Pequerruchos
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Pequerruchos
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Pequerruchos
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Elas são gêmeas, têm sete anos e o canal mais fofo de literatura infantil

Pilar Magnavita
há 2 anos24 visualizações
Elas são gêmeas, têm sete anos e o canal mais fofo de literatura infantil
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Um belo dia, a professora das gêmeas de 7 anos, Beatriz e Juliana Mello passou um dever de casa que mudaria a rotina e o gosto pela leitura das pequenas: ler em voz alta e gravar isso em vídeo. A intenção da professora era apenas para melhorar a dicção e a fluência da língua portuguesa nas duas carioquinhas super espevitadas. O que ela não imaginou foi que o trabalho viraria um hit entre os coleguinhas e, agora, com outras crianças!

Como são apenas duas meninas, fica fácil conversar com outras crianças sobre literatura sem cair na chatice de ouvirem um adulto falar com elas com autoridade. Crianças curtem serem tratadas de igual para igual e não são muitas pessoas que conseguem conversar normalmente com elas sem afetar a voz um pouco (como se tivessem dificuldade de entender o que estão dizendo) ou se colocar numa posição de sabe-tudo diante dos pequerruchos. Se para a gente isso é horrível, imagine para eles?

Pois Beatriz e Juliana criaram o canal Dicas da Bia e da Juju, que já tem mais de 440 seguidores no Rio desde setembro, sendo o último vídeo das meninas curtido por mais de 1,8 mil pessoas!

O repertório das duas não é nada fraco! Até agora, já fizeram leituras de grandes nomes da literatura infantil como Ruth Rocha, Ziraldo e Ana Maria Machado. Juju prefere as coleções Go Girl, Bruxa Onilda, Bruxinha Winnie e Casa Amarela. Mas também não dispensa as revistas da Turma da Mônica, do Menino Maluquinho e do Riquinho. Já a Bia pega mais nos clássicos: Ziraldo, Ruth Rocha e Ana Maria Machado.

A partir desse projeto, a mãe das meninas, Ana Carolina Trotta, disse que as mocinhas passaram a ter mais gosto pela leitura, o que os pais já vinham estimulando desde antes.

Mas os papais e mamães se descabelam para saber: como desenvolver o gosto pela leitura na criança?

Como em muita coisa na vida, leitura é algo que passa para a criança como exemplo. Papais e mamães precisam ler se quiserem que seus pequerruchos tomem gosto pela coisa. Se eles notam que você gosta de ler e que tratam os livros com cuidado e respeito, elas provavelmente, farão o mesmo.

Se você encara os livros como uma obrigação e não como um prazer, será muito provável que seus filhos façam isso da mesma forma. Da mesma forma que você deve buscar os livros que te satisfaçam o apetite literário, deixe que seu príncipe ou sua princesinha tome gosto a partir de obras que a fazem feliz. E vá acrescentando, aos poucos, os clássicos. Eu, por exemplo, nunca terminei de ler Pollyanna. E nem daria para minha filha. Sempre curti os livros de ação! Portanto, Ziraldo e Pedro Bandeira sempre foram mais minha escolha preferida, da mesma forma que uma menina ou um menino também prefiram histórias mais emocionantes. 

Também não é legal esperar a criança começar na alfabetização para começar a despertar para o universo literário. É preciso ler histórias para elas desde o berço. E, por que não, desde o ventre da mamãe? Já é sabido que o feto tem memória e nasce reconhecendo a vozinha da mãe.

Quanto o bebê já conseguir se sentar firme no chão ou no berço, já é um bom momento para oferecer alguns livros que dão um ar de brincadeira. Aqueles fofinhos de plástico que fazem barulho, permitem a criança encaixar objetos e mesmo brincar com marionetes de dedinhos. ofereça-lhe livros para que os maneje. Há também pequenos dicionários, voltados para bebês que estão aprendendo a falar, para que a criança se vá familiarizando com as palavras, as letras, relacionando-as pouco a pouco com a imagem. O segredo nesta idade, é fazer com que o bebê veja o livro como mais um brinquedo. Estimule os sentidos!

Depois dessa fase, contar histórias antes de dormir, do jeitinho de antigamente, é uma atitudes mais nobres dos papais e mamães. Não só fortalecem os laços entre pais e filhos, como dá oportunidade de eles expressarem seus sentimentos, como passaram o dia, se há algo que os incomoda, com o benefício de se deliciarem com uma história muito legal. E não só de autores brasileiros, mas, porque não, de uma coleção como Harry Potter e As Crônicas de Nárnia?

Elas são gêmeas, têm sete anos e o canal mais fofo de literatura infantil

Quando a criança estiver naquela idade que consegue prestar atenção quietinha, leve-a para teatro e uma biblioteca. Mostre para ela que devemos amar e respeitar as histórias e os livros. Faça disso um momento de vocês.

Dê livros de presente! Mostre que é algo com o qual se recompensa alguém, pelo valor que o livro tem.

E se você realmente for um fã de histórias, porque não encenar os livros que a criança mais gosta? Amarrar uma fronha no pescoço e ser um dos três mosqueteiros? Ou fazer chapéu de jornal e pular pela casa como um Peter Pan? Eu garanto que, além de você criar um pequeno leitor e um futuro adulto super criativo (do tipo que faz e não é mero espectador da vida), vocês dois terão momentos de muitas gargalhadas juntos!

