Futebol internacional
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Futebol internacional
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Futebol internacional
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Atacante e zagueiro: você não vai acreditar no gol perdido por um peruano

PTorre
há 3 meses8.2k visualizações
Atacante e zagueiro: você não vai acreditar no gol perdido por um peruano
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Paolo Hurtado é um atacante peruano de 27 anos sem muito destaque no futebol internacional. Começou a carreira no Alianza Lima, em seu país natal, passou pelo Peñarol, do Uruguai, e foi viver a vida em Portugal. Depois de uma passagem pelo Paços Ferreira, atualmente ele está no Vitória de Guimarães. E foi protagonista no início da temporada.

A bola rolava para a decisão da SuperTaça de Portugal, entre Benfica e Vitória de Guimarães. No segundo tempo, quando os Encarnados venciam por 2 a 1, Hurtado teve a chance de empatar a peleja para o Vitória de Guimarães. Não fosse um lance bizarro. Ao tentar escorar o cruzamento para o gol, o atacante bateu na bola com o pé direito e acertou a própria perna esquerda, perdendo chance incrível. Foi atacante e zagueiro a mesmo tempo.

De novo, por outro ângulo.

E a falta do gol custou caro. Depois disso, o Benfica melhorou na partida, o brasileiro Jonas fez 3 a 1 e o atual campeão português levantou a Supertaça. Quem comemorou muito o erro de Hurtado foi o zagueiro brasileiro Luisão. Há 14 anos na equipe portuguesa, ele levantou seu 20º título pelo Benfica, um recorde.

E foi celebrado.

Emoção, gol de Messi, volta de Ruschel: o amistoso entre Barça e Chape

PTorre
há 3 meses10.9k visualizações
Emoção, gol de Messi, volta de Ruschel: o amistoso entre Barça e Chape
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

A segunda-feira ficou marcada por um tanto de emoção no mundo do futebol. A Chapecoense viveu mais um dia de um belo capítulo de sua história ao enfrentar o poderoso Barcelona no Camp Nou. O jogo, válido pelo tradicional Troféu Joan Gamper, nada mais era do que uma homenagem aos mortos no acidente aéreo em 29 de novembro de 2016. Houve de tudo um pouco. Emoção com o retorno do lateral-esquerdo Alan Ruschel, um dos sobreviventes, ao futebol. O ex-goleiro Follmann e o zagueiro Neto, os outros que escaparam da tragédia, deram o pontapé inicial no Camp Nou e foram ovacionados.

Antes, os três encontraram e posaram para fotos com Messi e Suárez, em um momento de alegria única.

Com a bola rolando ficou claro que a Chapecoense seria mesmo apenas uma mera convidada dos donos da casa. A bola grudou nos pés dos jogadores do Barcelona e não houve muita chance para o time brasileiro. Com dez minutos, o placar já anotava 2 a 0, gols de Deulofeu, o substituto de Neymar, e Busquets. No espírito de paz, o perfil oficial da Chapecoense do Twitter elogiou os rivais.

Messi, em seguida, fez o terceiro gol e aí o time da casa tirou um pé.

Com 38 minutos de jogo, o lateral Alan Ruschel foi substituído e recebeu inúmeras palmas no estádio lotado. Um momento emocionante. No intervalo, ele trocou a camisa com ninguém menos do que Messi.

Emoção, gol de Messi, volta de Ruschel: o amistoso entre Barça e Chape

Momento, então, para a Chapecoense aproveitar. E foi o lateral-direito Apodi o destaque. Soltinho em pleno Camp Nou, ele passou a infernizar a vida do lateral-esquerdo catalão Jordi Alba. O dois chapeus dados pelo brasileiro levaram todos à loucura no Camp Nou e o nome do jogador foi um dos mais citados no Twitter.

Suárez e Denis Suárez ampliaram para 5 a 0. Mas a graça estava onde? Continuava em Apodi e suas travessuras com o atormentado Jordi Alba.

Ainda houve tempo para mais um sorriso da turma da Chapecoense, mesmo com a derrota. No finzinho, Arthur Moraes defendeu o pênalti cobrado por Paco Alcácer e deixou o placar "apenas" em 5 a 0. Mas o resultado, mesmo, era o de menos. Valeu pela homenagem a todos que perderam a vida no acidente.

Vamo, vamo, Chape! 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pedrot
Jornalista, curioso e apaixonado por futebol