Pequerruchos
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Pequerruchos
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Pequerruchos
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

10 coisas incríveis que bebês conseguem fazer

PrincessButtercup
há um ano139 visualizações

Bebês são fofos, ingênuos e indefesos. Não podem ficar sozinhos, não sabem comer por conta própria, precisam de meses para darem os primeiros passos e ninguém sabe quando será a próxima vítima de um jato de xixi. Só que bebês também são seres fantásticos, capazes de coisas que adultos nem imaginam.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

1. Bebês se lembram de pessoas durante anos

Uma pesquisa colocou crianças de 3 anos de idade vendo dois vídeos ao mesmo tempo, cada um com um pesquisador diferente. E cada bebê tinha conhecido um pesquisador dois anos antes. A observação constatou que as crianças passavam mais tempo olhando os vídeos dos pesquisadores que elas não conheciam. Faz sentido, já que bebês tendem a passar mais tempo olhando o que é novo. Ou seja, aquilo - ou alguém - que não conhecem.

2. Bebês conseguem diferenciar humanos de zumbis

Crianças de 6 e 12 meses de idade olharam fotos de rostos humanos e de rostos com maquiagem e olhos em estilo zumbi. Os bebês de 6 meses passaram mais tempo observando as pessoas com olhos de zumbi, mas o curioso mesmo é que as crianças de 12 meses se fixaram nos olhos de pessoas normais. Os pesquisadores acreditam que com um ano de idade, humanos passam por um período de aversão a criaturas “quase humanas”.

3. Bebês conseguem fazer choro fake

No ano passado, um pesquisador japonês gravou em vídeo um menino de 11 meses fingindo que estava chorando. Ele filmou dois bebês por 60 minutos duas vezes a cada mês durante seis meses. Um bebê só chorada depois de dar amostras de emoções negativas. Já o outro dava gargalhadas até que, do nada, começava a chorar por pouco tempo e voltava a rir sem motivo aparente. 

4. Bebês sabem a diferença entre um canto fúnebre e uma música alegre

Pesquisadores instalaram uma caixa de som de um dos lados do rosto de bebês. A música rolava até que os bebês parecessem entediados. Nesse momento, o ritmo da música mudava de alegra para triste ou vice-versa. A mudança de de ambiente não fez diferença alguma para bebês de 3 meses, mas funcionou com crianças de 9 meses. A cada mudança, o bebê mostrava interesse e olhava para a caixa de som.

5. Bebês têm preferências artísticas

Bebês de nove meses foram colocados diante de pinturas de Monet até que perdessem o interesse. Então, mostraram um quadro de Picasso, e todas crianças acharam o máximo. Depois, fizeram o teste ao contrário, e os bebês pouco se importaram para as pinturas de Monet depois de observarem um Picasso.

6. Bebês sabem o que você vai fazer

Uma pesquisa publicada em 2006 descobriu que bebês de 12 meses mostravam com os movimentos dos olhos que reconheciam padrões de movimento de adultos. Quando um adulto pegava brinquedos para guardar em uma caixa, os bebês olhavam para a caixa antes mesmo de o adulto levar o braço até lá. Bebês de seis meses não conseguiam fazer o mesmo e não tiravam os olhos dos brinquedos.

7. Bebês escutam sons que você não consegue ouvir

Quando bebês crescem, eles se sintonizam com sons relevantes a seu idioma nativo, mas antes disso eles conseguem detectar todos contrastes fonéticos no discurso humano. Inclusive alguns que adultos não conseguem! 

8. Bebês conseguem demonstrar desprezo

Um estudo da década de 1980 colocou adultos observando filmagens com bebês de até 9 meses. As imagens mostravam as crianças reagindo a eventos reais. Os adultos conseguiram identificar reações de interesse, alegria, surpresa, tristeza, raiva, nojo, medo e, sim, até desprezo.

9. Bebês ensaiam palavras longas antes de falar

Pesquisadores investigaram cérebros de bebês de 7 a 11 meses de idade que ouviam falas. Os psicólogos observaram atividade em certas partes dos cérebros dos bebês, e isso sugeria que eles já estavam ensaiando por conta própria como produzir alguns tipos de sons.

