Gente
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Gente
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Gente
ic-spinner
Hikayeni paylaş
Sevdiğin hikayeleri ve yazarları bul ve takip et. İlham al, sen de kendi hikayelerini yaz. Hikayelerine arkadaşlarını davet et. Paylaş ve tüm dünyaya sesini duyur.

10 vezes em que os estudantes superaram limites para colar em provas

PrincessButtercup
2 ay önce5.9k görüntüleme

A criatura chega na escola, senta na carteira, pega a caneta e espera a prova. Ao menos, assim parece para muitos professores e fiscais de exame! O mestre que é malandro olha para aquele aluno-peste que senta todas as aulas nas últimas cadeiras da sala. Aquele mesmo, com vocação para o Congresso ou a comédia! Vê o semblante tranquilo, típico de quem estudou há dias para o teste e fez todos os exercícios passados. Tão sereno quanto o CDF que pontualmente ocupa a primeira fileira. Sente o cheiro do esquema. Uma pulguinha coça atrás da orelha. Alguma coisa está errada.

Sevdiğin konularda arkadaşlarınla işbirliği yap
Bu konuda yazmak ister misin? ▸

Que professor não já se viu nessa situação?

E que aluno também não passou pela tentação da cola, não é mesmo?!

Quem nunca colou nos 15 anos de uma vida escolar que atire a primeira pedra. Nem uma colinha sequer, nem que fosse para uma prova de filosofia! Colar faz parte do ser humano. Na vida, queremos respostas prontas e rapidamente. Não nos interessa muito se temos de buscá-las lá fora. Ainda que defendamos a honestidade e o trabalho enriquecedor antes de tudo, não temos muito a vontade de seguir isso à risca. Mais fácil esticar o pescoço, dar uma espiadinha no colega e colar! Pode até não funcionar sempre na vida, mas nas provas... Ah! nas provas funciona! Se você não for pego, claro. O que nos faz pensar: poucas coisas são tão universais e democráticas quanto o ato de colar, não é mesmo?!

De acordo com um estudo da Rutgers University (EUA), de 2010, 64% dos estudantes universitários da instituição colavam nas provas. Em 2009, o instituto de pesquisa Benenson Strategy Group conduziu outro levantamento no qual identificou-se que um em três alunos do Ensino Médio norte-americano usaram o telefone celular para obter respostas em testes. E mais da metade confessaram usar a internet para trapacear de alguma forma na escola. Esses estudos já têm uns anos mas aposto que continuam válidos.

No meu tempo, para colar precisava ter talento. Inspetores limpavam todas as carteiras, professores permitiam apenas borrachas, lápis e canetas sobre a mesa, todos devidamente fiscalizados... Era preciso saber escolher a posição ideal, ao lado do CDF ou esquematizado com ele, na mesa de trás... ou mesmo enfiar os papéis na roupa, de preferência em locais pudicos, como dentro da calça. Gente, era uma verdadeira missão de espionagem. Não tinha nenhum gadget, calculadora especial, relógio smart etc.

Os mais ousados anotavam no corpo mesmo, mas se fosse pego era pena máxima com direito a zero sumário na prova e advertência para os pais. Era uma prova do crime muito evidente!

10 vezes em que os estudantes superaram limites para colar em provas

Era preciso ao menos trabalhar a dúvida na cabeça do pobre professor, aliado a uma cara de coitado e injustiçado. O que prova minha teoria de que adolescentes são mesmo melhores espiões do que os da CIA.

Hoje, a coisa se sofisticou! Mas o desespero dos alunos continua o mesmo! Por isso listamos aqui 10 loucuras que alunos fizeram para colar!

#1 A cola não está em usar calculadora, mas está NA calculadora em grafite. Facilmente de eliminar as provas. O cara é bom!

10 vezes em que os estudantes superaram limites para colar em provas

#2 Artistas de maquetes estão perdendo este exímio pintor de miniaturas!

10 vezes em que os estudantes superaram limites para colar em provas

#3 Temos aqui um futuro Steve Wozniak!

