Pequerruchos
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Pequerruchos
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Pequerruchos
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Estudo comprova que bebês controlam os pais pelo choro

PrincessButtercup
há um ano84 visualizações
Estudo comprova que bebês controlam os pais pelo choro
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

O som de um bebê chorando é descontrolador. Incrivelmente perturbador! Algo que exige imediatamente a nossa atenção. Tentamos descobrir se eles estão com fome, cansados, com calor ou se precisam trocar a fralda. Isso se somos os papais! Se não temos nenhuma relação com o bebê, a coisa fica mais difícil para a gente.

Pois eis que um um estudo revelou que os gritos e lágrimas de uma criança podem realmente alterar a forma como os pais pensam e agem. Eles nos controlam, gente!

A atividade cerebral de pessoas ouvindo um bebê chorando se altera profundamente. Tanto que elas são impedidas de se concentrarem em qualquer outra tarefa sem ser a de dar atenção ao bebê em necessidade.

É, amigos. A natureza humana fez questão de garantir a sobrevivência desses pequeninos lindos, gordinhos e deliciosos! E nós nos adaptamos a ponto de nos perturbarmos profundamente com o chorinho estridente deles.

Estudo comprova que bebês controlam os pais pelo choro

Por isso, por mais que você leia vários especialistas em crianças, que você estude tudo que é comportamento ideal de pais com filhos, que você ouça todas as opiniões do mundo que te dizem para ignorar o choro dos pequeninos, sinto muito, você não irá conseguir assim tão fácil. Não está na natureza de papais e mamães deixar a criança aos prantos, mesmo quando eles fazem pura manha. Algo a gente simplesmente tem que fazer!

Isso foi comprovado em uma pesquisa da Universidade de Toronto. Os cientistas pediram aos voluntários para fazerem tarefas simples depois de ouvirem um bebê rindo e chorando.

Infant Cries Rattle Adult Cognition
The attention-grabbing quality of the infant cry is well recognized, but how the emotional valence of infant vocal signals affects adult cognition and cortical activity has heretofore been unknown. We examined the effects of two contrasting infant vocalizations (cries vs. laughs) on adult performance on a Stroop task using a cross-modal distraction paradigm in which infant distractors were vocal and targets were visual. Infant vocalizations were presented before (Experiment 1) or during each Stroop trial (Experiment 2). To evaluate the influence of infant vocalizations on cognitive control, neural responses to the Stroop task were obtained by measuring electroencephalography (EEG) and event-related potentials (ERPs) in Experiment 1. Based on the previously demonstrated existence of negative arousal bias, we hypothesized that cry vocalizations would be more distracting and invoke greater conflict processing than laugh vocalizations. Similarly, we expected participants to have greater difficulty shifting attention from the vocal distractors to the target task after hearing cries vs. after hearing laughs. Behavioral results from both experiments showed a cry interference effect, in which task performance was slower with cry than with laugh distractors. Electrophysiology data further revealed that cries more than laughs reduced attention to the task (smaller P200) and increased conflict processing (larger N450), albeit differently for incongruent and congruent trials. Results from a correlation analysis showed that the amplitudes of P200 and N450 were inversely related, suggesting a reciprocal relationship between attention and conflict processing. The findings suggest that cognitive control processes contribute to an attention bias to infant signals, which is modulated in part by the valence of the infant vocalization and the demands of the cognitive task. The findings thus support the notion that infant cries elicit a negative arousal bias that is distracting; they also identify, for the first time, the neural dynamics underlying the unique influence that infant cries and laughs have on cognitive control.
journals.plos.org

Os resultados mostraram que aqueles que escutaram o som de choro eram mais lentos e dispersos do que os que escutaram o riso. Havia uma grande dificuldade de processar as informações por conflitos cognitivos. 

Joanna Dudek e David Haley, psicólogos da Universidade de Toronto e autores do estudo, defendem que, apesar de o estresse provocado pelos gritos infantis terem evocado respostas na mente dos adultos, também pode criar uma resposta adaptável à situação. Ao serem acionados pelo choro, os pais conseguem decidir como ajudar de forma mais eficiente os filhos. Ou seja: a pesquisa comprovou o instinto parental.

Se o choro de uma criança ativa essa perturbação cognitiva no cérebro, ele também ensina aos papais e mamães como a concentrar a atenção de forma mais seletiva. É esta flexibilidade cognitiva que permite aos pais alternar rapidamente a atenção entre as angústias do bebê e as demandas do dia a dia. 

