Fenomenal
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Fenomenal
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Fenomenal
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Ministério da Saúde adverte: acordar tarde também é saudável

Pilar Magnavita
há 2 anos4 visualizações
Ministério da Saúde adverte: acordar tarde também é saudável
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Que mundo é esse que curte um bom madrugador, não é mesmo? Acordo tarde, durmo tarde, produzo melhor de noite. #soudessas Só porque alguém inventou o provérbio "Deus ajuda quem cedo madruga", a "galeris" passou a achar que esse negócio de acordar cedo é uma virtude. Dormir tarde é boemia e acordar tarde é coisa de preguiçoso. Pecadores! 

A-hã...

Senta lá então, Claudia! Que a titia vai te mostrar que a coisas não são bem assim:

Há notívagos entre nós!

As pessoas que acordam tarde é porque possuem programações do ciclo circadiano toda deslocada para mais tarde. E o galo da madrugada tem o ciclo deslocado para mais cedo. Essas características são determinadas pela genética (!!!) e são extremamente difíceis de mudar. Além do mais, pesquisadores estão descobrindo que se lutarmos contra nossos cronotipos, a nossa saúde pode sofrer consequências nefastas.

Se você tem dificuldade em adormecer antes de 2 ou 3 horas da manhã e prefere dormir até ao meio-dia, então tenha essa certeza: não há nada de errado com você ou seu precioso sono! E o que mais impressiona é esse estigma de levarmos a culpa de uma vida desregrada por isso, nessa sociedade governada por madrugadores. Simplificando: Estas travessas tardias estão cansados ​​de ser julgado por um comportamento que não pode controlar facilmente. Se há uma galera na sociedade que simplesmente não tem como alterar os padrões de sono, talvez a sociedade deva se tornar um pouquinho mais compreensiva, não é verdade?!

;0)

Cerca de 30% a 50% das pessoas caem bem no meio da curva de cronotipo, indo dormir às 23h e acordando às 7h. Outros 40% são compõem o povo da madrugada. Menos de 1% da população somente tem o ciclo do sono atrasado de verdade. Indo dormir por volta das 3h. Pobre de todos esses, né!?! 

E o que acontece quando você pega um camarada desses e põe para acordar cedo e ir a uma importante reunião de trabalho? Nada, né?! É claro que esse cidadão não render bem. Em um mundo onde existe uma coisinha chamada internet em banda larga, não há mais necessidade de cumprirmos fixamente um horário de madrugadores. Eu, por exemplo, sempre sofri quando estava em um emprego corporativo, fazendo a hora "comercial". Rendo melhor mais tarde mesmo e por isso era conhecida no meu turno da manhã, na escola, como a "Pilar que só acorda depois das 11h". Por quê? Porque eu era uma aluna sonâmbula de corpo presente. Apenas.

Para entender o ciclo circadiano

O corpo é uma orquestra de órgãos, cada um fornecendo uma função essencial. Nesta metáfora, o ritmo circadiano é o condutor.

A coisa mais importante sobre o sistema circadiano é que ele não apenas controla nosso sono. Cada neurotransmissor, hormônio e química nos ciclos do corpo são regulados por esse sistema, como argumenta Philip Gehrman, pesquisador do sono e clínico na Universidade da Pensilvânia, nessa matéria do Vox. Ou seja: são fundamentais para a gente funcionar! Temos que respeitá-lo, cuidar muito bem do nosso soninho da maneira que ele funciona melhor. A partir desse ciclo, temos nosso horário para liberar insulina (metabólico), cortisol (hormônio do estresse), entre tantos outros. 

Uma curiosidade? Por isso que a maioria das pessoas sente fome pela manhã: porque após a baixa de melatonina, do ciclo circadiano, vem a produção de insulina para o metabolismo do café da manhã. Isso já está sendo produzido antes mesmo de comermos! Daí que os médicos recomendam que não se coma nada açucarado pela manhã, para não dar um pico dessa substância e induzir futuramente a uma diabetes.

De acordo com Philip Gehrman, nossos relógios não funcionam exatamente um ciclo de 24 horas. Eles estão mais perto de 24,3 horas. Assim, a cada dia os nossos relógios internos precisam de um tempinho para relaxar e atrasar um pouquinho, apenas um pouco para ficar dentro do cronograma. O sol é nosso grande regulador para a grande maioria das pessoas. A exposição à luz brilhante estimula nosso ciclo, o reloginho mestre do nosso cérebro - o núcleo supraquiasmático (NSC).

