LAVA JATO

Como Sérgio Moro pede ajuda para Temer contra crimes de corrupção?

Autor

Parece que o juiz da Operação Lava Jato pediu ajuda para quem não concorda muito com o combate à corrupção.

Como Sérgio Moro pede ajuda para Temer contra crimes de corrupção?

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Fotos Públicas)

No começo de dezembro, o ex-advogado da Odebrecht, Tacla Durán, fez acusações e mostrou provas de que o advogado Carlos Zucolotto Junior, amigo do juiz de primeira instância em Curitiba e sócio de Rosângela Moro em escritório de advocacia, negociou delação premiada em mensagens pelo aplicativo Wickr. Durán mostrou fotografias do app que apaga mensagens em cinco segundos na CPI que envolve as delações premiadas da JBS, comissão que invesiga Marcelo Miller (ex-braço-direito de Rodrigo Janot) e outros nomes.

Sérgio Moro não vive seu melhor período público depois das acusações de Rodrigo Tacla Durán envolvendo o Ministério Público de Curitiba e Zucolotto. Visto até então como um juiz imparcial e justo pela grande mídia, ficou exposto que os acordos de delação premiada em Curitiba tinham um direcionamento claro ao PT e não atingiram corretamente a corrupção de legendas como o PMDB e o PSDB.

No entanto, o juiz passou dos limites na premiação de "Brasileiros do Ano" promovido pela revista Istoé que ocorreu no dia 5 de dezembro no Tom Brasil, em São Paulo. Ao lado Henrique Meirelles, que não recuperou a economia em crise com Dilma, e de ACM Neto, acusado de crimes de corrupção, Moro foi premiado.

E ele exibiu publicamente que é conivente com determinadas corrupções.

Pedido ao presidente da República

No seu discurso de agradecimentos, Sérgio Moro pediu que Michel Temer impeça o Supremo Tribunal Federal (STF) de rever a decisão que acelerou prisões em segunda instância, o que afetou políticos investigados na Lava Jato antes do julgamento de seus recursos em instâncias superiores. Isso, na prática, deu poderes a Moro na primeira instância.

 “O governo federal tem um grande poder e grande influência e pode utilizar isso. Se houver mudança, seria um grave retrocesso”, pontuou Moro.

No momento dos aplausos, ao invés de retribuir o respeito do juiz, Temer não o aplaudiu.

A corrupção que só afeta parcialmente políticos na Lava Jato

Moro condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e seis meses na Operação Lava Jato por corrupção no caso do triplex do Guarujá. O juiz de Curitiba afirma que não pode julgar Michel Temer porque ele tem foro privilegiado, o que é verdade, mas não deu andamento às acusações graves que surgiram contra Eduardo Cunha no seu estado.

A corrupção da Petrobras ganhou força graças ao sistema de propinas de Cunha e do PMDB. Foi o mesmo sistema que, de acordo com a delação premiada da JBS, permitiu a compra de deputados que causaram o impeachment de Dilma.

Agora Moro pede ajuda a Temer, delatado pela JBS por corrupção envolvendo Eduardo Cunha, para combater crimes de corrupção. Como assim?

O magistrado de Curitiba é um juiz no caso de petistas ou é parte acusatória?

Com as denúncias de Tacla Durán e as atitudes públicas de Sérgio Moro, as dúvidas se avolumam.