Futebol internacional
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Futebol internacional
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Futebol internacional
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Jornal argentino, desesperado, solta palavrão com a fase da seleção

PTorre
há 14 dias13.3k visualizações
Jornal argentino, desesperado, solta palavrão com a fase da seleção
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

(Twitter / seleção argentina)

A chapa esquentou para Messi e companhia nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018. Depois de um empate sem gols com o Peru em plena Bombonera, em Buenos Aires, os hermanos estão em situação muito delicada para se classificar para o Mundial. Têm de vencer o Equador, fora de casa, na última rodada, e torcer para um empate entre Peru e Colômbia para se classificar de forma direta.

Geralmente extrovertido, o diário esportivo Olé, de Buenos Aires, tem uma característica peculiar de tratar as notícias. É sempre exagerado, faz inúmeros trocadilhos e brincadeiras com todas as situações do esporte. Principalmente com a seleção argentina. Mas a situação é de tamanho desespero que eles tuitaram um palavrão assim que o jogo acabou. Um resumo do panorama: "Estamos fodidos!".

Sincerão mesmo.

A foto de Messi tapando o rosto com as mãos também foi escolhida a dedo. O camisa 10 não jogou bem e corre o risco de ficar fora da que seria, provavelmente, a sua quarta e última Copa do Mundo da carreira, já que em 2022 ele terá 35 anos. A brasileirada riu da situação da Argentina e da sinceridade do Olé.

A Argentina vai a campo na terça-feira, contra o Equador, às 20h30 de Brasília. Em sexto lugar, ela hoje está fora da Copa. Se terminar entre as quatro primeiras seleções da América do Sul, consegue vaga direta. Se terminar em quinto lugar terá de disputar a repescagem contra uma seleção da Oceania.

Só se falou sobre altitude no jogo do Brasil contra a Bolívia

PTorre
há 14 dias7.0k visualizações
Só se falou sobre altitude no jogo do Brasil contra a Bolívia
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

(Twitter / CBF)

Há anos a seleção brasileira joga nos 3.640 metros acima do nível do mar quando tem de enfrentar a Bolívia em La Paz. Foi lá, inclusive, que o Brasil sofreu sua primeira derrota nas eliminatórias sul-americanas, em 1993, por 2 a 0. E a última vez que venceu foi em 1997, na final da Copa América contra a própria Bolívia, com um time que tinha Romário e Ronaldo no ataque.

A cada jogo contra a Bolívia fora de casa, só se fala da altitude de La Paz, como se fosse a maior de todas as novidades. Parece um mantra. Altitude de La Paz. Repita comigo. Altitude de La Paz. De novo. Altitude de La Paz. Pois é. Cansa. E funciona para a Bolívia.

Penúltima colocada nas eliminatórias e sem chances de ir à Copa do Mundo, a Bolívia conseguiu resistir ao líder Brasil e empatou o jogo sem gols. Todos apontam que o motivo para isso foi qual? Isso. A altitude de La Paz. Até a CBF divulgou fotos dos jogadores com cilindros de oxigênio no vestiário após o jogo.

Na altitude, o ar rarefeito torna a respiração mas difícil e, por isso, os jogadores têm menos fôlego para conseguir dar piques e correr frequentemente durante todo o jogo. A comissão técnica da seleção brasileira decidiu usar a tática de chegar horas antes do jogo ao estádio para diminuir os efeitos dela. A altitude La Paz.

Sério. A "altitude de La Paz" era quase citação obrigatória ao falar sobre o jogo.

Mesmo que fosse para fazer piadinhas.

Ao fim do jogo, Neymar reclamou das condições ruins. Do jogo, da bola e....isso, altitude de La Paz.

A culpa foi toda dela. A altitude de La Paz. 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pedrot
Jornalista, curioso e apaixonado por futebol