Drops de Jogos
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Drops de Jogos
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Drops de Jogos
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Como o game BR Distortions, vencedor do BIG Festival, representa as mulheres?

Breves considerações sobre o jogo que é destaque no maior festival indie da América Latina.

Como o game BR Distortions, vencedor do BIG Festival, representa as mulheres?
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

BIG Festival 2017 ocorreu entre os dias 24 de junho e 2 de julho de 2017 no Centro Cultural São Paulo, ao lado da estação Vergueiro de metrô. É um evento gratuito e uma oportunidade única para conhecer os melhores games produzidos no Brasil e no exterior.

O BIG é considerado o terceiro maior festival "indie" do mundo. Perde apenas para as mostras de games independentes IndieCade (que ocorre dentro da E3 com o The Mix) e o Independent Games Festival (IGF) da GDC, ambos nos Estados Unidos. Na América Latina, é o maior evento dedicado ao setor, com apoio da Apex-Brasil, BNDES e até de empresas do setor químico como a Dow.

Neste ano no BIG, o grande vencedor como Melhor Jogo foi o game Overcooked, dos ingleses da  Ghost Town Games, e que é bem famoso no PlayStation 4 e Xbox One. No entanto, entre os indies brasileiros, quem mais faturou foi Distortions, da Among Giant.

Distortions venceu como Melhor Jogo Brasileiro (R$ 10 mil), Melhor Jogo do Público (voto popular) e ainda levou R$ 50 mil em ações de mídia do site IGN Brasil, o maior de games em nosso país.

E por que o game venceu?

Ele traz, em resumo, um enredo sensível com bons gráficos 3D.

É um título singleplayer (um jogador) que se baseia na superação de experiências passadasem relacionamentos. Misturando música com drama, o jogo traz uma protagonista feminina e se passa em um estranho lugar onde o tempo parece estar parado. Os desenvolvedores criaram pelo menos 15 horas de experiência.

A heroína utiliza um violino como arma e os relatos de páginas de um diário como seu guia. Os cenários incluem montanhas, florestas, cavernas, rios, lagos e até mesmo o mar. O poder das músicas permite moldar o mundo ao seu redor, criando pontes, explosões e barreiras.

Distortions foi vencedor do edital da SPCine e entrou na lista dos 100 maiores games do sistema Greenlight do Steam, o maior site de vendas digitais de jogos do mundo. Também é finalista no Indie Prize 2017, que vai acontecer em Seattle. É a primeira vez que o mesmo jogo brasileiro é indicado a concorrer como melhor jogo independente no “Óscar dos Games Indie” duas vezes consecutivas.

Ele também concorre no IndieCade Festival. É um marco nos games tão importante quanto Horizon Chase foi em 2016, chegando ao topo da loja da Apple.

E é bacana tanto reconhecimento para um jogo brasileiro com protagonista feminina, assim como foi Toren (Swordtales) e vai ser Eternity (Void Studios), entre outros.

10 lançamentos de games em 2017 que provam que os anos 90 não morreram

Mega Drive novo? Apps gratuitos de jogos clássicos? Saiba o que saiu neste ano mas poderia ter saído em 1993, em 1997, naquela década maravilhosa.

10 lançamentos de games em 2017 que provam que os anos 90 não morreram
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Nostalgia é um fator importante no mercado de videogames. Em 2017, dentro e fora do Brasil, novos jogos e aparelhos novos brincam com este conceito. Muitos deles remente à década de 90 dos games eletrônicos.

Confira uma lista de 10 lançamentos que mostram o poder da nostalgia.

1. Mario Odyssey vai chegar no dia 27 de outubro de 2017. E é o segundo grande lançamento para Nintendo Switch neste ano. O game traz o nosso encanador bigodudo num mundo aberto sem fases lineares. Você utiliza um chapéu mágico que é capaz de tomar conta do corpo dos inimigos, mas o gameplay lembra Mario 64 (1996). Durante a E3 2017, as cidades do game se tornaram cenário do booth oficial da Nintendo. Foi o jogo da maior feira do mundo no setor para sites como IGN e UOL Jogos.

2. The Legend of Zelda Breath of the Wild chegou no dia 3 de março e pode ser jogo do ano. Com nota 97 no Metacritic, foi o game de estreia do Switch e é muito parecido, em parte, com Ocarina of Time (1998).

3. Um Super Nintendo Mini oficial foi anunciado para 29 de setembro. E ele virá com 21 games, incluindo alguns inéditos, como Star Fox 2, além de versões americana e europeia do hardware. O videogame é original de 1990. Um deleite para os fãs da Big N.

4. Um novo Mega Drive foi lançado em maio de 2017 no Brasil, pela Tectoy. O videogame chegou ao mercado por R$ 449, compatibilidade com cartuchos e o jogo brasileiro “Turma da Mônica na Terra dos Monstros”. O aparelho foi lançado originalmente 1988 no Japão, mas chegou em terras brasileiras em 90.

5. Mega Drive também foi anunciado para voltar nos Estados Unidos com anúncio em junho. Com o nome "Genesis Flashback", o aparelho voltará com 85 games na memória.

6. A SEGA relançou o game Sonic The Hedgehog, o clássico de 1991, de graça para smartphones iOS e Android. O jogo faz parte do pacote SEGA Forever.

7. SEGA Forever relançou Kid Chameleon, clássico de 1992 do Mega Drive. O jogo também está de graça nos celulares Apple e Android.

8. Comix Zone, do Mega Drive, também voltou de graça no pacote SEGA Forever para iOS e Android. O jogo é originalmente de 1995.

9. Pokémon Gold e Silver, de 1999, serão relançados para Nintendo 3DS. Chegam em 22 de setembro de 2017.

10. Sonic Mania vai chegar em 15 de agosto de 2017 para PlayStation 4, Nintendo Switch e Xbox One. O jogo é uma óbvia homenagem ao porco-espinho 2D que rivalizou com o Mario nos anos 90 e sua produção tem participação de um desenvolvedor brasileiro chamado Lucas Carvalho, conhecido como Mídio.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pedrozambarda
Escreve desde os 8 anos. É editor do Geração Gamer e Drops de Jogos, além de ser repórter do Diário do Centro do Mundo.