POLÍTICA

Na treta entre Amazon e Doria, a Amazon está certa

Pedro Zambarda de Araújo
Author
Pedro Zambarda de Araújo

Sobre a propaganda que criticou os muros pintados de cinza, doações para escolas, milhões em parceria, jabá e outros assuntos correlatos aos tucanos.

Na treta entre Amazon e Doria, a Amazon está certa

No dia 27 de março, a Amazon fez uma campanha provocativa nas redes sociais, afirmando que projetaria frases da literatura nos muros cinzas pintados pelo prefeito João Doria Jr. Raivoso, o gestor tucano postou no dia seguinte em seu Facebook que a empresa americana estava sendo "oportunista".

Naquele mesmo dia, Doria deve ter feito alguns telefonemas. Empresas como Multilaser, KaBuM (que acumula reclamações de clientes e não paga corretamente seus pro-players nos eSports) e Microsoft anunciaram parcerias milionárias com a prefeitura. Doria "mitou" nas redes sociais. Seus seguidores foram ao delírio. "Lacrou".

Doria fez isso porque é adepto do jabá e da publicidade meio obscura. Tem uma certa alergia a dar satisfações para a população ou mesmo às licitações públicas.

A Amazon respondeu no dia seguinte oferecendo e-books e um projeto de e-readers gratuitos para instituições educacionais. Não recorreu ao governo Doria. Não recorreu à política. E manteve a crítica à "cidade dinza" de João Doria Jr.

A fanbase de Doria acha que ele venceu. A fanbase de Doria diz que a "Amazon é comunista". A fanbase de Doria resolveu xingar os publicitários da Amazon no Brasil.

Os fãs de Doria não sabem reconhecer que, entre empresas que recorrem ao jabá e fazem média com tucanos, a Amazon foi uma das poucas que praticou o liberalismo de verdade e resolveu oferecer um benefício real para a população.

Na treta entre Amazon e Doria, a Amazon está certa, mesmo que o engajamento de Doria no Facebook seja alto.