ESPORTES

As grandes decepções do futebol brasileiro em 2017

Autor

Se houve muita alegria, teve também muita frustração no futebol brasileiro. Clubes que investiram e ficaram pelo meio do caminho, sem grandes conquistas. Promessas de novidade como técnicos que não chegaram nem mesmo ao meio da temporada. Relembramos aqui os casos de quem não foi tão feliz assim em 2017. 

As grandes decepções do futebol brasileiro em 2017

(Divulgação / Palmeiras)

1 - Palmeiras na seca

Campeão brasileiro, contratações impactantes como a de Felipe Melo. O Palmeiras estava pronto para conquistar novamente o Brasil e partir para o domínio da América do Sul. Mas não deu nada certo. O time foi uma decepção só ao longo da temporada.

De cara, o escolhido para substituir o demissionário Cuca, Eduardo Baptista, durou poucos meses com a pressão por resultados. Cuca, então, voltou nos braços da torcida, com calça vinho, foça, fé e foco. Também um tiro n´água. Paulista, Libertadores, Copa do Brasil e Brasileiro. Nenhuma taça parou na academia de futebol. Frustração que acumula para 2018.

As grandes decepções do futebol brasileiro em 2017

(Divulgação / Flamengo)

2 - Flamengo e seus quases

Ao lado de Palmeiras, o Rubro-Negro foi quem mais investiu em reforços para levantar taça importante em 2017. Everton Ribeiro, Geuvânio, Diego Alves, Romulo entre outros chegaram para melhorar o elenco. O time até conquistou o Campeonato Carioca de forma invicta, mas os alvo do ano, mesmo, foram decepcionantes.

Eliminado na primeira fase da Libertadores e nunca sequer perto de disputar o título do Campeonato Brasileiro, o Flamengo bateu na trave mais duas vezes. Copa do Brasil e Copa Sul-Americana. Mas caiu nas finais diante de Cruzeiro e Independiente. O gosto amargo permanece na boca rubro-negra para 2018.

As grandes decepções do futebol brasileiro em 2017

(Agif)

3 - O "Galo galáctico"

Em mais uma tentativa de repetir o feito de 2013 na Libertadores e encerrar o jejum em Brasileiros que já dura desde 1971, o Atlético-MG bancou seu craques no time. Robinho, Fred sob a batuta do técnico Roger, considerado um dos promissores talentos nacionais.

E deu apenas no Campeonato Mineiro. O ano foi considerado tão ruim que o Galo acabou eliminado nas oitavas de final da Libertadores e no Brasileiro foi ainda pior: o time terminou em nono lugar, sem chances de ir à Libertadores da próxima temporada. A devassa no elenco atleticano indica quão insatisfeitos ficaram os dirigentes.

As grandes decepções do futebol brasileiro em 2017

(Twitter / Sport)

4 - Sport do Pofexô

Derrotado na final da Copa Nordeste pelo Bahia, o Sport resolveu investir em um nome de peso para continuar a fazer campanhas muito dignas no Campeonato Brasileiro. O experiente Vanderlei Luxemburgo foi o nome indicado. No início, o time até teve bons jogos, mas aí...

Luxemburgo entrou em rota de colisão com vários jogadores, viu o clube vítima da novela da possível transferência de Diego Souza para o Palmeiras e o ambiente foi desgastado. Depois de uma bronca pública, Luxa teve o contrato renovado até o fim de 2018 pela diretoria. Mas durou pouco. Após a eliminação para o Junior Barranquilla na Copa Sul-Americana o técnico foi demitido. E o Sport suou para se livrar do rebaixamento no Brasileiro, o que só conseguiu na última rodada.

As grandes decepções do futebol brasileiro em 2017

(Agif)

5 - O desmontado São Paulo de Ceni

Rogério Ceni assumiu como técnico do São Paulo no fim 2016. Ídolo-mor do clube, ele prometia ser um técnico inovador, que conhecesse a história do clube. Não teve nem muito tempo para provar o que poderia fazer.

A diretoria desmontou o time com vontade, negociando vários jogadores do elenco como Thiago Mendes, David Neres e Luiz Araújo. O resultado foi um time muito irregular, eliminado precocemente do Campeonato Paulista, da Copa Sul-Americana e da Copa do Brasil Com a ameaça de rebaixamento no Brasileiro, nem Ceni resistiu. Foi demitido após derrota para o Flamengo.