Bem-estar
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Bem-estar
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Bem-estar
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Saiba por que comida à base de carbono é a nova tendência detox

PrincessButtercup
há um mês18.8k visualizações

A gente vive numa época em que é preciso fazer um certo esforço pra ingerir comida saudável. Ainda bem que estão se multiplicando as opções de dietas e sucos detox, que contêm substâncias que “limpam” nossos organismos de outras substâncias que não fazem tão bem assim. E agora existe uma nova tendência: a comida à base de carbono!

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Saiba por que comida à base de carbono é a nova tendência detox

Na medicina, o carbono é usado para tratar intoxicações agudas. Afinal, é comprovada sua característica contra esse tipo de mal. Mas e na nutrição? Será que o efeito é parecido? Pois especialistas nos dois campos apostam que o carbono pode exercer uma função essencial para desintoxicar o organismo humano.

Um exemplo disso vem ficando famoso: é o sorvete de cinzas de coco produzido e vendido pela sorveteria nova-iorquina Morgenstern’s Fine Ice Cream. Sim, é esse sorvete pretão da foto acima. Mas o que coco tem a ver com carbono? É que o carbono quimicamente ativado, esse usado para o sorvete, é obtido por meio de carbonização (agora parece óbvio, né?) de madeira, vegetais ou casca de coco.

A marca Raw Juice também já fabrica sucos à base do mesmo ingrediente. Isso porque, segundo os especialistas, esse tipo de carbono é constituído por partículas porosas que dão a ele uma grande capacidade de adsorção (não confundir com absorção), ou seja, de se unir a substâncias nocivas. Esse carbono também não se metaboliza e é eliminado do corpo pelas fezes - levando com ele as substâncias nocivas.

Alguns dos benefícios do consumo MODERADO de carbono ativado são o branqueamento dos dentes, a redução de altos níveis de colesterol, o alívio de gases e o desinchaço estomacal.

Parece bom demais para se verdade, né? Bom, as palavras-chave aqui são CONSUMO MODERADO e ACOMPANHAMENTO MÉDICO. Isso porque o carbono ativado, se consumido habitualmente, também elimina do organismo nutrientes ingeridos em outros alimentos e substâncias que compõem outros medicamentos, o que anula a eficácia de remédios que você esteja tomando. 

Pesquisas descobrem proteína que pode ajudar a emagrecer sem fazer dieta

PrincessButtercup
há 2 meses7.5k visualizações

Cientistas de três grandes empresas farmacêuticas publicaram, separadamente, estudos mostrando que uma proteína específica ajuda ratos e macacos a perderem peso sem efeitos colaterais. Antes que você pergunte “e daí?”, fique sabendo que o próximo passo é descobrir se isso é possível também em seres humanos. Pode ser o início do caminho para a perda de peso sem necessidade de dieta.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Pesquisas descobrem proteína que pode ajudar a emagrecer sem fazer dieta

A proteína se chama GDF15 (do inglês growth differentiation factor ou, em português, fator de diferenciação de crescimento) e foi descoberta como elemento causador de perda de peso pelo imunologista Samuel Breit, do Hospital St. Vincent, em Sydney, na Austrália. Ele constatou um aumento no nível da proteína de 10 a 100 vezes maior do que o normal durante anorexia causada por tumor em ratos com tumor na próstata e também em humanos com câncer de próstata avançado.

Paralelamente, uma equipe de cientistas liderados por Sebastian Beck Jorgensen, da empresa dinamarquesa Novo Nordisk, fez uma experiência com ratos, enquanto a Janssen BioTherapeutics, de San Diego, nos EUA, conduziu um teste parecido com macacos. Em ambos, ficou constatado o efeito da GDF15 na perda de peso (foto abaixo via Unsplash).

Pesquisas descobrem proteína que pode ajudar a emagrecer sem fazer dieta

Uma grande preocupação inicial é que a GDF15 atua na parte do cérebro que induz vômitos, então há o temor de que esse efeito colateral apareça em humanos. No entanto, nem macacos nem ratos sofreram com isso. O primeiro teste em humanos será realizado pela Novo Nordisk, que está trabalhando em uma versão modificada da GDF15. Essa versão, em tese, vai provocar efeitos mais fortes e duradouros. Ou seja, humanos podem perder mais peso e por mais tempo sem a necessidade de dieta.

O clínico W. Scott Butsch, do Massachusetts General Hospital, em Boston, faz uma previsão otimista. Ele acredita que um dia a GDF15 funcionará como moderador de apetite e poderá ser prescrita em combinação com outro remédio que acelere o metabolismo. Se isso acontecer, quando acontecer, será um passo enorme para o fim da obesidade. 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pilarmag
Escritora, psicóloga de parentes e amigos, experimentada na cozinha e na Comunicação, já pipocou na chapa quente de grandes jornais e empresas, mãe de cachorro, esposa prendada e tirana, mulher sensível e chorona, teóloga meia boca, fã de Neil Degrasse Tyson. Namastê! Prazer em te conhecer.