10. Bebês manjam de física

Tem hora que a gente começa a acreditar que essas criaturinhas chegaram no mundo já imaginando algumas coisas. Em 2009, um estudo descobriu que bebês de 5 meses usam certos métodos para ver se um material é sólido ou líquido. Depois disso, fazem testes para ver como esses objetos se comportam. Do tipo encostar num copo d’água pra ver se ele vira, sabe? 

Insubstituível: mãe ainda é quem mais influencia o filho a ler

PrincessButtercup
há um ano210 visualizações

A pesquisa do IBOPE não deixa dúvida: no Brasil, a mãe ainda é quem mais influencia uma pessoa a ler. O estudo, chamado Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, foi feito a pedido do Instituto Pró-Livro e registrou que 33% dos entrevistados aprenderam a gostar de ler por influência de alguém. Do total, 11% desses leitores adquiriram o hábito da mãe ou de uma “responsável do sexo feminino”.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Insubstituível: mãe ainda é quem mais influencia o filho a ler

A pesquisa também fornece números preocupantes sobre os hábitos de leitura do brasileiro: 44% da população não leu nenhum livro nos últimos três meses, 74% não comprou livro algum e 30% nunca comprou um livro. Nunca é tarde para ajudar a mudar esses números, então que tal lembrar alguns dos livros mais populares e recomendáveis para crianças?

1. O Pequeno Príncipe

As lições de vida do autor francês Antoine de Saint-Exupéry também emocionam os adultos, mas fazem crianças pensar desde cedo.

2. Livro de Histórias

Traz “Chapeuzinho Vermelho”, “Os três porquinhos”, “João e o pé de feijão” e outros contos que nunca envelhecem. Só histórias clássicas!

3. A Bolsa Amarela

Leitura obrigatória. O livro de Lygia Bojunga Nunes traz temas sobre conflitos de infância e faz com que os baixinhos aprendam desde cedo a encarar diferentes assuntos. 

Insubstituível: mãe ainda é quem mais influencia o filho a ler

4. O Homem que Amava Caixas

De Michael Stephen King, vem com desenhos leves e trata do relacionamento entre pais e filhos. Conta a história de um homem apaixonado por caixas e por seu filho, mas que não sabe como dizer ao garoto que o ama.

5. Por Favor, Obrigado Desculpe

Mostra que aprender boas maneiras pode ser divertido. De Becky Bloom e Pascal Biet.

6. Ou Isto Ou Aquilo

Um clássico de Cecília Meireles, com poemas sonoros e que lembram músicas de ninar, trava-línguas e outros recursos da língua portuguesa. Fala dos sonhos e fantasias do mundo infantil.

7. Reinações de Narizinho

Todo adulto já ouviu falar do Sítio do Picapau Amarelo, de Monteiro Lobato, então sabe do encanto das histórias de Narizinho, Emília, Pedrinho, Dona Benta e cia.

Insubstituível: mãe ainda é quem mais influencia o filho a ler

8. O Menino Maluquinho

O clássico de Ziraldo é alegra e ensina a criança que é possível ser feliz e transformar sonhos em realidade em qualquer situação.

9. O Ursinho Apavorado

“Um livro de dobraduras não muito apavorante”, como diz a capa, diverte e surpreende crianças com a história de um ursinho que acordou assustado no meio da noite por causa de um barulho horrível.

10. Onde Vivem os Monstros

Ganhou fama recente porque foi transformado em filme, mas o livro foi escrito em 1963. Conta a história de Max, um menino que se transporta para uma ilha onde vivem os monstros. O livro de Sendak trata de obediência e rebeldia, que ganham vida com os monstros mais fofos que você vai conhecer.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pilarmag
Escritora, psicóloga de parentes e amigos, experimentada na cozinha e na Comunicação, já pipocou na chapa quente de grandes jornais e empresas, mãe de cachorro, esposa prendada e tirana, mulher sensível e chorona, teóloga meia boca, fã de Neil Degrasse Tyson. Namastê! Prazer em te conhecer.