OUTROS

Quando as fronteiras entre países quase não existem

Pilar Magnavita
Author
Pilar Magnavita
Quando as fronteiras entre países quase não existem

França e Alemanha. Aquelas duas vizinhas com hábitos extremamente diferentes que não se bicam. Do tipo que levam a rixa para um quebra-pau na reunião de condomínio, precisando da colaboração dos vizinho de porta para dar uma acalmada nos ânimos. Traduzindo em termos geográficos, estes podem ser representados pela Benelux, um bloquinho econômico formado por Bélgica, Holanda e Luxemburgo, com maior atuação na política da vizinhança do que necessariamente no comércio entre países. E, com base nessa difícil relação entre franceses e alemães, criou-se a União Europeia.

Quando as fronteiras entre países quase não existem

Você certamente me pergunta o motivo dessa pequena aulinha de geografia. Eu explico: por causa desse grupinho de países, que criaram em 1985 o Acordo de Schengen, é que as fronteiras da Europa se tornaram quase invisíveis. Isso porque o tratado permitiu a livre circulação de pessoas nesses países, sem necessidade de passaportes e outros documentos, como uma viagem doméstica. É como ir de um bairro a outro.

O Acordo de Schengen, depois substituído pelo de Lisboa, da Comunidade Europeia, em 2007, que instaurou uma espécie de "espaço de liberdade, segurança e justiça", que vai além da cooperação policial e judiciária. Também recebe políticas comuns entre os países, no tocante aos vistos, asilo e imigração, mediante substituição do método intergovernamental pelo método comunitário. Se por um lado isso complicou o controle dos imigrantes e de refugiados (dando aquela dor de cabeça aos europeus), por outro mudou completamente a paisagem.

O fotógrafo italiano Valerio Vincenzo, residente da Holanda, mostrou como essas fronteiras europeias são quase inexistentes, com a série de imagens "Borderline, as fronteiras da paz". A ideia dele é lembrar aos europeus de que a comunidade europeia pode ser uma comunidade mundial. Eu, particularmente acredito em karma. E, para mimi, nada mais justo para esses imigrantes receberem, enfim, tudo aquilo lhes foi tomado em séculos anteriores.

#1 Letônia e Estônia

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#2 Alemanha e Polônia

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#3 Lituânia e Letônia (Nem Ipanema e Leblon se dividem assim!)

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#4 Polônia e Lituânia

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#5 Noruega, Finlândia e Suécia

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#6 Eslováquia e Polônia

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#7 Bélgica e Holanda

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#8 Portugal e Espanha

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#9 Alemanha e Polônia

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#10 Holanda Alemanha e Bélgica

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#11 França e Alemanha

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#12 Suíça e Itália

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#13 Alemanha e Áustria

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#14 Bulgária e Romênia

Quando as fronteiras entre países quase não existem

#15 França e Itália

Quando as fronteiras entre países quase não existem

Em 2012, a União Europeia ganhou o prêmio Nobel da Paz por contribuir por mais de seis décadas para o avanço da harmonia e da reconciliação entre os países, a democracia e os direitos humanos na Europa. Vamos torcer que isso se espalhe para o restante do mundo!

#geografia #fronteiras #países #viagem #lugares