GAME OF THRONES

Daenerys e Cersei em Game of Thrones: como elas abordam a luta de classes?

Pedro Zambarda de Araújo
Author
Pedro Zambarda de Araújo

Um conceito de esquerda muito presente em duas personagens femininas centrais da sétima temporada. Como isso afeta a narrativa de uma saga que se aproxima do fim? E como isso é apresentado ao telespectador? CONTÉM SPOILERS ABAIXO.

Daenerys e Cersei em Game of Thrones: como elas abordam a luta de classes?

(Fotos: Reprodução/HBO GO)

[CONTÉM SPOILERS]

O conceito de luta de classes nasce com diferentes autores, incluindo Mikhail Bakunin, do anarquismo, afirmando que a repressão da burguesia com sua propriedade privada tirava o poder dos operários privando-os dos meios de produção. A Revolução Francesa e Industrial tiraram a Europa do feudalismo e deram poder aos capitalistas mercantilistas, criando o socialismo e a esquerda política como críticos deste sistema econômico. Além de Bakunin, David Ricardo, Pierre-Joseph Proudhon, Karl Marx e Friederich Engels desenvolveram a ideia  deste conflito em suas próprias obras teóricas. A ideia se popularizou no Manifesto Comunista de Marx, publicado em 1848.

O seriado da HBO Game of Thrones trouxe o conceito de luta de classes brevemente no episódio "Eastwatch", o quinto da sétima temporada que foi exibido no dia 13 de agosto. Embora tenha sido exibido muito superficialmente, é importante dizer que este tipo de conflito está presente nas rainhas Daenerys Targaryen e Cersei Lannister, protagonistas das intrigas mais recentes.

Daenerys e Cersei em Game of Thrones: como elas abordam a luta de classes?

Vamos esmiuçar estes conceitos.

O discurso de Daenerys, a rainha dos dragões

Na abertura do episódio, antes de executar os Tarly com o dragão Drogon, incinerando-os, a rainha filha do Rei Louco faz um discurso que dá o tom da sua ideologia como governante. Mesmo fazendo parte de uma casa tradicional, Daenerys Targaryen carrega conceitos que destoam da aristocracia dos sete reinos imaginados por George R. R. Martin para os livros que geraram o seriado.

"Eu sei o que Cersei disse a vocês que eu vim para destruir suas cidades, queimar seus lares, matar vocês e deixar suas crianças órfãs. Esta é Cersei Lannister, não eu. Não estou aqui para matar e a única coisa que quero destruir é a roda que rola entre ricos e pobres, que beneficia ninguém menos que as Cerseis Lannisters do mundo. Ofereço uma escolha. Fiquem de joelhos e juntem-se a mim. Juntos vamos fazer do mundo um local melhor do que aquele que conhecemos. Ou então recusem... e morram", diz ela.

Daenerys e Cersei em Game of Thrones: como elas abordam a luta de classes?

No minuto seguinte, Drogon intimida toda a tropa dos Tarly, que apoiaram a rainha Cersei de Porto Real.

Casa de Daenerys, os Targaryen dominaram os sete reinos por aproximadamente 300 anos e não representam exatamente o que poderíamos dizer que é a esquerda política. O pai dela, Aerys II Targaryen, ficou conhecido como o "Rei Louco" por incinerar inimigos e terminou morto por Sir Jaime Lannister, seu braço direito. Por conta disso, Daenerys Targaryen fugiu do continente de Westeros para não ser morta pelo novo rei, Robert Baratheon, foi praticamente vendida para o líder Khal Drogo, num casamento arranjado, da tribo dos Dothraki e começou a fazer política efetivamente fora dos palácios. O marido morreu por uma bruxaria, mas ela passou a dominar povos fora de Porto Real com seus três dragões: Drogon, Rhaegal e Viserion.

No deserto de Meereen, a rainha dos dragões libertou os escravos, dominou os Dothraki e construiu um exército para declarar guerra a Cersei Lannister, que assumiu o trono após a morte de seus filhos Jeoffrey, Tommen e Myrcella Baratheon. Apoiada pelo irmão de Cersei, o anão Tyrion, Daenerys carrega o discurso de que fará diferente quando assumir o trono.

Daenerys e Cersei em Game of Thrones: como elas abordam a luta de classes?

Ela vai acabar com a roda dos aristocratas que castigam a população em guerras para fazer um governo em que ex-escravos são escutados e têm posições de comando com a rainha. No entanto, apesar deste viés progressista e revolucionário, pouco conectado com o dinheiro, Daenerys Targaryen é bastante autoritária e tem um gosto por execuções parecido com o de seu pai.

Lannisters, os burgueses do seriado

Daenerys e Cersei em Game of Thrones: como elas abordam a luta de classes?

Filha do rico Tywin Lannister e de sua esposa Joanna, Cersei é a mais velha, gêmea de Jaime, com quem mantém um relacionamento incestuoso, e nascida um pouco antes dele. Assim como o pai, ela compartilha uma obsessão pelo poder em Westeros, tanto dos reis quanto de articuladores políticos nos bastidores. Dono de Casterly Rock, Tywin, o pai, tornou-se muito rico com minas de ouro. Assim ele construiu um imenso exército que deixou de herança para Cersei e Jaime Lannister.

Descrita pelo criador dos livros "As Crônicas de Gelo e Fogo" como uma personagem "sociopata" e "narcisista", Tywin Lannister tentou arranjar o casamento de sua filha Cersei com Rhaegar Targaryen. Rhaegar casou-se com Elia Martell e capturou Lyanna Stark, a prometida de Robert Baratheon, provocando uma revolta que causaria ruína à sua família.

Robert declarou guerra e, com apoio do ouro e dos exércitos de Tyrwin Lannister, venceu o Aerys II Targaryen, que foi morto pelas costas pelo ex-aliado Jaime Lannister, que era a "Mão do Rei" - uma espécie de conselheiro militar. Lyanna Stark morreu durante a guerra. Sua morte é cercada de mistérios nos livros, mas no seriado ela morre após dar a luz ao seu filho Jon Snow. Cersei acabou casando-se com o novo monarca Baratheon. Teve Jeoffrey, Myrcella e Tommen como filhos, mas a rainha não os teve com Roberto Baratheon e sim com sir Jaime.

Na guerra dos tronos, Joffrey e Myrcella Baratheon foram envenenados e Tommen cometeu suicídio quando Cersei salvou a vida de sua família matando inimigos dentro da corte. Com os filhos mortos, ela tomou posse como única rainha dos sete reinos, declarando guerra ao mundo.

Cersei Lannister, assim como o pai, nunca manifestou apreço nenhum ao povo de Westeros e prefere agir nos bastidores. Não é uma líder popular, e populista, como Daenerys Targaryen é, ao lado dos dragões que misturam ordem e opressão. A posição de Cersei, desta forma, é muito mais burguesa e aristocrática.

E a luta de classes da esquerda marxista se manifesta suavemente nas diferenças entre as duas rainhas de Game of Thrones. 

Não é apenas a ameaça dos mortos White Walkers que norteia o seriado fantasioso, mas sim o conflito entre visões diferentes de mundo que fazem muita política.