Futebol carioca
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Futebol carioca
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Futebol carioca
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Condenação por agredir ex-noiva atrasa visto de trabalho de meia no Botafogo

PTorre
há 3 meses383 visualizações
Condenação por agredir ex-noiva atrasa visto de trabalho de meia no Botafogo
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Antes de contratar um jogador, um clube de futebol costuma verificar toda a documentação necessária para fechar o negócio. O Botafogo, no entanto, se deparou com uma situação que certamente não esperava ao acertar com um novo atleta. Trata-se do chileno Leo Valencia, de 26 anos, recém-chegado do Palestino.

Contratado há dez dias, o meia ainda não foi relacionado para uma partida no novo clube por um problema grave: no Chile, ele foi condenado por agressão à ex-noiva. Como atuava no país natal e tinha conseguido um acordo para cumprir pena alternativa, Leo Valencia vinha atuando sem problemas. O entrave, agora, é entrar em campo no Brasil. É necessário o visto de trabalho para estrangeiros.

Condenação por agredir ex-noiva atrasa visto de trabalho de meia no Botafogo

Agora, o Botafogo tenta acertar para que o novo reforço cumpra o restante da pena alternativa no Brasil. Tem, obviamente, de conseguir a autorização judicial para isso. Até agora nada. Sem visto de trabalho, Leo Valencia segue apenas treinando no Rio de Janeiro, ainda sem previsão de estrear pelo novo clube.

Aos 26 anos, Leo Valencia iniciou a carreira na Universidad de Chile, em 2008. Passou por Unión La Calera até chegar ao Palestino, onde se destacou em confronto contra o Flamengo, na Copa Sul-Americana de 2016, quando os chilenos eliminaram os brasileiros. Ao fim do contrato no Chile, o jogador, também pretendido por outras equipes brasileiras, assinou acordo por três anos com o clube carioca. 

Eles só queriam gravar o gol do Flamengo e...pagaram um mico!

PTorre
há 3 meses868 visualizações
Eles só queriam gravar o gol do Flamengo e...pagaram um mico!
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Empolgação, tentativa de registrar tudo a todo momento. Nada escapa dos smartphones atualmente. Eles estão em todos os lugares, das mais diversas maneiras, fazendo todos os registros possíveis. E, claro, são abundantes também em estádios de futebol. O torcedor deseja ser protagonista de um momento do jogo e publicar tudo por aí. Mas nem sempre dá muito certo...

Foi o caso do pênalti cobrado por Diego, do Flamengo, contra o Palmeiras, na Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro. Momento quase certo de sair um gol. Câmeras na mão, vários torcedores do Flamengo ficaram prontos para gravar o gol da virada. Mas aí Diego perdeu a penalidade, defendida por Jailson. A tristeza se espalhou pelas redes sociais. E, claro, virou galhofa. Teve quem levou a filha junto.

Teve torcedor que preparou o cavalinho, deixou tudo certo, era só comemorar. Mas aí quem não completou a festa foi o Diego. Vacilo, craque!

As críticas ao uso do celular durante os jogos, então, tomou conta das redes sociais. Houve flagras e marcações em fotos para dedurar quem estava fazendo o quê logo depois da defesa de Jailson.

Houve um exemplo de como seria mais bacana acompanhar o jogo apenas com os olhos, sem a interferência da pequena tela do celular.

Por fim, aquele recado a quem estava no estádio e não viu a cobrança de pênalti.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pedrot
Jornalista, curioso e apaixonado por futebol