GAMES

A relação entre o game Hellblade: Senua's Sacrifice e a depressão

Pedro Zambarda de Araújo
Author
Pedro Zambarda de Araújo

Saiba mais detalhes do jogo "indie triple AAA" que está chamando atenção em agosto. É uma viagem que vale a pena para os gamers.

A relação entre o game Hellblade: Senua's Sacrifice e a depressão

(Fotos: Divulgação)

[O TEXTO CONTÉM SPOILERS SOBRE O GAME. JOGUE PARA SABER MAIS]

Um jogo que mistura fantasia com um problema psicológico real é uma boa jornada para quem está ou esteve enfrentando um momento difícil na vida. Conheça também a história de um estúdio independente que fez de fato um projeto muito interessante para a cena internacional de games.

A relação entre o game Hellblade: Senua's Sacrifice e a depressão

Hellblade é um jogo cinemático, curto e foi lançado no dia 8 de agosto. O game foi anunciado na Gamescom de 2014 pela Sony e foi desenvolvido pela Ninja Theory, empresa que fez Heavenly Sword, Enslaved: Odyssey to the West e DmC: Devil May Cry. Apesar dos grandes títulos criados por eles, o estúdio tem cerca de 20 desenvolvedores, ou seja, é independente. É uma pequena empresa.

A relação entre o game Hellblade: Senua's Sacrifice e a depressão

O jogo lida com cultura celta e viking, além de ter o apoio de neurocientistas em seu desenvolvimento. A grande indústria de games é chamada convencionalmente de "triple AAA". Hellblade quer ser um "indie triple AAA".

E eles atingiram o objetivo.

A viagem depressiva de Senua

A relação entre o game Hellblade: Senua's Sacrifice e a depressão

Com rock industrial de trilha sonora, feita por grupos como Combichrist e VNV Nation, o jogo brinca com ruídos e alucinações o tempo todo. A história principal é a viagem da protagonista Senua até o Hel, no inferno nórdico.

A depressão é um distúrbio psíquico que não se caracteriza somente pela tristeza, mas sim uma profunda angústia de raízes sociais e afetivas. E é este o sentimento que acompanha a protagonista em sua jornada.

Mesmo com uma equipe reduzida, o time da Ninja Theory criou efeitos visuais baseados na captação de movimentos faciais que dão vida aos sentimentos de Senua.

O jogador precisa fazê-la superar a perda de seu amado na sua jornada de caída até às sombras. A jornada da depressão da personagem foi permeada por boatos de que a morte dela seria permanente no título.

O game brinca com este conceito e amplia, gerando empatia com o sofrimento da personagem.

A atriz Melina Juergens deu vida ao sofrimento de Senua, que é permeado por combates que misturam Dark Souls e God of War. Desta forma, o jogo atrai tanto por sua carga sentimental quanto pelo capricho nos aspectos técnicos.

É, portanto, um indie game de gente grande. Um grande título de 2017 ao tratar de um distúrbio que normalmente é pouco abordado nos jogos.