Dolce Vita
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Dolce Vita
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Dolce Vita
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

D-Vine

Pilar Magnavita
há 2 anos3 visualizações

E se a gente pudesse fazer vinho em casa, como café de cápsula? Qual é o primeiro pensamento que te vem à cabeça quando eu digo que, sim, isso é possível?

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Pois é. Inspirada pelo sucesso mundial da Nespresso, a empresa start-up 10-Vins apresentou na última semana, na feira Consumer Electronics Show, em Las Vegas, uma máquina de servir vinhos na medida de apenas uma taça. Se essa moda pega, seria o fim da enologia?

Antes que  puristas e amantes do tradicionalíssimo vinho em garrafas possam chiar, praguejando que isso é blasfêmia contra os melhores rótulos franceses, já adianto que a invencionice é de Nantes, a 380 quilômetros de Paris. E que o vinho não vem em pózinho lacrado em cápsulas. São pequenos frascos com o melhor da França. Estamos falando, por exemplo, do Bordeaux Château D'Haurets 2012 (por 2 euros o frasco), do chablis cru Domaine du Chardonnay 2013 (5 euros o frasco) ou do Châteauneuf-du-Pape, Domaine de La Graveirette 2011 (6 euros). Os preços vão até 13,5 euros a unidade de 100 ml.

A máquina, chamada pela 10-Vins pelo espirituoso trocadilho D-Vine, custa 499 euros e estará disponível para venda a partir de 31 de janeiro deste ano.

Os criadores quiseram possibilitar uma dose única de vinho, especialmente para aquele momento que você quer tomar uma tacinha no almoço, mas acaba não abrindo para evitar desperdício ou deixar o vinho "airar" demais na adega. Assim, você consegue desfrutar do sabor original e ainda evita o desperdício. Além do mais, se estiver com amigos, ainda possibilita diversificações conforme o gosto da turma.

Como na cafeteira, os frascos são encaixados na parte superior do equipamento. Uma vez acionada, a D-Vine começa a decantar o vinho, acelerando as três horas do  processo de aeração em apenas um minuto. Um minuto!

Logo em seguida, voilá! Eis o vinho na taça, nas CPTPs de consumo (condições perfeitas de temperatura e pressão).

D-Vine

A carta para a D-Vine já possui 30 variedades de vinho francês, incluindo alguns grands crus da Borgonha e de Bordeaux.

Doido, não? Será que é bom?

Para ler e relaxar... na Itália!

Pilar Magnavita
há 2 anos3 visualizações

Não sou muito de badalar na rua. Já fui demais quando meninota, mas hoje sinto muito prazer em ficar em casa. E uma das coisas que mais me dá prazer é passar a noite relaxando na banheira ou numa rede, lendo uma boa e leve história. Do tipo que descansa a cabeça depois de um dia cascudo e me transporta para uma realidade muito mais legal. Todo bom livro tem isso na sua essência: de ser essa cápsula atemporal que nos leva a uma montanha-russa de emoções. Algumas vezes, para um simples passeio num lugar maravilhoso.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

E essa é minha escolha de hoje.

Que tal colocar as pernocas para cima e aproveitar esse restinho de dia para um delicioso "dolce far niente"? Selecionei cinco títulos capazes de nos levar para a Itália, página por página:

1) Jogando por pizza

Para ler e relaxar... na Itália!

O livro de John Grisham, infelizmente, foi pessimamente traduzido para o português. Mata um pouco a criteriosa escolha de palavras e narrativa desse autor britânico espetacular.   Ainda assim, a história é muito legal e você devora as 292 páginas num fim de semana. Se souber inglês, eu recomendo o título original "Playing for pizza". É uma prazerosa estadia em Parma, na Itália. Acompanhamos a história de Rick Dockery, um quaterback reserva do Cleveland Browns, que estraga bonito sua chance no time e acaba indo jogar para o Parma Panthers. Sem saber nada do novo país, Rick chega a Parma como uma promessa e, deixando a frustração de lado, vai aos poucos conhecendo melhor a cidade, a cultura, a maneira como os italianos encaram a vida e, sobretudo, as comidas locais. Com tom leve, John Grisham apresenta um pouco do que há de melhor na Itália e conduz o leitor num passeio por belas cidades, restaurantes e locais históricos. É muito legal! Da editora Rocco.