10 vezes em que os estudantes superaram limites para colar em provas

#4 Esse é da CIA, com certeza!

10 vezes em que os estudantes superaram limites para colar em provas

#5 O cara fez no WORD! Talento puro. Os impressos e agências de propaganda não iriam gastar tanto comprando licença de Photoshop se tivessem um camarada desses.

10 vezes em que os estudantes superaram limites para colar em provas

#6 Método Óculos de Espião, feito coisa de guerra fria. Risco quase zero! A marca é ZyonEyes e custa uma bagatelazinha de US$ 150.

10 vezes em que os estudantes superaram limites para colar em provas

#7 Método smartwatch , que levou mais de 3 mil estudantes tailandeses a refazeram testes na universidade Rangsit, em Bangkok.

10 vezes em que os estudantes superaram limites para colar em provas

#8 Método Ocean's Eleven. É auqele camarada que cria página de estudo no Facebook e troca as informações das provas anteriores porque sabe que professores muitas vezes repetem provas com turmas diferentes todos os anos. Primeiro ele estuda o professor, depois entrevista os ex-alunos e daí combina com colegas esse troca-troca de informações privilegiadas. Futuro ladrão de cassinos!

10 vezes em que os estudantes superaram limites para colar em provas

#9 Essa é a reencarnação de Mata Hari, escondendo a verdade debaixo da saia.

10 vezes em que os estudantes superaram limites para colar em provas

#10 Por último e não menos importante, a maior loucura que os estudantes fazem para colar na prova é a de virar várias noites registrando toda a informação no lugar mais escondido do planeta: a própria mente! A cola mental. Os alunos praticantes desse método viram noites estudando e nunca são pegos. Esses, sim, são verdadeiros loucos. E futuros... bem esses podem ser o que quiserem na vida!

10 vezes em que os estudantes superaram limites para colar em provas

----------

Por Pilar Magnavita

#gente #estudantes #cola #escola

Essa nova onda (ou tsunami) dos spornossexuais

Homem gato não pode ter barriga e pneus. Homem gato não pode ter peitoral gordo e flácido. Homem gato não pode ter papada e nem braços finos e moles. Homem gato é aquele de comercial de cueca Calvin Klein. O resto tenta fazer o que pode.

Sevdiğin konularda arkadaşlarınla işbirliği yap
Bu konuda yazmak ister misin? ▸
Essa nova onda (ou tsunami) dos spornossexuais

Correto, meninas? Certo, meninos?

Pois é... 

Como se já não bastassem mulheres famintas infelizes e tirando férias no trabalho para fazerem cirurgias plásticas, agora os homens também parecem ser as novas vítimas da ditadura do corpo perfeito (#gésuiz). Hoje em dia não basta ser magro, tem que ser malhado e, de preferência, ter menos de 4% de gordura no organismo. Que sociedade é essa, né?!

Daí que os termos metrossexual, überssexual e até retrossexual não se aplicam mais ao ideal masculino nesta segunda década do milênio. Agora não dá para ser apenas magro e narcisista. Ser magro e cuidar da aparência sem dar na pinta. Ou ser forte e sujeito homem pra KRLHO, feito Javier Bardem.

Essa nova onda (ou tsunami) dos spornossexuais

A palavra de ordem agora é SPORNOSSEXUAL. Homem com músculos muito bem definidos, jovem ou que aparente ser assim, super magro e atenciosos ao que come, além de extremamente vaidoso e narcisista, é claro. Mais ou menos, eu diria que é o resultado de todos os outros conceitos anteriores, com um plus de bíceps e peitoral muito bem trabalhados e contornados.

A referência, é claro, costuma estar sempre no futebol, esporte de cabra macho (segunda a máxima: quem não quer confronto vai fazer vôlei, não é verdade?!). E quando falamos em beleza masculina para os homens, estamos falando de Messi? Óbvio que não. Estamos falando de Cristiano Ronaldo (que, aliás, criou a própria linha de cuecas, só para ter motivos - acho - para se fotografar usando as ditas cujas).

Essa nova onda (ou tsunami) dos spornossexuais

E essa ola do futebol cresceu tanto que se tornou um tsunami.

