ESPORTES

Alemães tiveram uma surpresa bem desagradável ao reformar um estádio

Autor
Alemães tiveram uma surpresa bem desagradável ao reformar um estádio

(Reprodução)

Reformas de estádio e campos esportivos andam em alta pelo mundo. O Barcelona pensa em remodelar o Camp Nou, o Real Madrid tem um projeto para o Santigo Bernabeu, o Chelsea conseguiu licença para ampliar Stamford Bridge. Até as menores praças esportivas, então, querem entrar nessa ciranda.

Mas há possibilidades de encarar surpresas no meio da demolição de um estádio ou ao mexer em um terreno. Em Roma, por exemplo, sempre é possível encontrar um verdadeiro sítio arqueológico de milhares de anos atrás. Mas nem sempre a surpresa vai ser agradável. Foi o que aconteceu em Hamburgo, na Alemanha.

Em escavações para reformar o estádio Hein-Kling, os funcionários de repente se deram conta com uma grande estrutura no local onde seriam construídos os novos vestiários. E, sim, foi um choque. Era uma gigante suástica, o símbolo do regime nazista. A escultura em pedra estava 40 centímetros abaixo do solo, com 16 metros quadrados de comprimento.

Há uma lei na Alemanha que prevê até três anos de prisão para quem utilizar a insígnia nazista ou apoiar o antigo e nefasto regime. As autoridades de Hamburgo já pediram aos responsáveis pela obra a retirada do símbolo do local. Como a estátua é pesada, no entanto, removê-la em uma só parte é impossível. Ela vai ser, inicialmente, destruída com britadeiras. Que assim seja.