Gente
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Gente
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Gente
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

7 coisas que mulheres notam no primeiro encontro

Tapa Da Pantera
há um ano207 visualizações

Poucos momentos são tão desconfortáveis na vida de um homem quanto o primeiro encontro. Por mais que os dois tenham trocado zaps e até telefonemas (coisa antiquada, né?), aquele instante inicial em que o cara finalmente se vê frente a frente com a mulher é tenso. O estômago vira, ele não sabe o que dizer e bate aquela insegurança até nos caras mais confiantes. 

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
7 coisas que mulheres notam no primeiro encontro

A única maneira de diminuir o efeito desse nervosismo e evitar que o primeiro encontro se torne uma catástrofe total é chegar bem preparado, sabendo o que dizer, o que fazer e quando fazer. Para isso, também é importantíssimo saber o que ela vai esperar e, principalmente, o que ela vai reparar em você. E existem sete coisinhas essenciais:

1. O cumprimento inicial

Seinfeld já superanalisou isso no seu primeiro episódio, lá atrás, em 1989. Como saber o que fazer? Abraço? Aperto de mãos? Beijinhos no rosto? E quantos beijinhos? Essa é a primeira entre as primeiras impressões e vai ficar para sempre. O segredo é se mostrar confiante e amigável ao mesmo tempo. Faça contato visual, sorria e, não importa se vai ser beijinho ou cumprimento de mão, NUNCA olhe de cima a baixo antes de olhar nos olhos dela.

2. Seu visual

Aqui é importante ter pelo menos uma noção mínima de moda, né? Você pode até se vestir para mostrar que faz parte de uma “tribo”, mas só se tiver certeza que ela vai aparecer vestida do mesmo jeito. Caso contrário, o risco do ridículo é enorme. Vale se olhar com atenção no espelho antes de sair. Todas peças de roupa parecem no lugar certo? Nada vai chamar atenção mais do que deveria? Está tudo devidamente limpo? Se sim, vá em frente. 

3. Gramática

Ainda tem gente que acha que é bobagem, mas mulher nenhum quer sair com um cara que vai falar errado. Também não precisa forçar a barra para encher a conversa de palavras difíceis. O negócio é ser natural e falar como você sabe. Mas se você sair com alguém e achar que o vocabulário dela é melhor, talvez seja a hora de ler um pouco mais.

4. As mãos

Tem toda uma questão gestual que precisa ser tratada, mas o primeiro a se abordar é a higiene. Unhas cortadas e mãos limpas são o básico do básico. Isso não pode falhar no primeiro encontro. Além disso, cuide da pele. Mulher não quer mão áspera. E quanto ao gestual, use as mãos para mostrar que está à vontade. Só não exagere. Não vá sair por aí parecendo juiz de futebol.

5. O relógio

Tudo bem, você acha que mulher não repara nisso, né? Você errou. Errou feio, errou rude. Você também pode achar que relógio é sinônimo de status e se a mulher repara nisso é porque ela está interessada no seu dinheiro. E você também vai estar errado. Na real, relógio mostra um pouco da sua personalidade. Se você é homem, não vai querer estar no primeiro encontro com um relógio de menino, né? E elas reparam nisso.

6. O cabelo

O mesmo princípio. O cabelo diz muito sobre você. Um topete cheio de gel pode sugerir alguém exageradamente preocupado com o visual. Um “penteado” casual demais pode fazer você passar por desleixado. O melhor a fazer é não exagerar. Na maioria dos casos, um cabelo bem lavado e penteado do seu jeito habitual resolve.

7. O sapato

Tênis, sapato ou sapatênis, o importante é compor bem o visual. Sapato nunca deve deixar de combinar com a roupa social (o cinto é sempre a referência). Com o tênis, a exigência é menor porque ele vai com trajes informais. De qualquer modo, tem uma regra de ouro aqui: nunca, nunca, nunca use tênis ou sapato velho no primeiro encontro.

Veja as instituições que estão ajudando o Haiti e saiba como contribuir

Tapa Da Pantera
há um ano204 visualizações

Desde quando o furacão Matthew rasgou o Haiti, no último dia 4, pelo menos mil pessoas morreram e outras 1,4 milhões (1% de todo país) foram atingidas, majoritariamente das cidades na parte sul-ocidental do país quase totalmente destruídas. A ilha caribenha é até agora o país mais afetado pela tempestade. Cerca de 30 mil pessoas estão em abrigos improvisados em 12 municípios, diz a agência haitiana de notícias AlterPresse, e cerca de 10 mil estão sem abrigo.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

O país mais pobre do hemisfério ocidental, o Haiti ainda estava se reerguendo dos efeitos do terremoto de 2010 quando foi sacudida pela tempestade. Na época, os tremores vitimaram a médica pediatra e sanitarista brasileira, Zilda Arns, fundadora da Pastoral da Criança na Igreja no Brasil.