Com noctívagos, algumas coisas ficam no caminho deste processo de reajuste:

Os genes: O NSC é o relógio mestre do corpo, mas não é o único. Cada célula que temos possui genes que operam como um reloginho também. Cada uma de nossas células, por exemplo, tem sua própria hora de se alimentar e fazer o próprio metabolismo. E nosso DNA também tem um naco de genes que determinam que assim seja.

Por isso, esses genes alimentam o relógio mestre do corpo e ajudam a definir o tempo. E as pequenas variações neles conduzem a ritmos que são mais cedo ou mais tarde. É isso que faz com que o cronotipo seja hereditário!

Também há teorias que argumentam que algumas pessoas podem ter o relógio biológico correndo mais que a média. Em vez de 24,3h, pode caminhar por 24,7h. Aí o tal do NSC tem de trabalhar mais para fazer um ajuste. Quando ele não consegue reajustar, os tempos de sono passam para mais tarde da noite mesmo.

E há também a galera que é mais sensíveis à exposição da luz durante a noite. Poste, outdoor, letreiro de supermercado, computador, celular. Sim, tem muita gente, como eu, que não relaxa se não estiver na escuridão total. Assim, qualquer luminosidade atrapalha a produção da melatonina, impedindo que o ciclo de sono se inicie.

É o que os cientistas chamam de jet leg social.

ic-spinner

#sono #ciclocircadiano #acordarcedo #acordartarde #preguiça

Cinco fatos importantes que já sabemos sobre o Zika

Pilar Magnavita
há 2 anos3 visualizações
Cinco fatos importantes que já sabemos sobre o Zika
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Piadas à parte, a verdade é que há seis meros meses, ninguém sabia direito o que era esse negócio de Zika. Tão escassos, de fato, que tudo o que sabemos sobre isso não passa de uma pilha modesta de trabalhos científicos, não muito mais espessa do que um livro de bolso magrinho. Bastou, no entanto, que os primeiros casos do vírus chegassem aos Estados Unidos para que pesquisadores em laboratórios em todo o mundo mudassem o foco para o Zika - e já mostrando resultados realmente interessantes.

Muitos mistérios permanecem, mas aqui estão algumas coisinhas que já aprendemos:

#1 Sim, uma infecção do zika durante a gravidez pode levar a má formação congênita do cérebro do feto

Cinco fatos importantes que já sabemos sobre o Zika

Não há mais dúvida mais: o Zika se juntou à lista de infecções virais que podem causar defeitos de nascimento, se contraída durante a gravidez.

Fora do mundo da investigação, os céticos continuam a se perguntar se a microcefalia, uma condição na qual os bebezinhos nascem com as cabeças pequeninas além do normal, não tem sido vista em outros lugares do mundo associada a outros distúrbios na gravidez. Por que o Zika já está aí tocando o terror tem um bom bocado de décadas e ninguém tinha visto esse efeito antes. Infelizmente, o surto do Zika nas Américas pode até ser novo, mas a Polinésia Francesa, por exemplo, viveu situação semelhante em 2013-2014 e ninguém se debruçou para estudar nada na época. 

Os números ainda são pequenos para a ciência, acredite. E todas as consequências da infecção, durante a gravidez ainda serão melhor analisadas pelos cientistas. Muito além da microcefalia.

#2 Não se trata apenas de microcefalia

Os pesquisadores reconhecem agora que o vírus pode causar outros tipos de danos em fetos em desenvolvimento.

A pesquisadora Karin Nielsen-Saines, da Universidade da Califórnia (UCLA), está estudando um grupo de mulheres no Brasil que foram infectadas durante a gravidez. E o mais interessante é que a microcefalia é, de longe, o problema mais comum que ela tem visto nos bebezinhos. A coisa mais frequente, segundo ela, são calcificações cerebrais. Isso quer dizer: sinais de morte do tecido cerebral. Outra observação comum é o que se chamada de restrição do crescimento útero, quando o tecido não se expande suficientemente e os bebês nascem precoces e pequeninos. Mas com o cérebro normal.

