Drops de Jogos
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Drops de Jogos
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Drops de Jogos
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Conheça o SPIN, evento mensal gratuito para desenvolvedores de jogos em SP

Organizado no Centro Cultural São Paulo (CCSP) mensalmente e de graça, o SPIN é uma ótima oportunidade para conhecer desenvolvedores de games brasileiros e suas criações.

Conheça o SPIN, evento mensal gratuito para desenvolvedores de jogos em SP
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

(Fotos: Pedro Zambarda/Drops de Jogos)

A comunidade de desenvolvedores de games no Brasil é expressiva, dinâmica e consegue se organizar mesmo com uma série de obstáculos, tais como impostos, o desconhecimento do público nacional e a falta de incentivos tanto governamentais quanto empresariais. Há, em São Paulo, uma organização que reflete o vigor desta comunidade.

Conheça o SPIN, evento mensal gratuito para desenvolvedores de jogos em SP

(Na foto: Marcos Gonçalves, ex-representante do IGDA, falando sobre a Indie Warehouse em Brasília)

O SPÌN, nascido originalmente como SPIndies, surgiu em 2013 como uma reunião informal de desenvolvedores em São Paulo. O fundador do evento foi Andre Asai, que hoje é desenvolvedor do estúdio Loud Noises e fez o fliperama GEMMU no BIG Festival, maior evento de jogos independentes no Brasil.

Atualmente os encontros ocorrem na primeira quarta-feira do mês e hoje são organizados por Ariel Velloso, que fez o evento HeartBits na Virada Cultural de São Paulo. Depois de ocupar diferentes espaços, o SPIN retornou ao CCSP, ao lado da estação Vergueiro de metrô, e concentra, em média, uma centena de desenvolvedores, entusiastas e parceiros da cena brasileira de desenvolvimento de jogos.

E o que você encontra por lá?

A organização do SPIN

O evento geralmente ocorre às 19hrs. O próximo será no dia 6 de setembro.

Ele geralmente abre num quadro chamado "Jogo Rápido". Por cerca de uma hora, cinco desenvolvedores apresentam seus games em desenvolvimento ou finalizados. A apresentação é feita com um monitor diante do público, como numa palestra.

A segunda metade do evento é dedicada ao gameplay. Os devs mostram seus jogos nos notebooks e o público presente pode testá-los em primeira mão. Tudo de graça.

Figuras ilustres no evento e informações em primeira mão

Durante o BIG, o SPIN ocorreu dentro do maior evento indie do Brasil e da América Latina com a presença de Phil Duncan, o desenvolvedor britânico de Overcooked. O jogo que coloca o player como um cozinheiro foi o vencedor da principal premiação da feira.

Conheça o SPIN, evento mensal gratuito para desenvolvedores de jogos em SP

(Na foto: o britânico Phil Duncan, com o microfone na mão)

Jogos voltados para necessidades especiais também já foram apresentados no SPIN, como foi o caso de Corra Guerreirinho, da desenvolvedora Joyce Cavallini. O game ajudou um menino com distúrbio mental a conseguir o tratamento adequado.

O SPIN também revelou em primeira mão o projeto Indie Warehouse em Brasília. A iniciativa contou com o envolvimento do desenvolvedor Marcos Gonçalves, que representou a ONG norte-americana IGDA em São Paulo e será um dos 40 desenvolvedores e empresas a ocuparem o espaço de coworking no coração do Brasil.

Conheça o SPIN, evento mensal gratuito para desenvolvedores de jogos em SP

 

Conheça o SPIN, evento mensal gratuito para desenvolvedores de jogos em SP

(Na foto acima: Andre Asai, fundador do SPIN, testa games com controle)

Ficou curioso com o evento? Confira algumas das entrevistas com os desenvolvedores de São Paulo que estão na iniciativa.

Como a série Injustice criou os melhores games de heróis da DC

Injustice 1 e Injustice 2 têm seus motivos para estarem entre os games mais admirados entre os fãs da DC. Com uma ficção distópica tendo Superman e Batman como os personagens principais, os jogos também trazem a infraestrutura de desenvolvimento que consagrou Mortal Kombat

Como a série Injustice criou os melhores games de heróis da DC
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

(Fotos: Divulgação/Warner Games)

Se você gosta de jogos de luta, certamente já deve ter passado por uma série baseada apenas em super-heróis da DC Comics. Com uma história particular, a franquia conquista quem é fã dos personagens de quadrinhos e até aqueles que não conhecem tanto suas histórias.

