OUTROS

Sete destinos europeus baratos, para ignorar o câmbio nessas férias

Pilar Magnavita
Author
Pilar Magnavita

A coisa anda difícil para os viajantes. Está nos jornais, está nos juros do cartão, está no dólar impraticável e está até no passaporte, com o risco de sairmos do Brasil e não poder voltar porque o país acabou. No entanto, viajante que é viajante não se aquieta num lugar só. Faz parte da natureza dessa raça enfrentar qualquer impeditivo para se lançar no mundo! Seja com o euro a R$ 4 ou a passagem aérea por R$ 4 mil: nosso negócio é viajar!

A gente sempre encontra saídas para essas situações financeiras. Fora do eixo América Latina, que é um dos melhores lugares para viajar com pouca grana, temos alguns destinos europeus que também valem muito a pena. Com apenas R$ 200 você fica de boa nesses sete países imperdíveis:

#1 Portugal

Sete destinos europeus baratos, para ignorar o câmbio nessas férias

Para conseguir economizar e se divertir em Lisboa é preciso contar com alguns aliados. O principal deles é o Lisboa Card, que pode ser adquirido no aeroporto logo que chegar. Ele dá acesso gratuito a toda a malha de transporte público (ônibus, bondes, elevadores, metrô e o transporte de ida e volta para Sintra e Cascais) e ainda permite entrada livre em muitos monumentos e museus. Em alguns casos, oferece desconto em restaurantes. Como são três dias na cidade, o cartão que cobre 72 horas (39 euros/adulto, 20 euros/criança) é a melhor opção. Comer em Portugal também não é caro. O Taverna Imperial, por exemplo, é um restaurante tradicional e antigo da capital portuguesa, maravilhoso, onde se come uma caldereta de bacalhau por 6 euros. A maior parte dos restaurantes vai cobrar uma média de 12 euros por refeição.

Sugestão de roteiro de 10 dias em Portugal: Lisboa (3), Sintra (1 – Bate-volta a partir de Lisboa), Coimbra (1), Serra da Estrela – Belmonte, Manteigas, Linhares -(1 Bate-volta a partir de Coimbra), Porto (3), Aveiro (1 – Bate-volta a partir de Porto).

#2 Espanha

Sete destinos europeus baratos, para ignorar o câmbio nessas férias

Com exceção de Barcelona, é possível gastar até 40 euros por dia nas cidades espanholas. Os hostals, espécie de pousadinhas, são muito baratos e confortáveis. O Hostal Oliver e o La Jerezana em Madri, por exemplo, têm quartos simples para duas pessoas e com banheiro privativo. Saem por menos de 30 euros nessas duas opções, o casal, com pequenas variações dependendo da época do ano. Ou seja, para quem viaja acompanhado, a diária custa menos de 15 euros por pessoa.

Também é possível achar restaurantes baratos. Sem contar que os bares servem pequenos tapas junto com a bebida pedida. Uma refeição honesta está na casa dos 10 euros.

Sugestões de roteiro 10 dias pela Espanha: Madrid (4), Córdoba (2), Sevilla (3), Granada (2), Toledo (1).

#3 Bulgária

Sete destinos europeus baratos, para ignorar o câmbio nessas férias

Nunca fui a Bulgária, mas meus amigos dizem que é uma viagem imperdível. Gasta-se em torno de 35 euros por dia, entre quartos privativos e coletivos. Esse valor ainda d´apara encaixar uma cervejinha e refeições em restaurantes bons e modestos. Bulgária é um dos países mais antigos do mundo e tem cidades charmosas e que ainda não foram tomadas por hordas de turistas. A moeda lá é o Lev e vale a metade de um euro.

Sugestão de roteiro de 10 dias na Bulgária: Sofia (3 dias), Monastério de Rila (1), Plovdiv (3), Bachkovo (1 dia – Bate volta de Plovdiv), Veliko Turnovo (2).

#4 Romênia

Sete destinos europeus baratos, para ignorar o câmbio nessas férias

Ainda fora da zona euro, a Romênia é muito mais barata do que a Europa Ocidental. Em Bucareste, um bom hotel custa 50 euros o casal. No interior (Transilvânia), a média desce para uns 30 euros. Come-se bem com 13 euros por cabeça. E quem quiser economizar, ficando em pousadinhas mais simples e comendo em restaurantes baratos, pode gastar até a metade. Além da capital, Bucareste, que é super animada e bonita, a Transilvânia é incrível, com seus castelos, paisagens de montanhas e casinhas coloridas. Por lá, circula o Leu, num câmbio de quatro para um euro.

Sugestão de roteiro de 10 dias na Romênia: Bucareste (3 dias), Snagov (1 – No caminho entre Bucareste e Brasov), Brasov (5 dias), Sinaia (1 dia- Bate volta de Brasov), Bran e Rasnov (1 – Bate volta de Brasov), Sighişoara (1 – Bate volta de Brasov), Sibiu ou Cluj-Napoca (2 dias).

#5 Hungria

Sete destinos europeus baratos, para ignorar o câmbio nessas férias

A moeda da Hungria é o florint (HUF) e é desvalorizada em relação ao euro (315 florints dão um euro apenas). E por isso as coisas são bem baratinhas! Em Budapeste vale conferir o distrito judeu e os pubs em ruínas.

Quarto para duas pessoas em hotel básico: 52 euros

Refeições em restaurante simples: 7 euros

Transporte público: 5,32 euros

Principal atração paga (Bastião dos Pescadores): 2,26 euros

Total por pessoa: 40,58 euros por dia

Sugestão de roteiro de 10 dias pela Hungria: Budapeste (5 dias), Lago Balaton (2), Esztergom (2), Szentendre (1).

#6 República Tcheca e Eslováquia

Sete destinos europeus baratos, para ignorar o câmbio nessas férias

Esses dois países já foram um só por um período. Compartilham culturas, têm idiomas semelhantes e são interessantes e baratinhos. E são lugares ideais para tomar muita cerveja. A moeda na República Tcheca é a Coroa Tcheca: cada euro dá 24 coroas. A Eslováquia já adotou o euro. Nos hotéis nos dois países gasta-se cerca de 35 euros o casal por dia e a comida, cerca de 10 euros.

Sugestão de roteiro de 10 dias pela República Tcheca e Eslováquia: Bratislava (2 dias), Devín e Trencin (1 dia), Praga (4 dias), Cesky Krumlov (2 dias), C. Budějovice (1 dia).

#7 Grécia

Sete destinos europeus baratos, para ignorar o câmbio nessas férias

País da zona euro. Ainda! E um dos lugares mais belos no mundo, na minha humilde opinião. Não foi à toa que os gregos inventaram um panteão de deuses para explicar tanta belezura num lugar só. Dá para alugar um apartamento excelente no coração de Atenas por 50 euros a diária e gastar uns 7 euros em uma refeição popular.

Não se engane: dessa lista aqui é o país mais caro. é o país mais caro, mas dá para fazer com até 55 euros por dia. É preciso evitar os meses de julho e agosto e abrir mão de ilhas caras, como Mykonos. E, ainda, reservar tudo com muita antecedência. Mas tudo isso vale a pena. A Grécia é incrível, seu povo simpático, comida deliciosa e preços que cabem sim no bolso dos econômicos.

Você pode pegar mais dicas com o 360Meridianos:

#viagem #viagembarata #destinoseuropeus #roteirodeferias