OUTROS

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

Pilar Magnavita
Author
Pilar Magnavita

Quando os beligerantes do Estado Islâmico (EL) anunciaram que iriam destruir em 2013 a cidade de Nimrud, no Iraque, tive palpitações. Era uma das joias da antiguidade, importante página da História da Humanidade e do vasto império da Assíria, berço das primeiras leis já encontradas (o Código de Hamurabi).

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

O ataque, que aconteceu no ano passado, provocou consternação e alarme, com alguns arqueólogos e especialistas em patrimônio histórico comparando o fato à demolição dos Budas Gigantes de Bamiyan pelos talibãs, em 2001. Pouca coisa restou das duas. Com tristeza, vemos a história do homem ser apagada com desdém por cegos e surdos pelo poder de provocar o caos. Mas há também diversos monumentos e atrações turísticas que foram completamente varridas da face da Terra pela ação do Homem e por tragédias naturais.

Listamos aqui sete delas, que se erguiam no mundo moderno e que maravilharam os olhos de visitantes deslumbrados com tamanha imponência e riqueza. Algumas podemos ter visto. Outras, só encontramos em fotos do início do século XX.

#1 Nimrud (Iraque)

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

É uma pena vermos uma importante parte da história sendo destruída dessa forma. Mas qual a verdadeira importância dessas ruínas e qual seria o real motivo para a destruição delas pelo Estado Islâmico? A justificativa do ISIS, que controla áreas da Síria e do Iraque, é que essas relíquias anteriores à chegada do Islamismo são alvo de idolatria. Sim.. muito mais do que a ira de Edir Macedo contra as estátuas de santos. As ruínas e os achados arqueológicos de Nimrud mudaram alguns conceitos sobre a ideia que os antigos tinham sobre a evolução do homem. A região foi lar das civilizações mais antigas que temos registros: os Akkadianos e Sumérios. Eles deixaram a escrita e as primeiras ideias de que a religião não era nada senão a adoração do homem como criação de deuses vindos do espaço. É sério! Isso há cinco mil anos antes de Cristo. A civilização suméria tinha desenvolvido a escrita, a literatura, arquitetura avançada, leis, hospitais, templos, um sistema de administração, escolas, matemática avançada e também astronomia avançada desde seu início, mesmo que ele não tenha sido precedido por nenhuma outra civilização. Isso em poucos séculos.

Como exemplos, para ilustrar o grande avanço dos Sumérios, na ciência médica, eles conheciam o método de remoção de partes nubladas do cristalino ocular no caso da cataratas. Em astronomia, eles entendiam perfeitamente a rotação da terra em torno do sol, tinham fórmulas numéricas para prever eclipses solares e as órbitas da lua e dos planetas, assim como sabiam calcular a precessão do eixo da Terra. Na jurisprudência, eles tinham leis que protegiam os trabalhadores, os desempregados e os fracos, e usaram um sistema de júri como o atual. Na metalurgia, tiveram a tecnologia para fazer não só ouro e cobre, mas também ligas, tais como bronze.

Por essa fase dos homens na história antiga iraquiana, em que o homem se voltou para o homem sem a concepção de Deus Alá, é que os radicais do Estado Islâmico destruíram a cidade de Nimrud.

#2 Budas de Bamiyan (Afeganistão)

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

Os Budas de Bamiyan, estátuas que resistiram a quase dois milênios de intemperança humana, foram destruídos com dinamite e tanques de guerra em 2001, pelos talibãs. Os Budas eram ídolos. Eram representações de outra religião e, portanto, inimigos do Corão. Faziam parte do antigo Reino da Báctria e estavam na Rota da Seda, além de serem as maiores estátuas de Buda existentes no Planeta.

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

#3 Sete Quedas (Brasil)

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

O Salto das Sete Quedas, a maior cachoeira do mundo em volume de água, morreu em 1982. O motivo foi a criação da Usina de Itaipu, que causou o alagamento da área. Ficava na cidade de Guaíra, no Paraná. Houve protesto, na época, mas nenhum teve sucesso com os militares. “Adeus a Sete Quedas” foi a homenagem do poeta Carlos Drummond de Andrade.