A gente aprende a se virar nos trinta!

----------

Por Pilar Magnavita

#paisefilhos #educação #criaçãodosfilhos #crianças #pequerruchos #bebes #chorodebebe

15 coisas para fazer com os filhos antes que eles cresçam

PrincessButtercup
há um ano48 visualizações
15 coisas para fazer com os filhos antes que eles cresçam
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Quem é pai e mãe de adolescente sabe que os filhos crescem mais rápido do que gostaríamos. Aquele momento mágico de ensinar e acompanhar o pequeno na descoberta do mundo, nas primeiras palavrinhas, nos primeiros passinhos passa num instante. Quando damos conta, eles já estão respondendo e questionando, impondo vontades e desobedecendo as mais simples ordens. Argumentam coisas do arco da velha e te deixam ocasionalmente sem resposta. E bate uma saudade de quando eles eram tão pequeninos!!!

É, paizinho. É, mãezinha. Eles crescem sem pedir permissão. Desobedecem teus desejos mais caros de conservá-los sempre pequeninos junto ao peito! Um dia você põe a princesinha ou príncipe para dormir e no dia seguinte, quando vai acordá-los, estão maiores do que a cama. Não cabem mais no teu colo, nem no teu abraço. "Para, mãe!" "O que é?!" "Que mico!" dão lugar àquele inigualável "Mamãe, te amo". Oh, é duro! A gente parece mendigar até por um beijinho, nem que seja de despedida!

E na correria do dia a dia, nem sempre nos damos conta dessa passagem do tempo. Quando percebemos lá se vão os galalaus criados para o mundo. Por isso, valorize sempre a primeira infância do seu filho. É um breve soluço numa vida centenária! Curta e aproveite esse momento. 

É o conselho do Blog Leiturinha:

#1 Segurá-lo por uma hora inteira, enquanto ele descansa em seus braços (lembre-se de que em pouco tempo seu corpo não caberá mais nesse mesmo espaço).

15 coisas para fazer com os filhos antes que eles cresçam

#2 Sentir sua mão que a agarra com força, apesar de ter o tamanho do dedo mindinho.

#3 Cheirar aquele cabelinho fino, na tentativa de guardar para sempre na memória aquele aroma de bebê.

#4 Fazer caretas e vê-lo gargalhar. E perceber que a alegria não depende de mais nada.

#6 Deixá-lo dormir em sua cama naquela noite terrivelmente fria de inverno.

#6 Levá-lo à praia e passar uma tarde inteira pegando conchinhas.

#7 Marcar sua altura na mesma parede, a cada ano que passa.

15 coisas para fazer com os filhos antes que eles cresçam

#8 Brincar de faz de conta.

15 coisas para fazer com os filhos antes que eles cresçam

#9 Fazerem juntos uma história muito louca, sem pé nem cabeça. Risos certos!

15 coisas para fazer com os filhos antes que eles cresçam

#10 Aproveitar o título de melhor mãe ou pai do universo.

15 coisas para fazer com os filhos antes que eles cresçam

#11 Brincar de esconde-esconde e vê-lo com metade do corpo para fora do esconderijo, certo de que está muito bem escondido.

15 coisas para fazer com os filhos antes que eles cresçam

#12 Tomar chá imaginário, comer a comida do restaurante que ele acabou de abrir ou brincar de super-herói (com direito a correr com capa pela casa).

#13 Fazer um bolo ou biscoitinhos do lanche juntos!

15 coisas para fazer com os filhos antes que eles cresçam

#14 Abraçá-lo com todas as suas forças na saída da escola e dar muitos (mas muitos!!) beijinhos. Em alguns anos, isso será considerado “pagar o maior mico com a galera”.

15 coisas para fazer com os filhos antes que eles cresçam

#15 Dizer “eu te amo” todos os dias! Para que nunca, sequer por um segundo, ele deixe de acreditar que você estará lá sempre que ele precisar.

Que coisa sagrada é ser papai e mamãe, né, gente?!

----------

Por Pilar Magnavita

#crianças #filhos #paisefilhos #pequeruchos #família

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
pilarmag
Escritora, psicóloga de parentes e amigos, experimentada na cozinha e na Comunicação, já pipocou na chapa quente de grandes jornais e empresas, mãe de cachorro, esposa prendada e tirana, mulher sensível e chorona, teóloga meia boca, fã de Neil Degrasse Tyson. Namastê! Prazer em te conhecer.