PSDB

FHC diz que prefere "derrotar Lula na urna" do que vê-lo na cadeia

Autor

O ex-presidente tucano parece moderar no discurso, mas o seu partido só consegue se expandir criticando o maior líder histórico da esquerda brasileira.

FHC diz que prefere "derrotar Lula na urna" do que vê-lo na cadeia

(Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula/Fotos Públicas)

Os dois maiores nomes da política brasileira dos anos 90 e 2000 já estão armando o cenário para o ano que vem. 

Fernando Henrique Cardoso discursou na convenção nacional do PSDB neste sábado (9) e fez ponderações moderadas sobre Lula. FHC elogiou o governador Geraldo Alckmin, que afirmou que Lula pretende "voltar à cena do crime" em 2018, mas preferiu tomar outro caminho ao se referir ao rival petista.

“Eu prefiro combatê-lo na urna a vê-lo na cadeia”, disse FHC. Relembrou suas vitórias em primeiro turno em 1994 e 1998. Afirma que, se não tivesse 86 anos, encararia Luiz Inácio Lula da Silva pela terceira vez.

Por que o PSDB deveria abandonar o discurso de criminalização do PT ao associá-lo sempre com a corrupção?

O direito de se candidatar

Até se tornar oficialmente "ficha suja", Lula tem direito a tentar o Palácio do Planalto. Embora tenha sido condenado em primeira instância a uma pena de nove anos e seis meses pelo juiz Sérgio Moro na Operação Lava Jato, ele só é tecnicamente impedido de concorrer ao ser condenado em segunda instância, tornando-se ficha suja.

Antes das mudanças na condenação em segunda instância, o ex-presidente poderia concorrer até o processo transitar em julgado, isto é, julgar todos os recursos. Dentro do Supremo Tribunal Federal, há um debate para revogar essa provisão. Moro, embora seja juiz de primeira instância, quer manter a condenação em segunda instância como suficiente para um político ser chamado de "ficha suja" e é contra a redução das prisões provisórias. No entanto, setores do próprio PSDB e o ministro Gilmar Mendes, do STF, estão articulando contrariamente a essas novas medidas.

Do ponto de visto constitucional, impedir os direitos políticos de alguém que não foi julgado em todas as instâncias é contra a letra fria da lei. Por isso, faz sentido que FHC defenda a candidatura de Lula nesta altura do campeonato. 

O problema é que é impossível enxergar o ato do grão-tucano como uma benevolência com o PT. Fernando Henrique pode estar, isso sim, protegendo Aécio, Alckmin e Serra da Lava Jato. Eles que, felizmente ou infelizmente, são seus herdeiros políticos no PSDB.