Esta tendência de "inchar" os músculos é um fenômeno cultural identificado e definido pelo autor e jornalista Mark Simpson. O termo spornossexualidade é aplicado aos homens que se esforçam sobremaneira para parecerem com desportistas ou estrelas pornô, marcando o próximo estágio na evolução do antigo "metrosexual" (uma palavra que Simpson apresentou para o público em 1994 no jornal britânico "The Independent").

O jornalista começou a escrever sobre a cultura "sporno" em 2006, observando o aumento das imagens hiperssexualizadas e homoprovocativas dos jogadores de futebol e de esportes de impacto como o rugby. 

Houve a marca Dolce & Gabbana que fez um editorial com a Seleção de futebol italiana no chuveiro do vestiário, em 2006 (bom ensaio, profissionalmente muito bem executado). Houve Freddie Ljungberg na capa da revista Attitude, além dos jogadores de rugby francês completamente nus nos calendários da Dieux du Stade (belíssimo ensaio, para falar a verdade). Um incrível trabalho de objetificação do corpo masculino, aos mesmo moldes do par feminino.

Essa nova onda (ou tsunami) dos spornossexuais

O spornosexual é uma raça mais extrema do homem do que o seu antecessor metro. Ele é tão musculoso, bronzeado e hidratado, mas mais magro e ao mesmo tempo maior.... Não é obcecado apenas com "boa aparência", mas com as proporções reais físicas de sua estrutura: a estrias do tanquinho no abdômen, aquelas veias saltadas medonhas dos bíceps, a definição das panturrilhas.... Fisiculturismo levado ao homem comum.

O spornossexual se define menos pelas roupas que veste do que pelo corpo, trabalhado especialmente para a praia, a academia, o parque e, especialmente, o Instagram e Facebook. Gente... acho que podemos dizer tranquilamente que o homem entrou em crise.

Essas foram as conclusões do ator e comediante inglês Max Olesker, sobre o Warrior Workout, o programa de exercícios do personal trainer britânico Tim Walker. Olesker embarcou no projeto spornossexual mais pelo trabalho do que qualquer outra coisa. E se sentiu encorajado pelo professor bodybuilder quando ele disse que o corpo que todo o homem busca ainda é o de Brad Pitt em Clube da Luta.

Vocês se lembram de como o maridão de Angelina estava em forma?

Depois de completar as 12 semanas...

Essa nova onda (ou tsunami) dos spornossexuais

Olesker responde se quer se tornar uma dessas pessoas tatuadas que usam camisas gola "V", camisas jutinhas do tipo "mamãe tô forte" e bronzeadas. 

"Não! Definitvamente não. Mas se me perguntam se eu quero sacudir a camada exterior do meu corpo, suave, pastosa que a vida dura de trabalho e indolência me levaram a desenvolver.... Se quero reconhecer e, em seguida, batalhar contra os bracinhos finos, a postura terrível e o intestino preguiçoso que eu certamente ignorei em algum momento nos meus vinte e poucos anos? Se quero mudar tudo isso para me dedicar, descaradamente, ao cultivo de meu físico, mudar radicalmente a minha vida e tentar parecer com (ou, pelo menos, me sentir como) uma combinação completamente inatingível de Cristiano Ronaldo em uma sessão de cueca e Chris Hemsworth como Thor? E tentar parecer com um spornossexual? Sim. Sim eu aceito."

E você, caro colega? Aceita?

----------

Por Pilar Magnavita

#spornossexual #comportamento #gente #corpomasculino #homem #cultoaocorpoperfeito #objetificaçãomasculina

Hikayeyi okudun
Story cover
tarafından yazıldı
Writer avatar
pilarmag
Escritora, psicóloga de parentes e amigos, experimentada na cozinha e na Comunicação, já pipocou na chapa quente de grandes jornais e empresas, mãe de cachorro, esposa prendada e tirana, mulher sensível e chorona, teóloga meia boca, fã de Neil Degrasse Tyson. Namastê! Prazer em te conhecer.