POLÍTICA

10 dados que mostram a relevância do ato contra Temer em Brasília

Pedro Zambarda de Araújo
Author
Pedro Zambarda de Araújo

Em 24 de maio de 2017, milhares de pessoas protestaram em Brasília por Diretas Já e pelo Fora Temer. Entenda como isso foi relevante.

10 dados que mostram a relevância do ato contra Temer em Brasília

No dia 24 de maio de 2017, Brasília literalmente pegou fogo. Protestos organizados pela CUT, CTB e outras centrais sindicais, com apoio do MST e do MTST de Guilherme Boulos, tomaram a capital brasileira. A mobilização aconteceu depois da divulgação da delação premiada da JBS, que incrimina o presidente Michel Temer, o senador Aécio Neves e 1829 políticos de 29 partidos.

Elencamos neste texto 10 itens que mostram a relevância do protesto do dia 24.

10 dados que mostram a relevância do ato contra Temer em Brasília

1 - Cerca de 100 mil pessoas compareceram no ato. As estatísticas divergem, mas aparentemente as centrais sindicais tiveram sucesso em reagir diante das denúncias envolvendo Temer. A Secretaria da Segurança Pública do Distrito Federal afirmou que apenas 25 mil foram. A Agência Brasil divulgou 45 mil. O protesto foi maior do que os atos pulverizado em diferentes cidades brasileiras, de São Paulo até Porto Alegre, Rio de Janeiro e Recife, que reuniram entre cinco mil e 50 mil manifestantes.

2. Dois ministérios foram incendiados. Longe de defender depredação de patrimônio público, esta coluna enxerga estes atos sim como a legítima desobediência civil. A JBS, só nos esquemas de Michel Temer, desviou R$ 500 milhões misturando dinheiro público e privado. O prejuízo das depredações é menos de R$ 1,4 milhão, diz o governo.

10 dados que mostram a relevância do ato contra Temer em Brasília

3. A polícia deu tiros com balas reais na população. A atitude representou um risco de vida na população, o que gerou 49 feridos e oito detidos, no entanto escancarou o autoritarismo despreparado do governo Michel Temer.

4. Temer convocou o Exército pra proteger Brasília e foi dispensado pelo general Eduardo da Costa Villas Bôas. Isso evidenciou que o presidente não tem pulso e corre mesmo o risco de cair.

10 dados que mostram a relevância do ato contra Temer em Brasília

5. A PEC das Diretas Já começou a andar. Tem baixas chances de ser aprovada, mas a pressão popular foi ouvida. Se mais protestos acontecem, os deputados podem ser pressionados a votá-la.

6. ONU criticou o desempenho da polícia protegendo o governo Temer. O que contribui mais para a queda de credibilidade da gestão.

7. Mais de 100 deputados foram constrangidos no dia. Acho que é o mínimo que estes congressistas merecem, não?

8. Temer não tem 5% de aprovação segundo pesquisa interna. Se houver um levantamento mais sério, capaz que não tenha nem isso.

9. Todos os veículos internacionais deram imagens do protesto como indícios da fraqueza do governo Temer. E só pesquisar na internet.

10. O Guardian, jornal inglês, defendeu abertamente eleições diretas no Brasil. Basta ler aqui.

10 dados que mostram a relevância do ato contra Temer em Brasília

Considerações finais desta coluna: protesto não serve pra ser passeata ordeira e pacífica por ser pacífica. Entendo que é controverso defender depredações, mas a tática black bloc e os protestos anarquistas tem completa razão de se manifestar num país onde autoridades políticas não tem o menor respeito com os direitos públicos da população.