#leitura #criança #filhos #paisefilhos #pequenosleitores #literaturainfantil

Grávidas, bebês e felinos: os mitos da toxoplasmose

Pilar Magnavita
há 2 anos12 visualizações
Grávidas, bebês e felinos: os mitos da toxoplasmose
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Uma das coisas mais bonitas que uma mamãe de filhos caninos e felinos é ver que os peludos receberam um recém nascido humano com todo o amor. É natural de muitos animais entender o momento da gestação da dona. Ele compreende, pela explosão de cheiros que você libera, que há um novo membro para a matilha que está para chegar e que necessitará de todo carinho. Alguns cachorros muito brincalhões, por exemplo, até deixam de pular na mamãe humana para proteger a barriga. Outros não costumam deixar nenhum estranho se aproximar. Curioso, não?!

Com gatinhos é assim também. Quando um bebezinho está para chegar, os felinos costumam integrar o novo "filhote". Alguns podem até ser avessos, mas todos merecem uma boa dose de confiança e paciência para se acostumarem com uma nova rotina dentro de casa.

Dá só uma olhada que fofo esse peludinho com um novo bebê!

Grávidas, bebês e felinos: os mitos da toxoplasmose

Pois conheça Panda, um gatinho preto e branco muito fofo, e o companheiro perfeito para a mamãe Liel Asmar Assayag enquanto ela estava grávida. O gato dormia sobre a barriga, dando calorosos abraços no pequenino que estava para chegar.

Grávidas, bebês e felinos: os mitos da toxoplasmose

Pessoas que têm gatos, como eu, sabem que o bichano adora um chameguinho do dono, especialmente numa posição muito confortável. E, para eles, não há nada mais confortável do que a barriga do papai ou da mamãe humana. Eles costumam deitar lá e ficar totalmente de boa, curtindo uma sonequinha com a segurança dos donos. O ronronar é prova disso. Significa: "por favor, não vá embora: está muito bom assim".

Quando o filho de Liel chegou, não é que Panda o recebeu da mesma forma?

Grávidas, bebês e felinos: os mitos da toxoplasmose

Quando o bebê de Liel nasceu, o marido dela foi para casa com um dos paninhos da criança, com o cheirinho dela, para que Panda e outros dois bichanos se acostumassem quando o neném finalmente chegasse em casa. Demorou um mês para que recebessem o mais novo membro da família, ignorando completamente a existência dele. No entanto, como de costume, hoje não só abraçam o pequenino como também fazem um relatório completo das atividades do bebê: se acordou, se está chorando, se fez cocô. 

E se você, mamãe gravidinha, estiver preocupada com a toxosplasmose, não afaste seu gatinho de você! Se o médico recomendou tal barbaridade, livre-se do médico porque ele não parece ter nenhum conhecimento sobre isso. A toxoplasmose é causada pelo protozoário parasita Toxoplasma gondii. A gente entende muito bem os riscos desse contágio, fatal para uma gestação, como aborto, má formação fetal, sequelas neurológicas e problemas oculares. Mas não é o convívio com o gato que transmite a doença!!! É preciso, no mínimo, ingerir as fezes de um animal infectado para conseguir tal proeza dele. E um gatinho de apartamento infectado é até bem raro. Além de precisar ficar exposto à doença por meio de outros animais ou terra contaminada, o ciclo da toxoplasmose no gato é de até 20 dias em toda uma existência. Uma única vez! Após a excreção do parasita pelas fezes, o gatinho fica imune e com chances quase nulas de pegar o parasita novamente. Um simples exame de sangue no animal é capaz de detectar isso.

Por isso, resolvemos esclarecer aqui um pouco mais sobre a doença que possui mais mitos do que verdades por aí:

1) A toxosplasmose é mais frequentemente transmitida pelos alimentos crus do que pelos felinos. Por isso que as grávidas devem evitar sushi, carne mal passada, carpaccio, ovos moles ou frito com gema mole, salada e vegetais de origem desconhecida (coma apenas em casa, bem lavada com cloro) e qualquer alimento mal cozido.

2) Beber água não filtrada e clorada.

3) Evite limpar a caixa de areia do gatinho, mas se for fazer isso, use luvas (até máscaras, para as gravidinhas mais preocupadas) e lave bem as mãos depois, com sabonete de enxofre ou antibacteriano.

4) Não tome leite sem ser pasteurizado.

5) Estoque a ração do gatinho adequadamente, evitando o contato com insetos.

6) Evite dar visceras e carnes cruas para o bichano.

7) Evite mexer com terra e jardins. E se for fazer isso, use luvas!

Pronto! Tomando esses cuidados, você pode abraçar e beijar seu bichinho sem nenhum problema. Não o abandone e não deixe de dar amor a ele por ignorância. Toxoplasmose é uma questão de higiene.

#toxoplasmose #crianças #gravidez #gatos

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pilarmag
Escritora, psicóloga de parentes e amigos, experimentada na cozinha e na Comunicação, já pipocou na chapa quente de grandes jornais e empresas, mãe de cachorro, esposa prendada e tirana, mulher sensível e chorona, teóloga meia boca, fã de Neil Degrasse Tyson. Namastê! Prazer em te conhecer.