Luz e sombra
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Luz e sombra
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Luz e sombra
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

"O Regresso": Crl+C e Crl+V em Tarkovsky

Pilar Magnavita
há 2 anos14 visualizações
"O Regresso": Crl+C e Crl+V em Tarkovsky
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Vi “O Regresso” (“The Revenant”, no original) nesta semana e realmente entendi porque Leonardo DiCaprio deveria levar o Oscar neste ano. E também compreendi porque Alejandro Iñárritu ganhou o Globo de Ouro como melhor diretor pelo mesmo filme. Toda essa grande obra cinematográfica foi buscar em grandes nomes do passado, da sétima arte, elementos que fazem de qualquer filme um filmaço. Um desses elementos fundamentais para transformar a narrativa em uma verdadeira poesia (seja de drama, ação ou romance) é a fotografia (e cinematografia, né!?). E caramba! Iñárritu humilhou nesse quesito!

"O Regresso": Crl+C e Crl+V em Tarkovsky

Nessa entrevista para o jornalista Jonathan Roomney, de “The Guardian”, ele explicou que preferiu buscar um processo roots, ou seja, sem tantos efeitos especiais. O ataque do urso ele não revela como fez (acho que foi um ator, hein...), mas a paisagem e a nevasca realmente são imponentes demais para serem irreais.

Esse estilo de filmar e os elementos fotográficos lembram demais um incógnito (para nós brasileiros!) diretor russo, da União Soviética, que ensinou o mundo a explorar pelas lentes essa batalha homem versus natureza de uma forma absurda de boa. O nome dele era Andrei Tarkosvsky, também citado na entrevista de Iñárritu ao jornal britânico.

"O Regresso": Crl+C e Crl+V em Tarkovsky

O super célebre Ingmar Bergman uma vez disse:

“Tarkovsky é para mim o melhor diretor, aquele que inventou uma nova linguagem, verdadeira para a natureza dos filmes, pela forma que ele captura a vida como uma projeção, como um sonho.”

O estilo tarkovskiano é matéria de estudo nas escolas de cinema de todo mundo (ou ao menos, nas melhores delas). É o exercício do olhar do diretor para buscar no íntimo do telespectador aquelas questões do inconsciente que são as mais profundas. Do tipo: quem sou, o que é Deus e como nos relacionamos. E isso você não se dá conta enquanto está vendo a historinha! O filme está lá passando, mostrando imagens fortes para você e indo lá fundo na tua alma, mas, ainda assim, não é possível identificar por que aquela imagem está mexendo contigo.

"O Regresso": Crl+C e Crl+V em Tarkovsky

Bicho... isso é arte!

"O Regresso": Crl+C e Crl+V em Tarkovsky

A obra de Andrei Tarkovsky é caracterizada por longos takes (tomadas), usando uma estrutura nada convencional dramática, com temas para a cinematografia que são meio espirituais e da metafísica. 

E o que é "O Regresso" se não a luta de Hugh Glass (interpretado por Leonardo DiCaprio) contra a natureza, do planeta e do homem? As cenas na igreja são símbolos dessa batalha espiritual dele.

Mais tarde, no diálogo com o índio pawnee, Hikuc, vemos também a mesma questão, quando o nativo diz que a vingança pertence a Deus.

"O Regresso": Crl+C e Crl+V em Tarkovsky

Alejandro Iñárritu pareceu ter copiado e colado cenas inteiras de filmes de Tarkosvy, apropriando-se da técnica em tudo. O diretor mexicano foi muito feliz na sua maneira de conduzir a narrativa sob esse aspecto, pois do contrário eu acho que a história ia ficar um saco! Afinal, não há uma excelente roteiro, embora a história seja muito boa.

Se quiser conhecer mais sobre a influência de Andrei Tarkovsky no filme "O Regresso" indicado ao Oscar, dá uma espiada no vídeo abaixo. E depois a gente conversa.

