GAMES

Conheça o game brasileiro Black Andy Label, que inova com captura de movimento

Autor

Um estúdio brasileiro está fazendo um jogo com captura de movimentos e gráficos de última geração por conta de parcerias internacionais. Conheça mais sobre ele.

Conheça o game brasileiro Black Andy Label, que inova com captura de movimento

(Fotos: Divulgação)

Foi -se o tempo em que a maioria dos games brasileiros era de texto ou possuía apenas gráficos retrô. Desde o início da cena brasileira de games, em 1981, o mercado vive o seu melhor momento. O ciclo que começou em 2009 trouxe pela primeira vez games de alta performance tanto para computador quanto para os consoles de última geração.

Conheça o game brasileiro Black Andy Label, que inova com captura de movimento

A empresa Black House Entertainment, de São Paulo, apresentou-se em eventos na Campus Party Brasil e na escola americana Full Sail University. A companhia tem feito palestras porque está envolvida em um projeto de longo prazo que pode beneficiar todo o mercado brasileiro. Ela surgiu em 13 de abril de 2009.

Desde janeiro de 2017, eles estão desenvolvendo de forma focada o game Black Andy Label. Antes disso, a empresa especializou-se em animação digital e desenvolveu diversos protótipos até chegar num jogo digital que lembra Gears of War, da Microsoft, no tiroteio com artes marciais.

A primeira versão de Black Andy, com gameplay, foi exibida no Spin de setembro, encontro de desenvolvedores de São Paulo.

Conheça o game brasileiro Black Andy Label, que inova com captura de movimento

O Drops de Jogos entrevistou Joaquim Moreno e Victor Lucki da empresa Black House. Eles deram detalhes do projeto.

"Somos a primeira empresa brasileira a fazer motion capture (captura de movimento) corporal total. Utilizamos a tecnologia nacional da Print Me (impressora 3D) para escanear tanto os rostos dos atletas quanto objetos", explica Moreno. "Colocamos algo a mais. Cada um dos três personagens no game tem artes marciais próprias, visando criar uma experiência mais cinematográfica", afirmou Lucki. O jogo se encontra na demo alfa, bem no começo de sua produção.

Black House Entertainment está com diálogos com a Intel, NVIDIA e outros grandes players internacionais. O jogo foi desenvolvido em 452 dias até sua demo, partilhando com outras experiências, o que corresponde a um pouco mais que um ano. 

O projeto envolve 28 pessoas ao todo e cinco que trabalham com foco total. Veja abaixo o que eles já estão desenvolvendo.