POLÍTICA

Vereadora Sâmia Bomfim fala sobre a ocupação da Câmara e privatizações de Doria

Pedro Zambarda de Araújo
Author
Pedro Zambarda de Araújo

A coluna entrevistou a vereadora, que está apoiando a ocupação na Câmara Municipal. 

Vereadora Sâmia Bomfim fala sobre a ocupação da Câmara e privatizações de Doria

(Foto: Divulgação/Facebook)

Aproximadamente 60 estudantes secundaristas ocuparam a Câmara Municipal de São Paulo no dia 9 de agosto de 2017. A Casa tentou impedir a entrada de água e o acesso aos banheiros para inibi-los, mas a manifestação contra as privatizações do prefeito João Doria Jr. continuou. Justiça deu aos manifestantes cinco dias para desocupar o plenário da Câmara.

Um dos maiores apoiadores deles é uma jovem vereadora de esquerda do PSOL. Sâmia de Souza Bomfim tem 27 anos, é feminista, nascida em Presidente Prudente, recebeu 12 mil votos nas eleições de 2016 e se tornou a congressista mais jovem da Casa. Ativa nas redes sociais, ela grava vídeos de Facebook para falar o que está acontecendo no protesto.

A vereadora topou dar uma entrevista a esta coluna. Confira a seguir.

Storia Brasil: Como está a ocupação na Câmara?

Sâmia Bomfim: Neste momento cerca de 70 manifestantes ocupam a Câmara de Vereadores de São Paulo. É um processo muito importante para o movimento social começar a pressionar e incomodar os políticos que governam contra o povo. É uma ocupação dura, o presidente da Casa não aceita nenhum tipo de negociação e ameaça fazer reintegração de posse. 

É preciso muito solidariedade para que o movimento saia vitorioso e sem perseguição ou repressão.

SB: De todas as privatizações que Doria quer promover, quais são as piores? A do Ibirapuera? A dos estádios? Ou a do transporte?

Sâmia: Acredito que todas são ruins, pois significam transformar direitos e bens públicos em mercadoria e objeto de lucro de empresários. Mas talvez a dos parques e do sistema de bilhete único sejam as piores, pois são as mais utilizadas pela população e as mais sensíveis por ela.

SB: Se ele gostaria de participação privada, qual modelo ele deveria adotar para ter maior transparência com a população? Ou qualquer iniciativa neste sentido vai piorar os serviços?

Sâmia: Eu pessoalmente sou contra a iniciativa privada lidando com os bens públicos. Mas nesse pacote que está tramitando na Câmara, em especial, o mínimo seria fazer um processo menos nebuloso e mais transparente. 

Os projetos são muito vagos e inconsistentes, não mostram os reais interesses do prefeito.

SB: O presidente Temer disse que Doria é um parceiro. Você vê o plano de privatização como uma extensão da própria precarização que o governo federal promove?

Sâmia: Com certeza. Doria e Temer são parte do mesmo projeto de sucateamento dos bens públicos, retirada de direitos e fortalecimento da elite do país.

SB: Vereadora, você acredita que as privatizações são uma desculpa para João Doria Jr. não reorganizar as finanças públicas?

Sâmia: Ele vem enxugando gastos alegando que há um rombo financeiro, no entanto a gestão passada garante que deixou dinheiro em caixa. Não estranharia se no ano que vem, em ano eleitoral, o prefeito resolvesse investir em obras e investimentos com esse dinheiro economizado.

SB: O que você acredita que o prefeito deveria ter como prioridade neste momento, no lugar das privatizações?

Sâmia: Ele se diz gestor. Um bom gestor precisa priorizar as áreas sociais como saúde e educação que estão sendo desmontadas no momento.