HOLLYWOOD

Por que Johnny Depp ainda está em 'Animais Fantásticos'?

Autor
Por que Johnny Depp ainda está em 'Animais Fantásticos'?

Imagem: Divulgação

Com a recente onda de homens famosos e poderosos sendo punidos por seus atos criminosos, começamos a ter esperanças de que finalmente estamos caminhando para um mundo mais justo e igualitário. Harvey Weinstein foi afastado de sua própria empresa, Louis C.K. teve seu filme e diversos contratos cancelados e Kevin Spacey viu sua série cancelada e teve sua participação em um longa deletada. Diante disso, fica cada vez mais difícil entender por que Johnny Depp continua na franquia "Animais Fantásticos".

Em agosto de 2016, Depp foi acusado pela então esposa, a atriz Amber Heard, de violência doméstica. Além de aparecer com o rosto machucado, Amber também tornou público um vídeo no qual Depp, aparentemente muito bêbado, grita com ela, quebra móveis em sua cozinha e a ataca. Em novembro do mesmo ano, foi anunciado que Depp participaria de "Animais Fantásticos" como o vilão Grindelwald. Em juizado, Depp e Amber chegaram a um acordo, ele pagou uma indenização e ela doou todo o dinheiro para instituições que cuidam de mulheres vítimas de violência. Os dois soltaram um comunicado dizendo que "nenhuma das duas partes fez falsas acusações para ganhar dinheiro, nunca houve a intenção de causar dano no nível físico, ou emocional. Amber deseja toda a sorte a Johnny". Depp nunca assumiu seus atos ou fez um pedido público de desculpas.

Mas os problemas do ator não pararam de emergir. Vazaram histórias de seu mau comportamento - atrasos de até 10 horas e embriaguez - nos bastidores de "Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar". E segundo seu antigo agente, Depp nem conseguia decorar suas falas, precisando usar um ponto eletrônico escondido por baixo da peruca, pelo qual um assistente lhe ditava o texto. Logo depois disso, o ator declarou falência, demitiu seus agentes e teve sua exorbitante vida financeira escancarada.

Na tentativa de melhorar sua imagem, a equipe do ator conseguiu marcar diversas aparições públicas positivas, mas a estratégia não funcionou. Em uma série de vídeos, Depp aparece vestido de Jack Sparrow em hospitais infantis, diante de crianças que parecem muito mais confusas com seu visual estranho e maneirismos de bêbado do que emocionadas. Depp também participou de programas de auditório, como o da Ellen Degeneres, agindo de maneira estranha, a ponto da apresentadora desistir de lhe fazer perguntas.

E além de todos os problemas, incluindo o gravíssimo caso de violência doméstica, Depp já não rende boas bilheterias há pelo menos uma década. Todos as suas produções de grandes estúdios têm flopado, e seus recentes filmes independentes ganham pouco ou nenhum reconhecimento. Sua escalação para "Animais Fantásticos e Onde Habitam", que aconteceu antes dos escândalos se tornarem públicos, já era questionável, porém, o anúncio de que ele não apenas continua na franquia com uma importância muito maior, como também teria o nome de seu personagem no título, é inexplicável.

Os argumentos de que a troca de atores a essa altura é impossível não fazem sentido, já que na própria saga de Harry Potter diversos atores foram substituídos ao longo dos anos. Também não faltam recursos narrativos no universo mágico para um personagem mudar de aparência. Além disso, temos uma prova recente de que a troca é possível. Ridley Scott acabou de regravar todas as cenas de Kevin Spacey do filme "Todo o Dinheiro do Mundo" a um mês do lançamento, substituindo-o por Chris Plummer. "Você não pode tolerar nenhum tipo de comportamento desses. E ele prejudica o filme. Não podemos deixar as ações de uma pessoa afetar o bom trabalho de todos os outros. Simples assim", justificou Scott à Entertainment Weekly

Uma possível explicação para a permanência de Depp é que os moldes de seu contrato sejam muito severos e que a Warner não queira arriscar uma multa por quebra de contrato ou um processo milionário da parte do ator. Principalmente porque a imagem de Depp não está tão danificada quando a de Spacey, que foi acusado de molestar um garoto de 14 anos e de assediar e perseguir dezenas de outros colegas. Por mais que a violência doméstica seja chocante e injustificável, o caso de Depp já está encerrado judicialmente (diferentemente dos escândalos de Spacey) e boa parte da base de fãs do ator infelizmente ainda o defende - é só olhar os comentários das notícias sobre o caso ao redor do mundo. 

E a nossa cultura, que culpa as vítimas e sempre prioriza homens em detrimento às mulheres, também colabora a favor de Depp. No caso de Spacey todas as suas vítimas eram homens, e foi muito mais fácil para a mídia e o público ficar do lado deles. Já Depp encontra diversos defensores por onde quer que vá. David Yates, que dirigiu os quatro últimos filmes de "Harry Potter", "Animais Fantásticos e Onde Habitam" e está escalado para dirigir os próximos quatro longas da franquia, disse à Entertainment Weekly que Depp é "cheio de decência e bondade" e que "qualquer acusação que esteja por aí não bate com o ser humano com quem eu estou trabalhando". Aparentemente ele não viu o vídeo da agressão.

No ano passado, depois de meses de silêncio, a própria J.K. Rowling, criadora da saga, defendeu a escalação do ator ao The Mirror, na pré-estreia do filme: "Estou encantada, ele fez coisas incríveis com o personagem". E talvez o posicionamento de Rowling seja o mais doloroso para os fãs. Sempre uma voz a favor das minorias, contra bullying e todo tipo de discriminação e violência, a autora passa uma mensagem muito clara em seus livros, que não combina com a defesa de um homem que bateu na esposa. Biógrafos acreditam, inclusive, que própria Rowling tenha sofrido violência doméstica de seu ex-marido, o português Jorge Arantes, o que a teria motivado a fugir de Portugal para a Escócia com os filhos, após um divórcio atribulado. Rowling não comenta sua vida pessoal e nunca confirmou isso.

Em meio às discussões sobre a polêmica, Rowling é frequentemente cobrada por seus seguidores do Twitter a dar uma explicação sobre a escalação de Depp e seus escândalos, mas além de não se pronunciar, a autora e roteirista bloqueia os usuários mais insistentes, o que deixa os ânimos ainda mais acirrados. E enquanto isso, ela continua tuitando contra a violência doméstica, como que para lembrar o mundo de que ela não necessariamente aprova os atos de Depp. No fim das contas, ninguém sabe qual o verdadeiro poder de Rowling sobre a escalação do elenco e principalmente sobre contratos já assinados, mas sua postura é uma decepção para os fãs da série, principalmente os que já viveram na pele a violência doméstica e encontraram refúgio na saga de Harry Potter. E ver Depp caracterizado como Grindelwald vai ter um gosto amargo impossível de ignorar.