Veja as instituições que estão ajudando o Haiti e saiba como contribuir

Agora que a fúria do ciclone passou, o perigo é outro. A Organização Pan-Americana da Saúde alertou sobre um possível surgimento de cólera depois da catástrofe natural. Este ano, antes do desastre do Matthew, já tinham sido registrados 28,5 mil casos da doença, caracterizada por uma grave e rápida infecção intestinal que pode levar a óbito. Durante esta semana que se seguiu ao Matthew, cerca de uma dúzia de pessoas sucumbiram pelo cólera desde a tempestade.

Veja as instituições que estão ajudando o Haiti e saiba como contribuir

Algumas ONGs e instituições filantrópicas já estão trabalhando no país para aliviar a crise. Você também pode ajuda-los nessa tarefa, fazendo uma contribuição para financiar as atividades e ferramentas necessárias:

Oxfam

Três toneladas de equipamentos de purificação de água - que são urgentemente necessários para impedir a propagação da cólera e outras doenças - estão sendo entregues pela Oxfam, juntamente com os materiais de construção. A iniciativa também se visa amenizar danos à agricultura, fonte de renda da maioria da população que vive com a cultura de subsistência.

Você pode contribuir aqui:

Unicef

O Fundo Infantil da ONU estima que meio milhão de crianças vivem nas áreas mais afetadas pelo furacão. Assim, equipes da Unicef estão levantando uma grana para ajudar a resgatar as crianças que tenham perdido os pais e as que necessitam de ajuda humanitária. Além de estarem presentes no país auxiliando no resgate dessas crianças, a meta é arrecadar pelo menos £ 4 milhões para ajudar a atender as necessidades das crianças envolvidas no desastre.

A proposta é fornecer água potável e restaurar os serviços de saúde, incluindo as precauções tomada contra a desnutrição.

Além disso, a Unicef - que é inteiramente dependente de doadores - prevê a criação de salas de aula temporárias e implementar medidas para ajudar a proteger as crianças da exploração e do abuso, que se fazem mais comuns em grandes catástrofes.

Você pode ajudar a instituição aqui:

Save the Children

A Save the Children está distribuindo kits de higiene, mosquiteiros e pacotes de cuidados para bebês. A instituição também irá criar espaços seguros para as crianças descansarem e se recuperarem.

As doações podem ser feitas no site.

Action Aid

A Action Aid está presente no Haiti desde 1996 e, como outras instituições de ajuda humanitária, tem contatos e programas no seio das comunidades locais. Alimentos, água e kits anti-cólera - contendo higiene e filtros de água - estão sendo distribuídos pela entidade, que luta contra o tempo para salvar vidas do cólera e outras doenças.

É possível ajudar, com doações na página.

No restante do Caribe

Os danos causados pelo Matthew ainda não foram quantificados por causa das inundações e o colapso da ponte principal da cidade de Grand Goave, que faz a conexão com a capital do Haiti, Porto Príncipe. As equipes de resgate estão presas em muitas áreas.

Na vizinha República Dominicana, outras quatro pessoas morreram por causa do Matthew. Em Cuba ele também deixou grandes danos às cidades. A passagem violenta do Matthew na noite de terça-feira provocou deslizamentos de terra e inundações em lugares como Baracoa, Maisí e Imías, que até hoje permaneciam sem sinal de telefone nem energia elétrica e com as estradas de acesso ainda bloqueadas e pontes destruídas. A ajuda, até o momento, só está chegando por via aérea.

Veja as instituições que estão ajudando o Haiti e saiba como contribuir

A cidade cubana de Baracoa, onde o furacão foi especialmente destrutivo, ficou em ruínas. Foram contadas pelo menos 749 casas atingidas pelas inundações e mais de 35 mil pessoas evacuadas.

No total, as autoridades cubanas retiraram mais de 1,3 milhão de pessoas em toda a metade oriental da ilha antes da passagem do Matthew, realocados em abrigos, edifícios públicos ou casas de família mais seguras, uma medida preventiva que evitou vítimas fatais. O jornal estatal Granma noticiou na quinta-feira (7/10) a retomada das saídas de ônibus, trens e voos, mas afirmou que não é possível chegar às cidades mais afetadas por terra.

#furacão #furacãomatthew #hurricanematthew #haiti #cuba #caribe #ajudahumanitaria #comoajudar #gente

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pilarmag
Escritora, psicóloga de parentes e amigos, experimentada na cozinha e na Comunicação, já pipocou na chapa quente de grandes jornais e empresas, mãe de cachorro, esposa prendada e tirana, mulher sensível e chorona, teóloga meia boca, fã de Neil Degrasse Tyson. Namastê! Prazer em te conhecer.