Tomey, que tem 52 anos mas parece ter menos de 40.

E TUDO BEM! Faz todo sentido, porque, diferentemente de 1962, quando a personagem foi criada, o estereótipo da senhorinha frágil, de cabelos brancos e roupas de freira, praticamente não existe mais hoje em dia! Nem como arquétipo de avó e muito menos como de tia. Mas o que definitivamente NÃO VALE, é criticar Tony Revolori como Flash, argumentando que o personagem deve ser loiro por fidelidade às HQs, e achar que TUDO BEM a Tia May ser jovem e atraente. O nome disso é outra coisa!