ESPORTES

Renato Gaúcho roubou a cena até na final da Libertadores

Autor
Renato Gaúcho roubou a cena até na final da Libertadores

(Agif)

Renato Gaúcho. Você já o conhece. Estilão de malandro, risada, sempre fácil a brincadeiras e frases polêmicas para repercutir. Quem não lembra da promessa de que o Corinthians iria despencar no Brasileiro? O Timão acabou campeão. Pois bem. Lá estava ele em mais uma coletiva de imprensa depois do primeiro jogo da final da Libertadores.

Renato, claro, estava feliz. Sorrisão aberto. Venceu de 1 a 0, tem a vantagem do empate para levar o título no segundo jogo, na próxima semana, em Buenos Aires. Mas aí que a entrevista rolava. Renato reclamou de um pênalti no fim do jogo, da não utilização de um árbitro de vídeo. E já nessa saiu com uma boa, que arrancou risadas de quem acompanhava.

Isso aí. Ele disse que até Stevie Wonder, o notório músico norte-americano portador de deficiência visual, apitaria o pênalti em cima de Jael no fim da partida.

Aí de boa. O papo continuou, Renato falando sobre o jogo, sendo indagado sobre isso e aquilo. Mas quem já acompanhou coletivas do técnico do Grêmio sabe de uma coisa: ele não suporta algum barulho ao seu lado enquanto está falando. E volta e meia interrompe a coletiva. Desta vez houve de novo este problema, mas aí....

Renato olhou para o lado. Perguntou quem estava fazendo o barulho, um batuque. Até que o avisaram que era o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, o autor da batucada. Aí o técnico ficou totalmente sem graça com a bronca que tinha dado. E "liberou" o mandatário para fazer a festa necessária. Confira a partir de 11'18'' no vídeo abaixo.

E essa foi a coletiva do jogo de ida. Imaginem vocês se o Grêmio for campeão e Renato se tornar o primeiro na História a levantar a Libertadores como jogador, o que já fez em 1983, e agora como técnico. Estátua vai ser pouco para a criança...