Luz e sombra
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Luz e sombra
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Luz e sombra
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Exposição "Ayrton Senna: A última noite" reúne 100 fotos inéditas do piloto

Pilar Magnavita
há 2 anos33 visualizações
Exposição "Ayrton Senna: A última noite" reúne 100 fotos inéditas do piloto
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

O Museu da Velocidade, no autódromo de Monza, no norte da Itália, está com a exposição "Ayrton Senna: A última noite", com 100 imagens inéditas e raras do maior piloto de Fórmula 1 que o Brasil já teve. A curadoria é do fotógrafo e autor das imagens, Ercole Colombo, e do escritor Giulio Terruzzi, ambos italianos e amigos de Senna dentro e fora das pistas. A mostra reconstitui os momentos mais significativos do piloto: o começo com o kart, a estréia no mundo da Fórmula 1, as vitórias e as derrotas históricas, os companheiros de amigos e rivais pilotos, complexa relação com Alain Prost, amor, fé, dinâmica familiar e as suas últimas horas, dramáticos sobre a pista.

Exposição "Ayrton Senna: A última noite" reúne 100 fotos inéditas do piloto

Na imagem: Senna joga um pedaço de bolo no piloto austríaco Gherard Berger, no box da Ferrari a época do GP da Bélgica, em 1992.

Algumas das fotos estão sendo exibidas pela primeira vez e outras são raras, poucas vezes publicadas em jornais e revistas. A mostra traz ainda uma entrevista em vídeo do piloto brasileiro, feita em um evento às vésperas do fatídico Grande Prêmio de San Marino de 1994, prova na qual o piloto morreu após se chocar contra uma barreira de concreto, no Autódromo Enzo e Dino Ferrari, em Ímola, na Itália.

Exposição "Ayrton Senna: A última noite" reúne 100 fotos inéditas do piloto

Na imagem: Senna conversa com Alain Prost, que está no carro.

Elaborada em sintonia com o livro "Suíte 200, a última noite de Ayrton Senna" (2014), de Terruzzi, essa mostra foi composta com base no arquivo pessoal de Colombo.

A exposição também apresenta alguns dos objetos de Senna, incluindo o kart original 1979, no início da carreira, com o qual ele ganhou várias corridas provando ser um grande talento do esporte motor. O mundo dos motores rapidamente se transforma no verdadeiro propósito na vida de Senna. Corridas e competições passaram a ser um meio de o jovem brincalhão se expressar. Uma paixão irreprimível, mas também um sentimento contrastante que muitas vezes dificultou a vida, as relações profissionais e afetivas dele.

O público terá a oportunidade de mergulhar em uma história emocionante e envolvente, que culmina com a última noite do piloto, na famosa "Suíte 200" do Hotel Castello, em Castel San Pietro, perto do circuito de Imola (Itália).

Exposição "Ayrton Senna: A última noite" reúne 100 fotos inéditas do piloto

Se for a Itália neste primeiro semestre, não deixe de visitar o autódromo de Monza. A mostra vai até 24 de julho deste ano.

#fotografia #senna #ayrtonsenna #exposição #f1

Imagem de bebê sírio refugiado ganha o World Press Photo 2016

Pilar Magnavita
há 2 anos30 visualizações
Imagem de bebê sírio refugiado ganha o World Press Photo 2016
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

O drama de refugiados deu o tom do World Press Photos (WPP) 2016, um dos maiores prêmios de fotojornalismo da atualidade. "Esperança de uma vida nova" foi a imagem vencedora deste ano. É de autoria do fotógrafo autraliano Warren Richardson e trata-se de um bebê sírio sendo passado por uma cerca de arame farpado durante uma fuga do controle policial e de imigração na cidade de Röszke, na fronteira entre a Hungria e a Sérvia. A foto também venceu na categoria "Spot News".