#oregresso #filme #fotografia #cinematografia #andreitarkovsky #tarkoviskian #therevenant #inarritu

Sesc Pompeia está entre os 10 melhores edifícios de concreto no mundo

Pilar Magnavita
há 2 anos10 visualizações
Sesc Pompeia está entre os 10 melhores edifícios de concreto no mundo
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

O jornal britânico The Guardian, um dos mais lidos no mundo, elegeu o Sesc Pompeia, inaugurado em 1986 na capital paulista, como um dos 10 melhores edifícios de concreto do mundo, tanto na técnica quanto no design. Para ser mais exata, a obra da brasileira Lina Bo Bardi (nascida na Itália, 1914-1992) foi considerada a sexta mais incrível construção com acabamento em cimento de todo o mundo por Rowan Moore, arquiteto que escreve semanalmente para o periódico britânico. 

Encabeçando a lista está o magnífico Panteão de Roma, possivelmente construído por Apollodorus de Damascus, no ano 126 DC. E acredite você: não há uma só obrazinha sequer de Oscar Niemeyer nessa relação. Nem museu de Niterói, nem Maracanã, nem catedrais do Rio e de Brasília... Moore curtiu Lina Bo Bardi, também autora do Museu de Arte de São Paulo (Masp)!

Sesc Pompeia está entre os 10 melhores edifícios de concreto no mundo

Lina concebeu a obra em tempos de regime militar para ser a "Cidade da Liberdade", onde política pudesse se desassociar da vida da população enquanto as pessoas se dedicassem aos esportes e artes. Assim, idealizou uma espécie de castelo modernista popular.

Esse idealismo nasceu após ela própria ter sido vítima do regime nos anos 70. Os milicos não gostavam muito nem das obras dela e nem da sua discordância. Envolveu-se em problemas com eles em mais de um episódio. 

E assim nasceu em 1977, após um ostracismo fruto dessa perseguição (com prisão e tortura), a ideia do projeto arquitetônico, encomendado por Renato Requixa e Gláucia Amaral, diretores do SESC à época. Paris tinha acabado de inaugurar o Centro Georges Pompidou – Beaubourg, modelo bem extravagante de arquitetura que se tornou referência de um estilo pós-modernista. O novo Sesc foi imediatamente comparado à obra parisiense na linguagem industrial, nas mudanças bruscas de escala, cores e, principalmente, o fato de em nada combinar com a arquitetura da vizinhança.

A construção é composta de três prismas de concreto, com formas diferentes. Essas espécies de torres surgem ao lado dos antigos galpões da fábrica de tambores da Pompéia. Um é retangular, de trinta por quarenta metros de base e quarenta e cinco metros de altura; o segundo, também retangular, é menor e mais alto que o primeiro, de quatorze por dezesseis metros de base e cinquenta e dois metros de altura; e o terceiro é na verdade um cilindro de oito metros de diâmetro e setenta metros de altura.

Moore destaca o trabalho da arquiteta com as janelas, que, na sua opinião, parecem resultado de um buraco feito por homens das cavernas pela assimetria das formas. Ele aprecia muito também a harmonia em que cada uma delas está disposta.

Sesc Pompeia está entre os 10 melhores edifícios de concreto no mundo
Sesc Pompeia está entre os 10 melhores edifícios de concreto no mundo
Sesc Pompeia está entre os 10 melhores edifícios de concreto no mundo
Sesc Pompeia está entre os 10 melhores edifícios de concreto no mundo
Sesc Pompeia está entre os 10 melhores edifícios de concreto no mundo

O Sesc Pompeia conta um sem-número de atividades, peças teatrais, danças e exposições. Com esse extenso calendário, vale dar uma conferida nele a praticamente qualquer dia e qualquer horário entre 9h e 22h, de terça a sábado, e de 9h às 20h, nos domingos, segundas e feriados. É só checar no site a programação:

Viva Lina, viva o Sesc Pompeia e viva São Paulo, né, gente?!

#sescpompeia #linabobardi #saopaulo #arquitetura #design #construção

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pilarmag
Escritora, psicóloga de parentes e amigos, experimentada na cozinha e na Comunicação, já pipocou na chapa quente de grandes jornais e empresas, mãe de cachorro, esposa prendada e tirana, mulher sensível e chorona, teóloga meia boca, fã de Neil Degrasse Tyson. Namastê! Prazer em te conhecer.