2) A year in the village

Para ler e relaxar... na Itália!

Outro que é preciso ter algum inglês. A leitura, contudo, é bem fácil. Nenhum mistério. Conta a experiência da autora Tracy Lawson na pequena aldeia de Campodimele, na Itália, local onde a expectativa de vida é de quase 100 anos. É uma aula de "bem viver" e bem comer!  Tracy relata a vida dos moradores, as felizes adaptações que fez para se instalar e se misturar aos moradores. Esse livro é para quem gosta de um bom prato e não tem frescuras para comer bem. Da editora Bloomsburry.

3) Comer, rezar, amar

Para ler e relaxar... na Itália!

Esse é clássico! E (sem preconceitos) muito bom. Conta as experiências da autora Elizabeth Gilberth (com muitos toques romanceados) na Itália (comer), na Índia (rezar) e na Indonésia (amar). Elizabeth Gilbert estava com quase trinta anos e tinha tudo o que qualquer mulher poderia querer: um marido apaixonado, uma casa espaçosa novinha, o projeto de ter filhos e uma carreira de sucesso. O que aconteceu? Entrou em pânico, largou tudo e caiu no mundo. Alguma semelhança, meninas?

O objetivo de Gilbert era visitar três lugares onde pudesse examinar aspectos de sua própria natureza, tendo como cenário uma cultura que, tradicionalmente, fosse especialista em cada um deles. É uma narrativa muito bem humorada e leve sobre esse passeio que começa com o "cair de boca" na Itália.

E se você não vai ler só porque viu o filme com a Julia Roberts e Javier Bardem, shame on you! Não sabe o que está perdendo. Editado no Brasil pela Objetiva.

4) Cartas para Julieta

Para ler e relaxar... na Itália!

O filme com a Amanda Seyfried é uma gracinha e o livro idem, mas ao contrário da história das telas, a obra da autora Lise Friedman conta a história do Club di Giulietta, que recebe todos os dias inúmeras cartas, destinadas à jovem personagem apaixonada de Romeu e Julieta, em Verona, na Itália. Chegam aos montes, em quase todas as línguas possíveis e imagináveis, escritas por românticos que buscam os conselhos da mártir do amor. Nenhuma fica sem resposta. O livro reconstitui a história por trás da peça de Shakespeare e leva o leitor até os monumentos que alimentaram a lenda de Julieta e seu Romeu. Este livro poético, com uma seleção de cartas sinceras, é perfeito para todas as pessoas que já se apaixonaram uma vez. Da editora Seoman.

5) Mil dias (em Veneza; na Toscana)

Para ler e relaxar... na Itália!

Este livro pode parecer um conto de fadas, mas é uma história de amor verídica - o amor entre uma mulher e um homem, o amor pela comida e o amor por uma cidade. Por muito tempo, autora Marlena de Blasi resistiu a ir a Veneza. Até que, em 1989, seu trabalho como chef e crítica gastronômica tornou impossível continuar adiando a viagem. Assim que pôs os pés na cidade, ela ficou completamente seduzida. Seu encantamento foi tão grande que decidiu voltar todos os anos. Desde aquela primeira visita, Marlena sempre tinha a sensação de que estava indo a um encontro. Em 1993, o encontro finalmente aconteceu. Uma comédia romântica super leve, editada no Brasil pela Sextante.

Outro livro da autora é o Mil dias na Toscana. Neste, ela repete o sucesso dando sequência à história da sua vida. Outro sucesso da editora Sextante.

Para ler e relaxar... na Itália!

Claro que há sempre outras boas literaturas que se passam na bella Itália, como "Anjos e Demônios", "Abril Encantado", Gomorra, etc... Já leu todos? Então qual seria sua lista?

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pilarmag
Escritora, psicóloga de parentes e amigos, experimentada na cozinha e na Comunicação, já pipocou na chapa quente de grandes jornais e empresas, mãe de cachorro, esposa prendada e tirana, mulher sensível e chorona, teóloga meia boca, fã de Neil Degrasse Tyson. Namastê! Prazer em te conhecer.