#4 Grande Mesquita de Alepo (Síria)

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

A Grande Mesquita de Alepo era descrita pela Unesco como um dos prédios religiosos mais bonitos do mundo islâmico. O Minarete era justamente a parte mais antiga da Mesquita – a torre tinha sido construída no ano 1090. Infelizmente, foi completamente destruído em 2013 pelos conflitos étnico-religiosos. A cidade, aliás, foi completamente trazida abaixo. Nada do que um dia foi Alepo, joia do mundo e o maior centro de conhecimento de todo planeta na Idade Média junto com Damasco, sobrou de pé depois da guerra civil que já dizimou quase um terço da população.

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

#5 Castelo Krak des Chevaliers (Síria)

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

Classificado com patrimônio da humanidade juntamente com o castelo de Saladino (Qal’at Salah El-Din), também na Síria, o Krak des Chevaliers está entre os melhores exemplos de fortalezas medievais do mundo. Ambos foram bastiões vitais nas cruzadas. Foi construído no local de uma fortificação já existente da Ordem de São João de Jerusalém, os cavaleiros Hospitaleiros, que a mantiveram desde 1.142, tornando-o na maior fortaleza dos cruzados na Terra Santa. O famoso soldado britânico T.E. Lawrence, conhecido com Lawrence da Arábia, considerava-o “talvez o mais bem preservado e mais admirável castelo no mundo”, este que foi uma peça chave na rota dos cruzados para a Terra Santa.

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

#6 Crystal Palace de Londres (Reino Unido)

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

Foi uma enorme construção em ferro fundido e vidro erguida no Hyde Park, em Londres, Inglaterra, para albergar a Grande Exposição de 1851, tal qual a Torre Eiffel e o Arco do Triunfo de Barcelona que também foram concebidos para o mesmo fim. Foram acolhidos mais de 14 mil expositores vindos de todo o mundo nos 92 mil metros quadrados de espaço de exibição, onde foram mostrados exemplos das últimas tecnologias desenvolvidas na Revolução Industrial. Infelizmente, essa beleza de arquitetura que inspirou o Palácio de Cristal de Petrópolis e o Jardim Botânico de Curitiba foi totalmente consumida por um incêndio em  1936, quando já estava em decadência.

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

#7 Biblioteca Nacional de Bagdá (Iraque)

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

Criada pelos britânicos em 1920 na capital iraquiana de Bagdá, a Biblioteca era um dos maiores centros de conhecimento do mundo árabe, seguindo a tradição islâmica da Casa do Saber, no século 9 D.C.. Em abril de 2003, a biblioteca foi incendiada, durante a Guerra do Iraque. Estima-se que 60% dos 417 mil livros e 2,618 periódicos da Biblioteca tenham sido destruídos, incluindo na conta algumas das cópias mais antigas do Alcorão e livros que guardavam parte importante da História da humanidade, com registros do Império Otomano, do qual o atual Iraque fez parte. Hoje, com novas ameaças do EL, todas as obras arqueológicas e livros do acervo cultural iraquiano de outros centros históricos estão sendo digitalizados.

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

#8 Ópera Real de Valeta (Malta)

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

Construída no século XIX, era uma joia em Valeta, capital da pequena ilha mediterrânea que teve a história consolidada como um importante centro comercial na Idade Média. O prédio foi ao chão em 1942, após bombardeios da Luftwaffe, força aérea alemã durante a Segunda Guerra Mundial.

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

#9 Estação de Pensilvânia (Estados Unidos)

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

Foi a primeira e real Penn Station de Nova York. Linda! Construída em 1920 para ser a principal estação da cidade.

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

Foi demolida nos anos 60 para a construção do estádio Madison Square Garden. Parte dela ainda funciona no local, mas sem o charme de antigamente. Hoje, a mais bela estação de Manhattan é a Grand Central Station, realmente mais central.

As 9 maravilhas do turismo que foram apagadas do mapa

#pontosturísticos #turismo #história #turismodopassado #viagem