A série Injustice é um exemplo de adaptação das histórias dos super-heróis da DC nos videogames mais recentes. A empresa de desenvolvimento de games NetherRealm Studios, que existe desde 2010, é a continuação do trabalho do diretor criativo Ed Boon. Foi ele que criou a série Mortal Kombat na Midway Games, cuja filial de Chicago entrou em falência.

Embora não seja tão sanguinário quanto MK, Injustice traz uma atmosfera sombria para contar uma história envolvendo estes personagens.

Um futuro distópico

O Coringa, inimigo do Batman, engana o Superman e mata sua amada Louis Lane, a jornalista do Daily Planet em Metropolis. Ela estava grávida do Homem de Aço. O assassinato detona uma arma nuclear que mata milhões na cidade.

Respondendo ao crime, Superman resolve tomar conta do poder e cria uma ditadura dos heróis. Por cinco anos, o regime do Homem de Aço erradica os crimes do mundo.

Batman resolve criar um grupo rebelde e consegue retornar no tempo para avisar sobre os futuros crimes do Superman. A insurgência consegue derrubar a ditadura.

Com a queda do Superman, o mundo também é ameaçado por Brainiac, que foi o responsável pela destruição do planeta do Homem de Aço, Krypton.

Injustice: Gods Among Us

Como a série Injustice criou os melhores games de heróis da DC

Lançado em 16 de abril de 2013, Injustice: Gods Among Us saiu para PlayStation 4, PS3, Xbox 360, Wii U, PlayStation Vita, iOS, Android e PC. As versões para celulares são free-to-play, ou seja, são gratuitas no download e possuem parte do conteúdo pago.

O game traz os personagens Aquaman, Ares, Bane, Batgirl, Batman, Black Adam, Catwoman, Cyborg, Deathstroke, Doomsday, Flash, Green Arrow, Green Lantern, Harley Quinn, Hawkgirl, Joker (Coringa), Killer Frost, Lex Luthor, Lobo, Martian Manhuntera, Nightwing (Asa Noturna), Raven, Scorpion (do Mortal Kombat), Shazam, Sinestro, Solomon Grundy, Superman, Wonder Woman, Zatanna e Zod.

E há roupas alternativas para todos os personagens. O Superman do quadrinho "Entre a Foice e o Martelo" está presente no game, sendo que é uma versão comunista alternativa do Homem de Aço.

Injustice 2: Every Battle Definies You

Como a série Injustice criou os melhores games de heróis da DC

O primeiro Injustice é centrado na história da ditadura de Superman. O segundo já chega na parte do enredo em que Brainiac tenta destruir o mundo.

Injustice 2 chegou 11 de maio de 2017 com o mote "Every Battle Definies You". Ou seja, ao invés de personagens com roupas oficiais e alternativas, é possível entrar no modo online à la Mortal Kombat X, aumentar de nível e customizar as roupas dos personagens.

Ed Boon virá à BGS, no Brasil, para contar a experiência de desenvolvimento no segundo capítulo de Injustice. O game tem os lutadores Aquaman, Atrocitus, Bane, Batman, Black Adam, Black Canary, Black Manta, Blue Beetle, Brainiac, Captain Cold, Catwoman, Cheetah, Cyborg, Darkseid, Deadshot, Doctor Fate, Firestorm, Flash, Gorilla Grodd, Green Arrow, Green Lantern, Harley Quinn, Hellboy, Joker (Coringa), Poison Ivy, Raiden, Red Hood, Robin/Nightwing, Scarecrow, Starfire, Sub-Zero, Supergirl, Superman, Swamp Thing e Wonder Woman.

O game roda no PlayStation 4, Xbox One, iOS e Android.

O universo ao redor dos jogos

Além dos dois games, a história de Injustice tornou-se graphic novel. Ou seja, a história dos jogos eletrônicos gerou enredo nos quadrinhos.

Estes são os maiores representantes da DC Comics nos videogames. Se você é fã de Batman e Superman e ainda não jogou, por que está perdendo tempo?

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pedrozambarda
Escreve desde os 8 anos. É editor do Geração Gamer e Drops de Jogos, além de ser repórter do Diário do Centro do Mundo.