Pesquisadores do Brasil e dos Estados Unidos também relataram a descoberta de lesões oculares em 10 de 29 bebês com microcefalia. Um dos autores desse estudo, o cientista Albert Ko, da Universidade de Yale, está preocupado que o dano cerebral induzido pelo Zika pode ser encontrado em bebês que não têm microcefalia. Ou seja, em bebês cujas mamães não apresentaram a doença Ele também diagnosticou problemas de audição em algumas criancinhas.

Da mesma forma, o vírus também pode ocasionar um aborto em estágio avançado da gravidez.

#Zika é uma doença sexualmente transmissível

Cinco fatos importantes que já sabemos sobre o Zika

Como se não bastasse, agora a gente sabe que o Zika pode ser transmitido pelo sexo. Em 2008, um pesquisador americano foi infectado com Zika enquanto fazia trabalho de campo no Senegal. Pouco tempo depois de seu retorno para casa, sua esposa - que não havia deixado os EUA - estava doente também. O modo de transmissão era o sexo, uma descoberta inesperada que fez o casal ganhar um lugar na literatura médica. Infelizmente.

A suposição era que a transmissão sexual do Zika foi, provavelmente, um evento raro. Os mosquitos são o principal culpado pela propagação deste vírus, mas a experiência recente do mundo com o Ebola - um vírus que pode atrasar a produção dos testículos durante meses e pode ser transmitido pelo sêmen - fez as autoridades de saúde no mundo olhar mais de perto a possibilidade de propagação sexual de Zika.

No início de fevereiro, o departamento de saúde de Dallas relatou um caso de uma pessoa cujo parceiro tinha voltado, infectado, da América do Sul. Desde então, mais cinco pessoas em os EUA foram infectadas pelas relações sexuais. Argentina, Itália, França e Nova Zelândia também relataram casos de transmissão sexual.

Isso não é mais uma raridade médica.

#4 O mundo inteiro já não aguenta mais problemas de saúde

Cinco fatos importantes que já sabemos sobre o Zika

É verdade. É um surto após outro. Nos próprios EUA, Obama pediu US $ 1,9 bilhões para financiar o combate ao Zika no país e o Congresso vetou. Os Republicanos disseram que  a preocupação deve ser o Ebola em primeiro lugar.

No Brasil, não há muito dinheiro disponível nem para os estudos e nem para o combate. Dependemos tão somente da boa vontade dos brasileiros de limparem suas casinhas da água parada e impedir a multiplicação do mosquito. Aliás, mosquitão parceiro nosso de tantos e tantos carnavais, né?! Tá sempre junto.

A OMS também está tendo dificuldades para levantar fundos para uma resposta ao Zika. Os caras pediram US$ 25 milhões para financiar o combate nas Américas. Recebeu míseros US$ 3 milhões e ainda está em negociações para mais US$ 4 milhões.

Já a Comissão Europeia botou cerca de US $ 11 milhões para a pesquisa do Zika. A Grã-Bretanha está gastando uns US$ 5,7 milhões. Um quarto do dinheiro destinado à caridade do Wellcome Trust, fundo britânico de ajuda humanitária.

#5 Os mosquitos não são nossos amigos

Cinco fatos importantes que já sabemos sobre o Zika

OK, nós já sabíamos muito bem disso. Não dá para ser budista ou hindu com mosquitos. A gente mata mesmo! Mas só para lembrarmos como somos sucetíveis a doenças transmitidas por esses vampiros, temos: malária, febre amarela, dengue, chikungunya, vírus do Nilo Ocidental, encefalite japonesa, encefalite de St. Louis, La Crosse encefalite, encefalite venezuelana.... fora os defeitos de nascimento congênitos, o que realmente são novidades.

Portanto, preste atenção na tabela de sintomas abaixo, não deixe água parada destampada nem na sua sisterna (vede a caixa d'água muito bem, até para evitar que outros bichos entrem) e use repelentes de verdade! Deixe a citronela e o cravo para darem uma aromatizada no local e só.

Cinco fatos importantes que já sabemos sobre o Zika

#zika #doença #mosquitodadengue #aedesaegypti #mosquito #doençatropical #microcefalia

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pilarmag
Escritora, psicóloga de parentes e amigos, experimentada na cozinha e na Comunicação, já pipocou na chapa quente de grandes jornais e empresas, mãe de cachorro, esposa prendada e tirana, mulher sensível e chorona, teóloga meia boca, fã de Neil Degrasse Tyson. Namastê! Prazer em te conhecer.