De acordo com o depoimento de Richardson na própria página, essa foi apenas uma de uma série de fotos que ele tirou ao longo de cinco dias local, testemunhando cerca de 20 mil pessoas da Síria, Iraque, Afeganistão, África, Bangladesh, Irã e Nepal atravessarem a fronteira. Havia homens, mulheres e crianças, amputados, doentes, todos com histórias para contar sobre de onde vieram e para aonde eles queriam ir.

Tanto a imagem vencedora de Richardson quanto as outras da mesma série foram verdadeiro desafio para o fotógrafo. Não somente pela aventura a qual se dispôs a documentar, mas para conseguir registrar tudo em noites de grande movimentação e sem absolutamente nenhum tipo de luz para não chamar a atenção da polícia. A câmera full-frame precisou de obturador tão aberto que é possível perceber os borrões das fotografias, do movimento das pessoas.

O júri do prêmio qualificou a imagem vencedora de Richardson como clássica e atemporal, com enorme força na simplicidade, especialmente pela presença do arame farpado.

Além da foto fe Richardson, outras imagens sobre histórias de refugiados foram contempladas em categorias diferentes. Como a do fotógrafo italiano Francesco Zizola (camarada incrível!) que clicou um barco de pesca líbio que carregava mais de 500 imigrantes até a costa italiana, no Mediterrâneo. Eles foram resgatados pela organização Médicos Sem Fronteiras. A imagem levou o segundo lugar na categoria "Questões Contemporâneas".

Imagem de bebê sírio refugiado ganha o World Press Photo 2016

Na categoria "Pessoas", o esloveno Matic Zorman venceu com a imagem de uma criança síria refugiada em Preševo, na Sérvia, com um plástico cobrindo o rosto. Como se estivesse sendo asfixiada atrás de grades, né?! Gostei muito.

Imagem de bebê sírio refugiado ganha o World Press Photo 2016

Sergey Ponomarev, do New York Times, levou o prêmio de portfólio na categoria "Notícias", representado pela foto de um barco que transportava refugiados sírios atracando por um deles, na ilha de Lesbos, na Grécia.

Imagem de bebê sírio refugiado ganha o World Press Photo 2016

Nessa mesma categoria, na modalidade Fotografia Única, o brasileiro Mauricio Lima venceu com a imagem de um rapaz do exército do grupo extremista islâmico Isis, do Iraque e da Síria, sendo tratado com unguentos por um médico.

Imagem de bebê sírio refugiado ganha o World Press Photo 2016

Lima também ficou em segundo lugar na categoria "Cotidiano", com essa imagem de meninos pulando árvores em direção à água. Parecem que estão voando, né?

Imagem de bebê sírio refugiado ganha o World Press Photo 2016

O Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, também foi destaque do concurso. O fotógrafo espanhol Sebastián Liste ficou com o terceiro lugar na categoria Cotidiano (Portfólio) com imagens do cotidiano de um grupo de amigos que vivem na favela e se juntaram para formar o Coletivo Papo Reto . Eles usam as mídias sociais para comunicar histórias da comunidade que são ignoradas pela mídia tradicional.

Imagem de bebê sírio refugiado ganha o World Press Photo 2016

O concurso World Press Photo é o prêmio de fotojornalismo de maior prestígio no mundo. Nesta edição, foram selecionados 15 vencedores de 82.951 imagens apresentadas por 5.775 profissionais de 128 países. Não só os primeiros prêmios são especiais. Ao menos, para mim, todas as imagens são vencedoras pelo impacto que nos causa e pelas histórias por trás de todas.

#fotografia #fotojornalismo #arte #vida #gente #histórias

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pilarmag
Escritora, psicóloga de parentes e amigos, experimentada na cozinha e na Comunicação, já pipocou na chapa quente de grandes jornais e empresas, mãe de cachorro, esposa prendada e tirana, mulher sensível e chorona, teóloga meia boca, fã de Neil Degrasse Tyson. Namastê! Prazer em te conhecer.